asdasdasdasd

Marília Arraes nega PT com Câmara: “Não admito que tentem me medir com mesma régua que PSB mede seus vassalos”

por Karine Paixão 18 de Outubro de 2017 às 12:43
categoria: Política


Quando questionada se, mesmo após anos de dura oposição ao governo Paulo Câmara (PSB), uma aliança entre o PT e PSB estaria sendo costurada nos bastidores, a vereadora do Recife e pré-candidata ao Governo do Estado, Marília Arraes (PT), não se limita apenas a negar tal possibilidade. Ela pulveriza e deixa transparecer que tal aglutinação partidária materializaria um pesadelo para a petista que deixou o Partido Socialista Brasileiro em fevereiro de 2016 alegando que a "atmosfera para o controle à mão-de-ferro, tanto do próprio PSB quanto da política de Pernambuco em toda a sua estrutura", inviabilizava sua permanência da legenda cujo membro histórico foi o seu avô, Miguel Arraes.

“O povo não me mede com a mesma régua em que mede o PSB, minhas atitudes mostram que eu não faria isso e a gente tem posição e respeito pelos eleitores pernambucanos. Então se a gente está fazendo oposição ao governador Paulo Câmara, a gente vai continuar fazendo sim. E o Partido dos Trabalhadores não vai cometer essa irresponsabilidade, não tem como porque, o Partido dos Trabalhadores não funciona como os demais”, decretou em entrevista ao Nossa Voz desta quarta-feira. 

Interpelada sobre a dinâmica política e as elasticidades dos acordos firmados visando garantia de espaços no cenário eleitoral que se avizinha, Marília Arraes garante que haverá zelo pela trajetória trilhada após o rompimento entre as legendas. “Eu estou falando em respeito as instâncias partidárias do PT e estou falando em nome da minha própria pessoa: independentemente do que aconteça, eu não estou falando em sair do Partido dos Trabalhadores, agora, eu tenho responsabilidade com a esperança que as pessoas depositam no projeto que a gente representa. Então eu jamais poderia chegar aqui na sua rádio, rodar mais de mil quilômetros ontem no Sertão do Araripe e de repente estar em outro lado. A gente tem respeito pelo projeto político e esse respeito vem principalmente da militância que iniciei na minha vida com o ex-governador Miguel Arraes de quem eu tive o privilégio de ser neta. Então eu não admito que tentem me medir com a mesma régua que o PSB mede seus vassalos”.