asdasdasdasd

Conselhos Açude Saco e Entremontes debatem implantação de cobrança por uso indevido da água

por Neya Gonçalves 11 de Outubro de 2017 às 16:33
categoria: Sertão do Araripe

Os membros e titulares dos Conselhos Alude Saco e Entremontes estão sendo convocados para novas reuniões públicas. Em pauta, a implantação da cobrança por uso indevido da água. Durante a reunião serão coletados sugestões para o planejamento 2018, encaminhamentos de outros tópicos a respeito da lei 9433, referente à Política Nacional de Recursos Hídricos, Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos e Gestão Democrática e Ambiental das Águas. As reuniões contam com a participação de representantes da XIX Encob – Encontro Nacional de Comitês da Bacia Hidrográfica, participação da Consus ( Câmara Consultiva Regional do Submédio São Francisco (CCRSMSF), ligada ao Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco e será o IV Encontro dos Comitês Afluentes do Rio São Francisco.

As acontecem na região dias 17 de outubro na comunidade Entremontes, próximo ao Reservatório Entremontes em Parnamirim, as 14 h e no dia 18 os representantes estarão na sala do Conselho Municipal de desenvolvimento Rural Sustentável (CMDRS), próximo à Câmara de Vereadores de Ouricuri.

Para João Paulo Leitão, representante da APAC (Agência Pernambucana de Águas e Climas) é um momento ideal para discutir a implantação da cobrança, ele concorda que a lei vai trazer mais cuidado e racionamento por parte de quem utiliza a água em suas empresas industriais, empresas de abastecimento e saneamento entre outras.

“O uso irracional da água vai ser mais caro do que hoje, lavar um carro, lavar uma calçada sem ter uma tecnologia vai ficar mais caro, então nós estamos fazemos estudos e de consultas às comunidades de como essa taxa vai ser cobrada. Todo industrial, irrigante, pescador, entre outros terão uma taxa diferenciada de cobrança”, disse João Paulo.

João paulo acredita que não haverá resistência por que a taxa é baixa, esses valores serão apresentados nas audiências públicas para eles tomem conhecimento do que vem e possam opinar e buscar esclarecimentos de dúvidas sobre esta implantação./ Com informações Cidinha Medrado