asdasdasdasd

Ações de combate à violência infantil serão reforçadas em Petrolina

por Redação Nossa Voz 9 de Agosto de 2017 às 09:58
categoria: Cotidiano

A Vara da Infância e Juventude de Petrolina, através do Juiz Marco Bacelar, inicia nesta quarta-feira, dia 09, uma nova ação de combate e proteção às crianças e adolescentes na cidade, principalmente no que diz respeito à prostituição e ao trabalho infantil. A ação ganhar reforço nos semáforos e nas casas noturnas.

“Temos tentado coibir a prática de prostituição, principalmente em eventos festivos. Qualquer tipo de violência que venha a sofrer uma criança ou uma adolescente”, enalteceu. De acordo com o juiz, é preciso consciência da população para que as crianças não tenham liberdade de estarem em horários avançados em locais que tenham bebidas alcóolicas, para que impeça de se envolverem em situações ameaçadoras.

Crianças nos semáforos – Essa é uma prática comum em Petrolina. De acordo com o juiz Marco Bacelar, essa realidade teve um aumento significativo. “Tivemos um número crescente de crianças nos semáforos e temos que ter ajuda da população para que não contribua financeiramente para a permanência delas ali”, destacou.

De acordo com ele, uma parceria entre os poderes judiciário e municipal deve coibir essa prática na cidade. “Estamos vendo a partir de hoje ações junto com o poder público municipal para a retirada deles [crianças e adolescentes] dali [ dos semáforos], pois eles têm residência fixa, não tem porque estarem ali. Esses valores [doados pelas pessoas], na maioria das vezes, são para a compra de drogas”, explicou.

Entretanto, essa não é uma tarefa fácil. “São muitos semáforos em Petrolina e as crianças estão acompanhadas, geralmente, com um adulto que pode ser o pai. Mas a gente acredita que nos próximos dias essa situação será resolvida”, disse o juiz. Ele enfatiza que os adultos envolvidos nesses casos podem ser processados criminalmente, pois trata-se de exploração de menor para ter vantagem financeira.

Prostituição infantil - “A gente tem uma equipe que verifica esses casos. São poucos e raros casos em Petrolina, é um ponto positivo. Mas temos que fazer que exista a inibição, por exemplo, da presença dessas crianças em eventos noturnos para que elas não possam sofrer violência sexual”, destacou o juiz.

Ele enfatiza ainda para os casos de estupro de vulnerável. “Numa situação de noite com presença de bebida, a pessoa pode ser levada ao engano, achando que está se relacionando com alguém maior [de idade] quando se trata de um adolescente”, destacou.