asdasdasdasd

Usuários denunciam irregularidades no transporte do TFD de Petrolina

por Redação Nossa Voz 9 de Outubro de 2017 às 09:30
categoria: Denúncia

O programa Nossa Voz recebeu diversas denúncias de que o transporte dos passageiros que fazem Tratamento Fora de Domicílio em Petrolina estão sendo transportados em um veículo da empresa de transportes Progresso, sem identificação da prestação do serviço para o município e por isso estão sujeitos a até mesmo a assaltos na estrada como já aconteceu duas vezes, segundo relato de passageiros.

De acordo com o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Edvaldo Landim, a denúncia é recente, mas que já estão sendo tomadas providências junto à coordenação do TFD, solicitando da gestão a identificação do transporte. “É inadmissível essa situação. É obrigatória essa identificação”, disse. Existe ainda a denúncia de que os passageiros estariam com o espaço restrito no bagageiro desse ônibus porque o motorista também estaria transportando cargas, encomendas para serem entregues na capital pernambucana, Recife.

O Conselho disse que tem conhecimento dessa situação e que um ofício foi encaminhado à coordenação do TFD “Nós vamos atrás, investigar e tomar providências para que isso não ocorra”. Segundo ele, os pacientes não têm a obrigação de reduzir suas bagagens porque não tem espaço para elas nesse transporte. De acordo com a coordenadora do TFD Petrolina, Vanicleide Passos, a empresa de transportes Progresso é uma prestadora de serviços e que há uma dificuldade na contratação de ônibus para tais fins. Ela acrescenta que o contrato ainda é da gestão anterior com fim apenas em dezembro deste ano, não possuindo uma cláusula que exija a identificação do transporte.

“Para colocar placa, teria que colocar em quase todos os ônibus da Progresso”, disse a coordenadora. Ela afirma ainda não ter recebido o ofício do Conselho Municipal de Saúde com as exigências a respeito do transporte do TFD. De acordo com o Conselho, há relatos de que houve assaltos aos dois ônibus que fazem o transporte desses pacientes. “Um relato não oficial afirma que o ladrão disse que só escolheu o ônibus porque não tinha identificação. Todo mundo sabe que TFD significa o transporte de pessoas que estão doentes”, relatou Edvaldo Landim.