asdasdasdasd

Prefeitos do Araripe decidem fazer cortes significativos nas contas dos municipais

por Neya Gonçalves 14 de Novembro de 2017 às 11:10
categoria: Sertão do Araripe

Cinco prefeitos que fazem o CISAPE – Consórcio Intermunicipal do Araripe, o presidente Everton Costa (Trindade) Ricardo Ramos (Ouricuri), Tácio Pontes (Parnamirim), Túlio Alves (Bodocó) e Rafael Cavalcante (Afrânio) decidiram diminuir os gatos nos municípios.

De acordo com o prefeito de Trindade e Presidente do CISAPE Everton Costa, a dificuldade financeira chegou a um momento de forte pressão, as dificuldades encontradas pelas prefeituras da região devido a diminuição de repasses e altos custos, ele comenta em entrevista ao Nossa Voz que terá que fazer muitos cortes, com exceção ao que for de grande necessidade.

“A crise no nosso país é grande a afeta todos os municípios brasileiros. Foram cortadas várias coisas em Trindade, somente posso manter o que é de utilidade pública para o cidadão trindadense, limpeza urbana, saúde, mas o que eu puder vou ter quer cortar. Estamos com as receitas defasadas, há mais de seis anos sem reajuste, e na quinta feira passada, tivemos uma reunião, entre prefeito, secretários e assessoria jurídica, e da gente definiu fazer um corte em nossos salários, de 20%. A população fica chateada mas não tem outra maneira de administrar essa fase”, segundo Everton Costa.

Além das dificuldades financeiras, os municípios enfrentam um grande obstáculo com o aumento da violência na região. Trindade aumentou número de crimes e abusos.

Já o prefeito de Ouricuri disse que precisa fazer com urgência cortes significativos por que a principal dificuldade financeira, segundo ele foi um número de novos funcionários nomeados no final da gestão anterior, para ele esse foi o ponto principal da crise financeira do governo em Ouricuri.

“Já é notório, na verdade nós precisamos fazer uma redução de gastos, significativo. Tenho anunciado isso, por conta do último concurso que teve, as pessoas foram chamadas de forma global e não conforme as necessidades, no apagar das luzes do mandato anterior foram nomeados mais de 500 funcionários e isso exonerou a folha, e nós temos informado constantemente ao Tribunal de Contas que tem nos orientado, se tiver contratações e contratos temos que cortar, e se for o caso, até o cargo comissionado deverá ser dispensado. Tenho que toar as atitudes de acordo com o que a lei permite, e me preocupar com o futuro de nossa cidade”, disse Ramos.

O prefeito de Bodocó Túlio Alves lamentou a situação com recursos de Fundeb, ele disse que há uma diminuição e que provavelmente 2018 tenha apresente nova dificuldades nas finanças da educação.

Tácio Pontes de Parnamirim disse que os problemas são comuns nos municípios vizinhos. “As reduções foram grandes e por isso a situação fica mais grave, o governo do estado tenta ser próximo mas a gente sabe que a dificuldade também afeta os estados, vamos procurar parcerias para ver se ameniza aos poucos as dificuldades. Disse ele.

Além de pequenas ofertas de recursos, os prefeitos lamentam que as cobranças maiores estão nos municípios e que o número de cobrança por parte da população é ainda maior. Por Cidinha Medrado VPFM