asdasdasdasd

"Estão brincando com a vida das mulheres", afirma representante da UBM

por Redação Nossa Voz 8 de Janeiro de 2019 às 11:50
categoria: Cotidiano

Nos últimos dias os casos de feminicídio ganharam destaque na imprensa Brasileira. E no Programa Nossa Voz desta terça-feira (08), o tema foi discutido com a participação da representante da União Brasileira de Mulheres, Socorro Lacerda.

Para a representante da UBM, o feminicídio é um problema antigo que ganhou um nome novo. Ela relembrou os assassinatos das jovens Taiane Rocha e Bruna Torres. As vítimas, que tinham 19 anos, foram mortas quando iam ao trabalho, no Distrito Industrial de Petrolina. "O crime foi tratado como latrocínio, mas elas tiveram a dignidade sexual violada", comentou Socorro Lacerda.

Socorro Lacerda destacou também que um dos grandes problemas desse tipo de violência é que muita gente atribui a culpa às mulheres e "isso só vai mudar com educação". "É preciso educar os meninos pra que eles entendam que as diferenças sexuais não podem ser razão pra violência". 

A representante da UBM falou ainda da importância da Lei Maria da Penha. "A lei já evitou mais de 5 milhões de mortes. É uma lei importantíssima e ela funciona sim. Mas as mulheres precisam denunciar pra que mais mortes possam ser evitadas. A cada dez denúncias, oito homens não reincindem no crime. O homem violento não muda. É a mulher tem que denunciar e sair do relacionamento abusivo", afirmou Socorro Lacerda.

Para Lacerda, uma medida que poderia ajudar na eficácia de medidas protetivas é uso de monitoramento eletrônico dos agressores, mas pra isso é preciso que "o poder público trabalhe ainda mais pra proteger as vítimas". "Estão brincando com a vida das mulheres. Então a gente faz um apelo pra que os gestores públicos ouçam os movimentos de defesa das mulheres", finalizou Socorro.