asdasdasdasd

Gabriel Menezes não se licencia para cuidar de campanha a estadual como havia anunciado

por Karine Paixão 7 de Agosto de 2018 às 16:12

No programa Nossa Voz desta terça-feira (07), o presidente da mesa diretora da Câmara de Petrolina, Osório Siqueira revelou que o vereador Gabriel Menezes não havia concretizado o pedido de licença anunciado antes do recesso do legislativo municipal. Segundo Siqueira, Menezes o informou, num encontro nas dependências da Casa Plínio Amorim, que não havia se decidido. Na sessão de hoje, que marcou o retorno das reuniões plenárias, lá estava Gabriel Menezes ocupado seu assento e participando ativamente. Tal cena pegou muitos de surpresa, mas ele, à reportagem do Nossa Voz, justificou tal situação.

“Devo confessar que não trata-se de uma desistência, mas de uma reavaliação pelo fato de depois de dizer que me licenciaria ter passo a ser vítima de fake news. Estou reavaliando, não desisti dessa questão de me licenciar para tocar a nossa campanha para deputado estadual, mas vou reavaliar. A campanha começa dia 16 oficialmente e até lá certamente tomarei alguma decisão”, revelou.

O parlamentar havia garantido que faria sua campanha longe dos recursos e estrutura proporcionados pelo mandato  de vereador por considerar injusto a utilização de tais benefícios. Porém, ao ser acusado de fazer um acordo com o grupo do senador Fernando Bezerra Coelho para que o suplente Alvorlande Cruz assumisse, resolveu recuar. “As fake news das quais estou afirmando que fui vítima foi de que fiz acordo com o governo (Miguel Coelho), que estaria passando para o grupo do senador Fernando Bezerra e eu quero reafirmar que não quero acordo. Não estou na bancada do prefeito porque não quero. O prefeito Miguel Coelho contará sempre com meu respeito, não nada absolutamente contra a sua pessoa, mas eu tenho a obrigação porque fui eleito vereador para fiscalizar o seu governo e dessa obrigação eu jamais me furtarei”.

Sobre a questão em torno do retorno de Alvorlande Cruz, que deve enfraquecer a bancada de oposição, recuando de cinco para quatro membros, Gabriel Menezes demonstra não estar preocupado. “Isso não me diz respeito. Se Alvorlande é da situação ou da oposição não me diz respeito. Eu tenho que tratar do meu afastamento. Muitas pessoas me perguntam se eu me sentei com Alvorlande. Eu vou sentar com Alvorlande por quê? Não preciso sentar ou tratar com Alvorlande. Ele é o primeiro suplente. Poderia não ser, poderia ser qualquer outra pessoa. Se ele está no grupo do prefeito ou  permanece no grupo pelo qual foi eleito, isso não me diz respeito, não é da minha conta. Eu tenho satisfação a dar ao povo de Petrolina”.

Sendo assim, a previsão é que Gabriel Menezes só comunicará sua decisão após o fim do prazo para registro de candidatura a deputado estadual junto ao Tribunal Regional Eleitoral, fixado em 15 de agosto. Se me afastar terei a minha justificativa e se permanecer também a terei.