asdasdasdasd

Embate:

por Cidinha Medrado 12 de Maio de 2017 às 12:00
categoria: Sertão do Araripe



Um requerimento de exigências enviado pela bancada de oposição, vereadores Ivaldo Jota, Raimundo Silva (Dida), Everaldo Valério levou os concorrentes da situação a um discreto e educado bate-boca no processo de discussão da reivindicarão. O documento 003/2017 exige do governo municipal documentação contendo informes sobre o valor pago aos funcionários efetivos e comissionados da educação, saúde, ação social, administração, setor de obras, transportes e em todas as outras secretarias, exige também informações comprovadas sobre abonos e gratificação de cada um.

Em suas justificativas o vereador Raimundo Silva (Dida) disse que a solicitação questiona a informação que soube do governo de que a folha de pagamento teria ultrapassado o limite e por isso não teria como admitir funcionários concursados. “Já que disseram que a folha ultrapassou o limite a gente quer as informações para saber realmente como se encontra a folha do nosso município, nessa casa foram apresentados 18 requerimentos como o colega Everaldo falou, e se deixamos de votar foram 6 requerimentos, mas pedimos as informações por meio de requerimentos apesar de saber que pode ser reprovado, mas vou continuar fazendo meu papel”, disse Raimundo (Dida)

O vereador Everaldo Valério disse que é importante o acesso aos valores já que muita gente vem divulgando a expectativa dos concursados, e isso causa sofrimento.

O líder do governo na Câmara a Carlos Nunes contestou aos colegas afirmando que o requerimento estava igual ao anterior solicitando informações sobre funcionários contratados e comissionados e mandou os vereadores buscarem as informações no Portal da Transparência “creio que a resposta é simples, provavelmente o pessoal da prefeitura e do setor burocrático informou que essa resposta estaria no Portal da Transparência e no Tribunal de Contas, então desde já minha resposta é negativa a esse requerimento”.

Para o vereador Alex Bar, as respostas podem comprometer a gestão, levando-a a uma improbidade administrativa.

Os vereadores Giba e Everaldo discutiram, Everaldo contestou que na gestão anterior os requerimentos eram aprovados, mas Giba desconcertou a conversa, e lembrou ao colega que quando era situação não aprovava os requeridos da oposição.