Além dos cães de Cauã, mais de 40 animais estão sob suspeita de envenenamento

0
67

Desde o início de maio, o Jardim Oceânico, na Barra da Tijuca, vive uma situação alarmante. Mais de 40 cães deram entrada em clínicas veterinárias apresentando sintomas de intoxicação. Infelizmente, seis deles não resistiram, incluindo Romeu, um dos cães de estimação de Cauã Reymond. A dog Shakira, também do ator, segue se recuperando.

A suspeita de envenenamento levou o presidente da Câmara dos Vereadores, Carlo Caiado (PSD), a iniciar uma investigação. Em um vídeo postado em suas redes sociais, Caiado expressou sua preocupação.

“Espero que não tenha sido maldade. É algo brutal, pessoas colocaram veneno para os cães, para os animais. Já tivemos 40 animais contaminados”.

Assim sendo, para conter a possível contaminação, a companhia de limpeza municipal Comlurb realizou, no último sábado, 8 de junho, uma limpeza extensiva das calçadas e canteiros da região com água e sabão. A medida visa remover qualquer resíduo de produtos químicos que possam ter causado os envenenamentos.

Possíveis causas e suspeitas da morte do pet de Cauã

Luiz Ramos Filho (PSD), presidente da Comissão de Direitos dos Animais da Câmara, destacou que os incidentes de envenenamento constam em registro desde o início de maio.

“Não se trata de um ou outro caso isolado”, afirmou Ramos Filho, reforçando a gravidade da situação, por fim.

Alguns moradores do Jardim Oceânico, entretanto, suspeitam que a administração de um prédio específico possa ter utilizado veneno para exterminar plantas e ratos, inadvertidamente afetando os cães. Os primeiros animais envenenados, contudo, circulavam entre as ruas John Kennedy e Ivone Cavaleiro. No entanto, casos começaram a surgir em outras ruas, indicando que a contaminação pode ser mais ampla.

(O Fuxico)