asdasdasdasd

TJPE e servidores do Detran se contradizem sobre futuro de greve

por Simone Marques 17 de Março de 2017 às 13:00
categoria: Regional

A greve dos servidores do Departamento Estadual de Trânsito de Pernambuco (Detran-PE) continua em vigor e seu fim parece ainda distante. Afirmações do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) e do Sindicato da classe (Sindetran-PE) são dissonantes sobre uma audiência de conciliação que pode dar fim à paralisação. Um lado afirma que estaria marcado, já outro diz que não há nada oficial.

Justiça determina bloqueio de R$ 180 mil das contas do Sindetran-PE
Detran: servidores mantêm greve e nova reunião com deputado é marcada
"Detran continuará em greve'', afirma o presidente do sindicato
Greve dos servidores do Detran: veja onde realizar serviços
Detran prorroga prazos de serviços devido a greve de servidores
Alexandre Bulhões, presidente do Sindetran-PE, conta que uma audiência de conciliação, envolvendo Detran-PE, Governo do Estado e o desembargador Eduardo Paurá estaria marcada para a próxima segunda-feira (20). "O governo diz que a gente está em greve ilegal, mas a partir do momento que ele não cumpre o que prometeu, nos deu o direito de greve", bradou. 

Já o TJPE, diz que não há nenhuma reunião marcada. Há sim, uma petição, por parte do Sindetran-PE, de uma audiência de conciliação. Mas o desembargador Eduardo Paurá ainda está apreciando o pedido, podendo aceitar ou não a proposta.

Bulhões aproveitou ainda para comentar sobre o bloqueio de R$ 180 mil das contas bancárias vinculadas ao sindicato, como forma de punição judicial por manter a greve: "Podem descontar, mas a gente não abre mão de nossa dignidade e direito".

A greve do Detran foi deflagrada no dia 13 de fevereiro. Desde então, os serviços do órgão estão afetados. Mais de 30 dias após o início, foi considerada ilegal e já motivou até mesmo reunião com o deputado estadual Romário Dias (PSD), em busca de soluções.

No último dia 8, na sede do órgão, localizada no bairro da Iputinga, Zona Oeste do Recife, foi realizada uma assembleia em que os funcionários decidiram pela continuidade da paralisação. 

O sindicato alega que o Governo de Pernambuco não cumpriu as promessas que fez à classe, como a contratação de um plano de saúde - existe um plano, mas contratado de forma emergencial, sem licitação que o assegure - bem como pagamento de insalubridade aos funcionários que mexem diretamente com a vistoria de veículos e pagamento de gratificação aos servidores que trabalham em todas as unidades do Detran-PE no Estado, não somente aos que estão em agências localizadas em shoppings. 

Enquanto as atividades não voltam ao normal no órgão, serviços básicos como a retirada de documentos e a captura de imagens e informações podem ser feitas na sede do órgão, na Iputinga, ou nos postos que ficam dentro das unidades do Expresso Cidadão espalhadas pelo estado. Já os com data, como emplacamento e transferência de veículos, terão o seu prazo original estendido para não prejudicar o público tão logo a greve seja suspensa.(Com informações do JConline)