asdasdasdasd

Delegado explica que ataques contra nordestinos configuram crime e podem resultar em prisão

por Adriana Rodrigues 10 de Outubro de 2018 às 11:53
categoria: Policial

Após o resultado do 1º turno das eleições deste domingo, 7, nordestinos foram atacados nas redes sociais. A maior parte das mensagens preconceituosas. O delegado de Polícia Civil, Marceone Ferreira, explica que, a prática é crime, de acordo com a Lei do Crime Racial, e pode resultar em pena de dois a cinco anos de prisão em regime fechado, além de multa, e que o crime é inafiançável. “Com relação aos nordestinos, podem ser condenados ao crime de racismo ou injúria racial, cabe as pessoas que se sentirem ofendidas procurarem a delegacia para que seja feito o boletim de ocorrência para que a situação seja investigada”.

Ele informa também, que contratar pessoas para criar fake News é crime previsto no código eleitoral. "É um crime que é possível flagrante e que a pessoa pode ser responsabilizada perante a justiça".

O delegado orienta  que os  internautas precisam precaução ao replicar notícias divulgadas em aplicativos e redes sociais. “Checar se a notícia, saber a origem daquela mensagem, isso cabe não ao aplicativo mas as pessoas que recebem”.

Em relação ao primeiro turno das eleições em Petrolina, o delegado considerou um pleito tranquilo. Segundo ele, a polícia recebeu apenas seis ocorrências de menor potencial ofensivo. “As pessoas denunciadas foram levadas a delegacia, mas foram liberadas por comprometerem a responder perante a Justiça Eleitoral”.