asdasdasdasd

Miguel Coelho reconhece papel de ex gestores no avanço de Petrolina, mas não cita Julio Lossio

por Redação Nossa Voz 16 de Março de 2017 às 09:15

Petrolina subiu 46 posições no ranking nacional das 100 melhores cidades do país e se tornou a primeira do Nordeste. A cidade está na posição 45 das 100 selecionadas para o levantamento. Durante pronunciamento para a imprensa, o prefeito Miguel Coelho (PSB) comentou sobre o reconhecimento e disse que seria injusto não reconhecer o trabalho das pessoas que lutaram pela cidade. Ele citou momentos marcantes na história da cidade, destacando os nomes dos ex-prefeitos Fernando Bezerra Coelho (PSB) e Odacy Amorim (PT). Já Julio Lóssio (PMDB) não teve o nome citado pelo atual prefeito.

“A gente não pode ser injusto com a história de Petrolina e muito menos injusto com a história de quem tanto trabalhou e de quem tanto lutou para Petrolina chegar aqui”, enfatizou. De acordo com o gestor municipal, essa história começou em 1995, quando a cidade ganhou o selo Unicef 'Amigo da Criança', quando Fernando Bezerra Coelho reabriu o Hospital Dom Malan, tornando-o referência no Brasil. Em 2004, Petrolina estava pela primeira vez entre as 100 melhores cidades do país. No ano seguinte, a cidade se destacou pelo saneamento em mais de 80% da cidade. Um ano depois, destacou-se pela mobilidade urbana e em 2008, esteve novamente na lista das melhores cidades na gestão de Odacy Amorim (PT), como destacou o prefeito.

Depois disso, o prefeito pulou para 2017, destacando que a cidade já esteve em posições melhores, mas que mesmo assim Petrolina ocupa um lugar de destaque, graças a ex-gestores, ex-secretários, ex-vereadores e principalmente à população. Para chegar a esta conclusão, a consultoria da Macroplan analisou os municípios com mais de 266 mil habitantes em 16 indicadores divididos em quatro áreas distintas: saúde, educação e cultura, segurança e saneamento e sustentabilidade.