asdasdasdasd

MPE "pede cassação" de Miguel Coelho por suspeita de irregularidades na campanha de 2016

por Redação Nossa Voz 18 de Abril de 2017 às 07:57
categoria: Política

O prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (PSB), e a vice Floralina Araújo Portela - Luska Portela - estão sendo acusados de terem cometido abuso de poder econômico, nas eleições municipais de 2016. De acordo com o parecer do Ministério Público Eleitoral de Pernambuco, eles "podem ter a chapa cassada".

Nos autos da ação de investigação judicial eleitoral que foi ajuizada pelo deputado Odacy Amorim (PT), o MPE reconheceu a existência de diversas irregularidades na eleição passada que causaram um flagrante desequilíbrio no pleito eleitoral. Desta forma, o Ministério Público Eleitoral opinou pela cassação do mandato dos atuais prefeito e vice-prefeito de Petrolina. O processo agora vai para o juiz eleitoral o Dr. Sidney que decidirá o futuro das eleições municipais de 2016.

Sobre a decisão do Ministério Público em dar continuidade ao processo movido pelo PT em torno da campanha eleitoral 2016, o Partido Socialista Brasileiro - disse em nota - que respeita o posicionamento da instituição do Judiciário e tem plena confiança de que o caso será arquivado. O PSB lamenta que a chapa petista, que teve as contas reprovadas recentemente, insista na tentativa de não respeitar a vontade do povo de Petrolina. O PSB lembra que todas as contas da campanha liderada pelo prefeito Miguel Coelho foram aprovadas. Ainda assim, o partido diz ter plena convicção de que será frustrada a tentativa do grupo oposicionista de deturpar o resultado das eleições.

Ainda na nota, o PSB reforça o respeito que nutre pelo Ministério Público, que está realizando seu trabalho com lisura e independência. O Partido Socialista, portanto, aguarda o rápido esclarecimento do Poder Judiciário sobre o  caso para que não restem mais dúvidas sobre a idoneidade do processo democrático e que se faça valer a vontade do povo petrolinense em fazer a cidade voltar a se desenvolver.