asdasdasdasd

Racha no PSB: Miguel Coelho diz que Paulo Câmara trouxe briga nacional para Pernambuco

por Gabriela Canário 6 de Dezembro de 2017 às 09:41

Ainda rende novos capítulos o racha no Partido Socialista Brasileiro, dentro do estado de Pernmabuco, depois da saída do senador Fernando Bezerra Coelho, ingressando no PMDB. Com a desfiliação, logo em seguida, veio a destituição do prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, do comando da sigla, pelo diretório estadual, sendo entregue ao deputado federal, Gonzaga Patriota (PSB).

O filho de FBC diz não guardar mágoas e que também não vai procurar a Justiça por ser o 'único prefeito em exercício a ser destituído de um partido', mas criticou o comportamento da sigla. “Eu sempre me resguardei […] a gente viu que o PSB de Pernambuco puxou a briga do nacional aqui para dentro do estado quando me destituíram. Falaram tanto em intervenção em outros partidos e fizeram o mesmo aqui em Petrolina sem nem abrir prazo para defesa e a gente poder ser manifestar. Apenas me ligaram e disseram que eu estava fora. Não vou procurar a Justiça. Me sinto livre”, afirmou o chefe do executivo.

Âmbito Nacional - Especula-se que o racha no PSB foi provocado pela disputa entre os políticos de âmbito nacional que querem ou defendem a saída do presidente Michel Temer do poder. Tudo isso inflamado com a largada para a escolha dos novos mandatários do partido. Em Pernambuco, a situação ganhou ainda mais força com o embate entre FBC e o governador do estado. O senador, inclusive, tem feitos várias críticas à administração de Paulo Câmara.

De acordo com Miguel Coelho, mesmo com o episódio, ele tem 'tentado manter uma gestão de parceria', mas que o Governador Paulo Câmara (PSB) não tem cumprido com algumas promessas para Petrolina. “A gente espera que o governo possa fazer mais. Esperamos a escola técnica que já foi, inclusive, doado o espaço. Tem ainda o patrocínio do São João [2017], através da Empetur, que não saiu no valor de 700 mil reais. Além da Compesa que não iniciou a obra [de saneamento] do Jatobá, sendo que fizemos os anúncios”, explicou o prefeito.

Próximos Capítulos - Porém, o racha pode ser ainda maior: o senador Fernando Bezerra Coelho manifestou interesse em assumir o governo de Pernambuco e traçou uma disputa com o ex-colega de partido e atual gestor Paulo Câmara e, é claro, terá o apoio do filho dentro de Petrolina. “A gente espera que a disputa política fique na política e não entre no campo administrativo”, finalizou Miguel Coelho.