asdasdasdasd

Cerca de 2 mil aparelhos já foram recuperados graças ao ‘Alerta Celular’

por Redação Nossa Voz 18 de Abril de 2018 às 14:00
categoria: Tecnologia

Com pouco mais de um ano em funcionamento, o programa Alerta Celular, criado pela Secretaria de Defesa Social (SDS), já conseguiu bons resultados e elogios da população. Quase 2 mil aparelhos celulares roubados ou furtados foram identificados pela polícia e voltaram para as mãos dos donos.

“Essa ferramenta tem sido fundamental para a recuperação de aparelhos roubados, assim como para a prisão de assaltantes e receptadores. Isso contribui para que essa prática deixe de ser vantajosa para os criminosos, os quais, muitas vezes, utilizam os telefones como moeda de troca no mundo do crime”, afirmou o secretário de Defesa Social, Antonio de Pádua.

No mês passado, 3.584 ocorrências de roubo de celular foram contabilizadas. O número é 24% menor do que o total de casos registrados no mesmo período do ano passado (4.722). Foram recuperados 358 celulares. Esse resultado, claro, foi possível graças à ajuda da população, que cadastrou os aparelhos no site da SDS. No total, 135 mil IMEIs de celulares fazem parte do banco de dados.

COMO SE CADASTRAR

Para realizar o cadastro, é preciso acessar o site da SDS (www.sds.pe.gov.br), ir à ferramenta Alerta Celular, disponibilizada no lado direito da página. O usuário precisa informar o IMEI. Esse número se obtém, além da consulta à nota fiscal e caixa do aparelho, usando o teclado do próprio celular. Basta digitar *#06#, que o código aparecerá na tela (uma série de 15 dígitos).

Além do cadastro do aparelho, no Alerta Celular, é imprescindível, em caso de furto ou roubo, o registro imediato do crime através de boletim de ocorrência, para facilitar a localização do celular previamente cadastrado no sistema. O aparelho ficará com um alerta no banco de dados, como “aparelho roubado ou furtado”, ajudando assim a sua localização e devolução ao seu real proprietário. Informações como endereço e telefone para contato são imprescindíveis para a devolução do produto.

Fonte: JC


Planalto quer criar órgão de proteção de dados

por Redação Nossa Voz 13 de Abril de 2018 às 16:00
categoria: Tecnologia

O Palácio do Planalto articula a criação de um órgão federal para proteção de dados pessoais na internet no Brasil. O objetivo do governo Michel Temer, com isso, é credenciar o Brasil para uma vaga na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). A medida está ligada às discussões sobre a criação de um marco regulatório sobre o assunto, tema que está sendo discutido no Congresso Nacional.

A explicação é que, uma das exigências da OCDE para que uma nação pleiteie cadeira na organização, é justamente ter uma legislação compatível com o entendimento da entidade na questão de proteção, uso, tratamento e armazenamento de dados pessoais na internet.

As discussões estão sendo feitas entre a Casa Civil e o senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES), responsável pelo relatório de um projeto sobre o tema, que está em avaliação na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado Federal. Ainda não está decidido, no entanto, se o parecer do parlamentar tucano é que recomendaria a criação da Autoridade Nacional de Proteção de Dados ou se a criação deste órgão viria por meio de medida do Executivo.

Ferraço nega que esteja acelerando os trabalhos devido à pressão do governo ou interesse da Casa Civil. O senador explicou que a pressa, neste momento, se deve ao contexto político. Isso porque os Estados Unidos discutem atualmente o escândalo do uso ilícito de dados de 87 milhões de usuários do Facebook pela empresa de inteligência Cambridge Analytica. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: DP


Miguel Coelho assina termo para ampliar cobertura de internet na zona rural

por Adriana Rodrigues 13 de Março de 2018 às 16:00
categoria: Tecnologia

O prefeito Miguel Coelho foi um dos cerca de 2500 participantes do lançamento do programa do Governo Federal “Internet para Todos”. A iniciativa tem por objetivo expandir a cobertura por banda larga para localidades sem conectividade ou com acesso precário. Na cerimônia ocorrida em Brasília, nesta segunda (12), Miguel assinou o termo de adesão ao programa, cujo prazo para início de implantação está previsto para maio deste ano.

No caso de Petrolina, a ideia é levar a cobertura por banda larga para comunidades da zona rural. No ano passado, a Secretaria de Planejamento e Inovação fez um levantamento das áreas mais precárias em termos de conectividade. O relatório aponta cerca de 70 localidades com déficit de comunicação digital em Uruás, Bebedouro, Cristália, Caititu, Projeto Maria Tereza, Pedrinhas, Ilha do Massangano, Caatinguinha, Roçado entre outras. O programa priorizará a cobertura de internet em postos de saúde e escolas públicas da zona rural de Petrolina.

“Nós indicamos todas essas comunidades do interior para serem contempladas com o Internet Para Todos. Esse serviço é fundamental para garantir a informação ao público, melhorar o aprendizado nas escolas e também para ter acesso a serviços básicos da Prefeitura, consultas entre outras demandas que hoje a população pode fazer pela internet, mas na zona rural ainda existe restrição”, explica o prefeito Miguel Coelho.

Cerca de 40 mil localidades no Brasil devem ser contempladas pelo programa do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. As primeiras antenas serão instaladas nas cidades beneficiadas, segundo o Governo Federal, a partir de maio. “Ainda não temos um prazo preciso para o início em Petrolina, mas nossa meta é que a instalação das antenas nas comunidades do interior de Petrolina ocorra já neste semestre”, antecipa o prefeito.


Projeto de Lei define que inclusão em grupos do Whatsapp deve ser feita com aprovação prévia

por Adriana Rodrigues 14 de Fevereiro de 2018 às 11:53
categoria: Tecnologia

A inclusão em grupos, páginas e comunidades virtuais deverá ser feita apenas com consentimento prévio dos internautas, segundo o Projeto de Lei do Senado (PLS) 347/2016, da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), aprovado nesta quarta-feira (7) pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). O projeto modifica o Marco Civil da Internet.

A proposta recebeu voto favorável, com duas emendas, do relator, senador Romero Jucá (PMDB-RR), e ainda terá que passar por votação final na Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT).

Conforme a proposta, os usuários com contas no Facebook, Whatsapp ou Telegram, por exemplo, teriam de ser consultados antes de serem incluídos em cadastros ou receberem convites para participar de eventos em redes sociais. O PLS 347/2016 determina que essa anuência prévia deverá ser “livre, específica, inequívoca e informada”.

O projeto também especifica quem vai responder pelo descumprimento dessa exigência. Em primeiro lugar, o ônus da prova sobre o consentimento do usuário caberá ao provedor da aplicação. Se não tiver havido autorização prévia, o provedor terá a obrigação de reparar os danos decorrentes do uso indevido dos dados do internauta.

Responsabilidade

Vanessa pretendia responsabilizar ainda quem estivesse envolvido nos processos de inscrição, cadastramento ou criação de contas; na inclusão do internauta em rede ou mídia social; ou no envio de convite, em seu nome, para participação em rede ou mídia social. Assim, qualquer usuário nesta situação teria de responder solidariamente pela reparação dos danos junto com o provedor. Entretanto, uma das emendas de Jucá eliminou tal possibilidade.

“A culpa pela ausência de mecanismos que asseguram a coleta do consentimento prévio é da aplicação, e não dos usuários. Se, por exemplo, alguém pretende criar um grupo de interação no Whatsapp e, para isso, passa a indicar os usuários que deveriam integrar esse grupo, é responsabilidade do Whatsapp condicionar o efetivo ingresso do convidado no grupo ao seu prévio consentimento. O usuário que criou o grupo não possui condições técnicas de estabelecer esse mecanismo de coleta de consentimento prévio”, considerou Jucá no parecer.

Dano moral

Por outro lado, o relator teve a preocupação de estabelecer, expressamente, que a violação à intimidade na forma prevista no projeto cria presunção de dano moral ao internauta. Na sua opinião, isso é fundamental para dar efetividade à norma proposta, já que abre a possibilidade de o ofendido reivindicar indenização.

Ao justifica o PLS 347/2016, Vanessa Grazziotin avaliou que o Marco Civil da Internet ainda não regulamenta adequadamente o processo de captação e inclusão de membros pelas redes sociais.

“As empresas provedoras de aplicações de redes e mídias sociais competem agressivamente num mercado globalizado, que conta com milhões de usuários e movimenta bilhões de reais. Ocorre que a voracidade das empresas para conquistar usuários tem dado margem a abusos. É o caso, por exemplo, de algumas redes sociais que, de forma não autorizada, acessam a lista de contatos de seus membros para atrair novos usuários, convidando integrantes dessa lista, em nome dos respectivos membros, a ingressarem na rede. Tais práticas abusivas têm de ser coibidas”, sustentou Vanessa.


Versão digital da carteira de motorista é lançada em Pernambuco

por Adriana Rodrigues 24 de Janeiro de 2018 às 15:52
categoria: Tecnologia

Com implantação obrigatória em todo o País a partir de 1º de fevereiro de 2018, a versão digital da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) foi lançada em Pernambuco nesta quarta-feira (24), no Palácio do Campo das Princesas, no bairro de Santo Antônio, na área Central do Recife. O Estado é o primeiro do Nordeste a disponibilizar a CNH-e, que é válida para as pessoas que têm CNHs emitidas a partir de 22 de maio de 2017, pois apresentam QRCode.

A CNH eletrônica é a versão digital da carteira de habilitação, possui o mesmo valor jurídico da versão impressa. A CNH-e está disponível através de aplicativo no smartphone, o "CNH Digital". O documento impresso, porém, continua tendo validade e poderá ser emitido normalmente. Caso for parado em uma blitz, por exemplo, o motorista que não estiver de posse do documento impresso poderá utilizar o eletrônico, que deverá ser comprovado por meio de certificado digital ou com a leitura do QRCode.

Como já ocorre com a CNH impressa, os agentes de trânsito poderão consultar os dados dos documentos por meio de um aplicativo para fazer a leitura do QRCode. Para ter acesso ao CNH-e, o condutor deve se cadastrar no site do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), preencher os dados e ativar o cadastro através de link que será enviado pelo Denatran para o e-mail da pessoa. A ativação deve ser feita no aparelho em que a CNH-e será salva, que será protegido por um PIN, exigida todas as vezes em que o motorista quiser ter acesso ao documento.

Após o registro, a CNH digital é exportada para o aparelho. Caso queira, a pessoa pode bloquear o aplicativo, se o celular for roubado, por exemplo. Depois do cadastro no site do Denatran, o interessado deve ir a um dos postos de atendimento do Detran ou Ciretran's e cadastrar o e-mail e o telefone celular.

Histórico

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) aprovou no dia 15 de julho de 2017 a CNH-e, que deveria ser implantada pelos Departamentos Estaduais de Trânsito a partir de 1º de fevereiro de 2018. Em agosto, uma resolução do Contran mudou a data-limite de "a partir" para "até" o dia 1º de fevereiro. A CNH-e já foi lançada nos seguintes estados: Acre, Alagoas, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Rondônia, Rio Grande do Sul, Sergipe, Tocantins e no Distrito Federal.


Oi promete ampliar investimentos em 2018

por Adriana Rodrigues 17 de Janeiro de 2018 às 16:10
categoria: Tecnologia

Uma semana depois de ter o plano de recuperação judicial aprovado na Justiça do Rio de Janeiro, a Oi disse que o fim desse impasse vai possibilitar a ampliação dos seus investimentos anuais. A ideia é elevar este número de R$ 5 bilhões para R$ 7 bilhões já neste ano e foi anunciada pelo presidente da companhia, Eurico Teles, no Recife. 

O executivo explicou que a recuperação judicial vai permitir a elevação dos investimentos porque derruba de R$ 49,4 bilhões para R$ 23,9 bilhões a dívida da Oi. Mas o gestor também considerou um aumento de capital, que teria R$ 4 bilhões garantidos pelos credores da empresa, ao calcular a meta de investimento desse ano. “Os investimentos serão aumentados com recursos novos já garantidos pelos credores para o aumento de capital”, disse Teles.

Ainda segundo o executivo, esses R$ 7 bilhões serão aplicados na expansão da rede de fibra ótica, no aumento da cobertura 4G e na digitalização da Oi, sobretudo nas áreas onde a companhia tem boas perspectivas de crescimento. A ideia é aumentar a rentabilidade e a base de clientes da empresa. Hoje, a Oi tem 63 milhões de clientes no Brasil, sendo 4,2 milhões em Pernambuco. “Nosso intuito agora é fazer com que a Oi volte a ocupar o lugar de destaque que é dela no cenário nacional”, afirmou Teles, lembrando que, no terceiro trimestre do ano passado, a Oi já lucrou R$ 8 milhões, 2,3% mais que no trimestre imediatamente anterior. 

Empossado em novembro do ano passado, depois que Marco Schroeder renunciou à presidência da Oi, Eurico Teles veio ao Recife nessa terça-feira (16) para conhecer a nova sede da companhia na cidade, no bairro da Boa Vista. Esta foi a primeira regional a ser visitada pelo CEO da companhia, que pretende continuar rodando pelo Brasil nos próximos meses.


CRLVe: documento do veículo terá versão digital em 2018

por Adriana Rodrigues 13 de Dezembro de 2017 às 18:36
categoria: Tecnologia

Após a criação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) em versão digital, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran), através da resolução número 720, criou o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo Eletrônico (CRLVe). A resolução foi publicada nesta quarta-feira (13), no Diário Oficial da União e estabelece que o documento estará disponível em todo território nacional até o fim do próximo ano.

A publicação permite que o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) desenvolva a versão digital do documento do veículo, que atualmente só existe de forma impressa. A resolução também determina que os Departamentos de Trânsito Estaduais terão 180 dias para atualizar as bases de dados junto ao Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam), com as informações sobre débitos. O CRLVe só será emitido para os proprietários que pagarem todos os débitos.

Os departamentos estaduais terão até o dia 31 de dezembro de 2018 para oferecer a opção aos usuários, que deverão portar, ao conduzir, o documento tradicional (impresso) ou do documento eletrônico. O protótipo do novo CRLV está sendo desenvolvido pelo Denatran, juntamente com o Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) e deverá ser apresentado em breve.


TSE lança aplicativo para substituir título de eleitor em papel

por Adriana Rodrigues 1 de Dezembro de 2017 às 18:38
categoria: Tecnologia

O brasileiro poderá a partir de agora dispensar o uso do título de eleitor em papel. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) lançou nesta sexta-feira (1°) um aplicativo de celular que substitui a necessidade de portar o documento na hora de votar.

O e-título trará todas as informações que constam no papel e, para os eleitores que já fizeram o cadastramento biométrico – que inclui também foto –, bastará o celular para votar.

Para quem ainda não realizou a biometria, será necessário apresentar, além do aplicativo no celular, um documento com foto. Cerca de 47% dos 146,7 milhões de eleitores fizeram o cadastramento biométrico até o momento.

Para o presidente do TSE, ministro Gilmar Mendes, a iniciativa representará economia de recursos públicos, uma vez que não será mais necessário, por exemplo, reimprimir todos os títulos de eleitores que mudaram de zona eleitoral para as próximas eleições. "Tínhamos para isso [reimpressão de títulos] separados de R$ 200 milhões a R$ 230 milhões", disse o ministro, dinheiro que, em boa parte, deve ser economizado, segundo ele.

De acordo com o TSE, o aplicativo que dispensa o uso do título foi desenvolvido sem a necessidade de compra de qualquer equipamento ou contratação de serviço externo. A Corte Eleitoral, no entanto, não especificou quanto do orçamento interno do tribunal foi alocado para o projeto.

O aplicativo foi uma iniciativa do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Acre com o objetivo de evitar que moradores de localidades muito distantes tivessem de ir até o cartório eleitoral apenas para imprimir o título. Agora, bastará baixar o aplicativo, sendo obrigatório comparecer à sessão somente nos casos de primeiro registro.

Download

O e-título está disponível para aparelhos que funcionam com o sistema operacional Android, na Play Store. A versão para iPhone, que utiliza o sistema iOS, poderá ser baixada em no máximo 10 dias, de acordo com o TSE. Ainda não há previsão de lançamento para outro sistemas operacionais.


Ao lado de ministro, diretora SGRC assina documento de migração para FM das Rádios de Pernambuco

por Karine Paixão 15 de Setembro de 2017 às 12:07
categoria: Tecnologia



Com a presença do ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, foi assinada na manhã desta sexta-feira (15), no Palácio do Campo das Princesas, para o ato de assinatura dos processos de migração de rádios AM para FM em Pernambuco. O evento contou coma presença da diretora das rádios do Sistema Grande Rio de Comunicação, Ana Amélia Lemos que também é vice-diretora do Sertão do São Francisco da Associação de Empresas de Rádio e Televisão de Pernambuco (ASSERPE) e representou o presidente da entidade, Cléo Nicéas. 

No Estado, várias emissoras aguardavam tal autorização a exemplo das rádios do Sertão com prefixos históricos como as rádios Pajeú, de Afogados da Ingazeira, Agnus Dei/Cardeal, de Arcoverde, Asa Branca de Salgueiro e Educadora de Belém do São Francisco estão entre as que aguardavam o ato do Ministério. Exemplo a ser seguido, a Rádio Voluntários, integrante do Sistema Grande Rio de Comunicação e localizada em Ouricuri, foi a segunda em Pernambuco a realizar a migração. 

Tramitação

A assinatura do documento feita na manhã, desta sexta-feira (15), não quer dizer que haverá migração automática para FM, mas é passo determinante. Após o ato, as emissoras ainda cumprem protocolo técnico até a autorização definitiva. Há ainda os custos para a montagem do novo parque técnico das emissoras, já que boa parte dos atuais equipamentos não servem para FM.

A migração de rede AM para FM no Brasil começou em 2009. O motivo era o desejo dos radiodifusores de preservar seus conteúdos da frequência AM e também melhorar seus serviços com a faixa FM, que tem melhor qualidade de áudio.

As redes AM tem longo alcance, mas sofre com interferências eletromagnéticas devido aos ruídos elétricos urbanos.Já na rede FM, as ondas de rádio são mais uniformes e são menos afetadas por interferências externas.

A migração não é obrigatória, mas os radiodifusores optaram pela mudança para conservarem seus conteúdos. As rádios que optarem por continuar na faixa AM vão ter de se adequar a certas normas, como ter a potência mínima de mil watts em vez de energias instáveis.O não cumprimento das normas vai resultar no encerramento das atividades da rádio, isso se a potência for menor que a caracterizada no AM local.


Goiás será o primeiro estado a implantar a CNH digital; veja como solicitar

por Karine Paixão 5 de Setembro de 2017 às 09:05
categoria: Tecnologia



Goiás será o primeiro estado do país a implantar a Carteira Nacional de Habilitação Digital (CNH-e). O documento virtual terá a mesma validade do impresso e estará disponível para os goianos a partir do próximo dia 30. Quem for revalidar ou fazer alguma alteração poderá fazer a solicitação em qualquer agência do Vapt Vupt. A leitura será feita por meio de um aplicativo de smartphone.

Gerente de Habilitação do Departamento Estadual de Trânsito de Goiás (Detran-GO), Rodrigo Rezende acredita que o estado foi escolhido para iniciar a implantação da CNH-e pela qualidade no desenvolvimento de sistemas. Ele explica que o serviço está na fase final de implantação.

“Estamos fazendo testes de sistema. Hoje quem autoriza a CNH é o Denatran, e os sistemas têm que conversar”, explicou.

Quem tem direito

Para ter a carteira de motorista digital, o condutor precisará solicitar qualquer tipo de alteração que exija uma nova CNH, como o fim da validade, alteração de dados e autorização para atividade remunerada. Segundo Rezende, a expedição da modalidade digital não terá custo extra.

Atualmente, o condutor paga R$ 133,25 para o Detran para solicitar a carteira de motorista, além de outras taxas, como a do exame médico. De acordo com gerente, o governo estuda a elaboração de um projeto de lei para que haja a opção de emitir apenas a CNH-e. Neste caso, o motorista pagaria menos pelo serviço, visto que o documento não seria impresso. (G1)