Farmacêuticos alertam para não misturar estes 6 alimentos com medicamentos; saiba quais

0
183

Alguns alimentos podem afetar como o corpo processa a medicação e aumentar o efeito de um medicamento ou reduzi-lo

Por Agência O Globo Foto: Freepik

Os medicamentos são essenciais para tratar diferentes condições de saúde, mas alimentos podem impactar significativamente a sua eficácia. A interação é delicada e entendê-la pode ajudar a obter o desempenho máximo de remédios e evitar efeitos colaterais indesejados.

Alguns alimentos podem afetar como o corpo processa a medicação e aumentar o efeito de um medicamento ou reduzi-lo. Compreender essas dinâmicas é essencial para o gerenciamento da saúde.

Toranja
Existem compostos na toranja e em seu suco que podem inibir enzimas no corpo que decompõem medicamentos prescritos, o que pode levar a concentrações mais altas do remédio na corrente sanguínea. Isso pode amplificar os efeitos colaterais, especialmente com estatinas redutoras de colesterol, reguladores da pressão arterial e medicações psiquiátricas.

Produtos lácteos
Leite, queijo e iogurte podem interferir na absorção de certos antibióticos, como tetraciclinas e quinolonas. Esses alimentos contêm cálcio, que se liga ao antibiótico no trato digestivo e reduz a sua absorção e eficácia. Para evitar isso, é recomendado que os antibióticos sejam tomados algumas horas antes ou depois de consumir produtos lácteos.

Vegetais de folhas verdes
Se o indivíduo estiver tomando anticoagulantes, ele deve prestar atenção na ingestão de alimentos ricos em vitamina K, como espinafre, couve e brócolis. A vitamina K desempenha um papel crucial na coagulação sanguínea, e variações em sua ingestão podem afetar a eficácia da medicação. A consistência na ingestão de vitamina K é fundamental.

Álcool
O álcool pode interagir perigosamente com uma ampla gama de medicamentos, incluindo analgésicos, antidepressivos e reguladores de diabetes. Essas interações ocasionam tonturas, sonolência, danos ao fígado e outras complicações graves. É melhor limitar ou evitar o álcool durante o uso de medicações.

Cafeína
A cafeína, comumente encontrada em café, chás e alguns refrigerantes, pode aumentar os efeitos colaterais de alguns medicamentos. Ela intensifica os efeitos estimulantes de alguns remédios psiquiátricos e para o TDAH, o que leva a um aumento na frequência cardíaca e pressão arterial.

Alimentos ricos em fibras
Embora fibras sejam excelentes para a saúde digestiva, alimentos com grande quantidade do carboidrato podem interferir na absorção de certas medicações, como as reguladoras do colesterol. Por isso, deve-se tomar o medicamento algumas horas antes ou depois de uma refeição rica em fibras.

Em casos de dietas específicas, como a cetogênica ou com baixo teor de sódio, é essencial entender como as escolhas dietéticas podem interagir com remédios. Algumas dietas alteram o metabolismo do corpo e interferem no processamento da medicação no corpo.

Para gerenciar as interações entre alimentos e medicamentos, é fundamental buscar a orientação de um profissional de saúde. Ciente de como funcionam, a pessoa pode otimizar a eficácia de suas medicações e evitar complicações potenciais.

(Folha de Pernambuco)