asdasdasdasd

Em noventa dias novo abatedouro será entregue a marchantes, garante Zé Batista

por Simone Marques 20 de Março de 2017 às 09:23
categoria: Regional

O matadouro de Petrolina que já foi alvo de muitas polêmicas e está fechado desde o ano passado, vem ocasionando muitos transtornos tanto para os feirantes como quanto para a população tendo em vista que o abate está sendo feito de forma clandestina e o valor da carne está bem mais cara.

O secretário de Desenvolvimento Econômico e Agrário de Petrolina José Batista da Gama esteve no programa Nossa Voz, na manhã desta segunda-feira (20), e falou de uma entrevista recente dada pelo prefeito Miguel Coelho onde dizia que o Ministério da Agricultura deve liberar ainda no mês de abril uma verba para a reforma do matadouro.
Batista relembrou que o matadouro foi fechado há mais de um ano pela antiga gestão, que segundo ele passou oito anos e não investiu um centavo naquele equipamento público. "Não é em sessenta ou noventa dias que a gente vá pôr para funcionar um equipamento de tamanha envergadura que é um abatedouro industrial como forma de mágica. Primeiro que existe um TAC e nós temos que atender a todas as exigências do Ministério Público e da ADAGRO, que são elas que farão com o que a gente coloque o abatedouro para funcionar já com o selo estadual que fica mais próximo do selo federal pra que a gente tenha um produto que possa circular em todo o país". 

Ele disse não medir esforços trabalhando dia e noite em cima do projeto para que possa ser executado o mais rápido possível."Já estamos fazendo o orçamento, já existe um orçamento prévio feito por um engenheiro encomendado pelo prefeito que orça em torno de R$ 500 a 600 mil reais, mas já tivemos observando e ainda faltam as lagoas de decantação que são três, como os currais e a nossa equipe está analisando agora para ultimar esse orçamento, após isso teremos o termo de referência que é acompanhado de um plano de trabalho pra que a população tome conhecimento que nós temos que fazer as coisas com os pés no chão, respaldado na lei nº 866/83, que versa sobre a licitação pública", explicou.

Existe também algumas tratativas entre o Poder Executivo e Reitoria da UNIVASF, onde o prefeito Miguel Coelho pleiteia o abatedouro da instituição para o abatimento de pequenos animais.

Sobre o prazo para conclusão do abatedouro, Zé Batista garantiu que no prazo de noventa dias estará em pleno funcionamento. Questionado sobre a empresa que vai administrar, o secretário disse já estar em contato com presidente da FRIMASA que é um grande frigorífico da Bahia onde foi apresentado uma planta já modificada, mas o valor de investimento para recuperar o antigo abatedouro daria para construir um novo que é em torno de R$ 3.200.000, esclareceu.

"Nós construiremos um novo abatedouro, já temos inclusive um local em definitivo. Já estamos em contato com um gestor de abatedouro de Garanhuns, nós já sentamos eu, ele e o projetista e quase concluindo o nosso trabalho. Então o empresário de que vai tomar conta precisaremos ter uma contra partida, para que possamos ter uma condição de oferecer ao nosso público um produto de qualidade, inspecionado, em tempo ágil e não temos dúvidas que isso vá acontecer".    

Além do problema de abate de animais, Zé Batista mostrou preocupação com a situação das feiras da cidade que ainda não estão funcionando no padrão e do código de ética mas está sendo analisado pela assessoria jurídica."A gente sabe que tem alguns box que foram construídos inadequadamente porque existem denúncias de pessoas que venderam o terreno ali quando é público, eu não tenho autorização de vender o que não é meu. Tem gente que já está sendo notificado pelo Ministério Público para que explique como adquiriu aqueles terrenos, quanto pagou e a quem pagou, e não somos nós, mas sim a justiça que vai cuidar disso", disparou.