Zagallo deixa parte de sua herança para o caçula em meio a mágoas familiares

0
295

Foto: Instagram @zagallooficial

O testamento do tetracampeão

O legado de Mário Jorge Lobo Zagallo, ícone do futebol nacional, ganha contornos polêmicos após a divulgação de seu testamento, onde expressa profunda mágoa e decepção com três de seus quatro filhos.

Vitorioso ex-jogador e técnico de futebol, ele faleceu no começo do mês, deixando claro seu descontentamento ao acusar os filhos Paulo Jorge de Castro Zagallo, Maria Emília de Castro Zagallo e Maria Cristina Zagallo Ballester de tentativa de extorsão e anulação do inventário de sua esposa, Alcina de Castro Zagallo, falecida em 2012.

O testamento, assinado em novembro de 2016 e cujo trechos foram tornado públicos em reportagem de Ives Ferro e Li Lacerda, do site “Notícias da TV”, revela o desejo do campeão de destinar metade de seus bens ao seu caçula, Mario Cesar de Castro Zagallo.

Zagallo deixa 50% dos bens ao caçula

O ex-jogador nomeou Mario Cesar como inventariante e expressou estar “profundamente triste e magoado” com os demais herdeiros. A divisão da herança estabelece que o caçula ficará com 62,5% dos bens, enquanto os outros três filhos receberão apenas 12,5% cada.

Pela lei brasileira, uma pessoa precisa deixar 50% dos seus bens para seus herdeiros diretos, podendo direcionar os outros 50% para quem bem entender. No caso do tetracampeão, ele deixou 50% para Mario Cesar.

O icônico técnico alegou que os três filhos tentaram anular o cumprimento do testamento de Alcina, medida que, segundo ele, visava impedir que tivesse direito aos bens da própria esposa.

Zagallo lamentou falta de carinho dos filhos

Em um trecho do documento, o tetracampeão expressa sua última vontade: “O testador deseja, como última vontade, deixar a totalidade da parte disponível de seu patrimônio para o filho mais novo, Mario Cesar de Castro Zagallo. Tal escolha se deu pela profunda decepção com seus três outros filhos.”

O tabelião Luiz Fernando Carvalho Faria acrescenta no documento que o técnico reconhece a dedicação de Mario Cesar, principalmente no período pós-morte de sua esposa, quando os outros três filhos desistiram de lhe dar atenção e carinho. O testamento revela uma narrativa familiar complexa, marcada por conflitos judiciais e sentimentos de tristeza e mágoa.

(Hitsite)