asdasdasdasd

Um Imperador escolhe o seu caminho.

por Milena Pacheco 6 de Janeiro de 2017 às 16:30
categoria: Aléssia Saluára

No mundo onde muitas pessoas sonham e buscam o sucesso, outras o entregam e se esbarram no primeiro grande obstáculo da vida.
Sem a maior preciosidade do ser humano nos dias de hoje, inteligência emocional, Adriano Ribeiro, o imperador, entrega sua vida extraordinária e de muito êxito no futebol  para a mediocridade.

Esta não é uma matéria para julgar  a  atitude dele, nem tão pouco a vida, mas para entendermos que os acontecimentos desafiantes servem para aprendermos e nos tornarmos mais fortes.

Após  anos de luta com afinco e determinação ao lado do seu pai para conseguir destaque no cenário do futebol, Adriano Leite Ribeiro, desfaz seu destino jogando-o ao vento. 
Cabe aqui rememorar o exato instante em que o IMPERADOR escolhe o insucesso. 
Vamos lá, vem comigo.

Em 2004, após inúmeras vitórias e prestigio na mídia, Adriano Leite Ribeiro conquista o seu maior título na sua carreira, a Copa América no Peru, o que para muitos era apenas um sonho, para ele foi uma grande realidade, uma maravilha de título para um atleta renomado, ele dedicou o troféu ao pai Almir Leite Ribeiro e diz: "Esse título vai para o meu pai. Ele é o meu grande amigo desta vida, meu parceiro, sem ele não seria nada." 
Infelizmente, após nove dias desta grande realização, Almir Leite Ribeiro, pai de Adriano falece, tinha uma bala alojada no cérebro de um tiro que tomou em uma festa na Vila Cruzeiro. Este foi o tiro fatal , pois levou consigo, uma pessoa a mais, o próprio filho, Adriano.
Na frase em que ele oferece o título da Copa América no Peru a última sentença é : "sem ele não seria nada."  Tão forte a expressão que tomou conta da vida do jogador, por isso falam tanto que a palavra tem poder, tem mesmo. Cuidado com o que você anda falando.
A dependência emocional de Adriano em relação ao pai era tão grande que ele já decretou seu infortúnio, isso demonstra que não devemos depender emocionalmente de ninguém, seja de um pai, mãe, ou um amor, afinal, podemos não tê-los a vida inteira.
E o que isso traz de lição? 
Adriano tinha dois caminhos, se entregar e realmente assumir a postura de que sem o pai nada seria ou tomar as rédeas da sua trajetória e dizer: Vou honrar tudo que meu pai me ajudou a construir e valorizar o caminho que trilhei. 
Haviam dois caminhos, mas ele escolheu o mais fácil. Para não conviver com a dor e nem com o sofrimento, se entregou as orgia e a bebida, deu-se ao desfrute da vida desregrada e sem limite, mesmo com tantas pessoas querendo que ele reanimasse e não deixasse seu rumo ao léu.
E você? Que escolha tem feito a partir das perdas que teve?
Que caminho tem escolhido? Tem entregado sua vida a bebida?  Drogas? Remédios? Orgias? Internet?
Eu não sei como você está, mas posso te dizer uma coisa: Escolha o melhor caminho e não deixe sua vida sem o rumo certo. As dores te fortalecem, os desafios te tornam mais preparado.
Afie seu machado, doa a quem doer. Se comprometa com você mesmo, assim não há outra colheita, só a colheita do SUCESSO.
A escolha é sua, o conselho é meu, mas o futuro depende disso, escolhas corretas .
Eu escolho VENCER, acredito que você também. Então, nada de vitimização, deixe de mimimi  e vá construir seu futuro.