asdasdasdasd

SES confirma caso de pernambucano com febre amarela

por Simone Marques 17 de Fevereiro de 2018 às 08:00
categoria: Saúde

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) confirmou, nesta sexta-feira, o primeiro caso de um pernambucano com febre amarela. O exame laboratorial divulgado hoje aponta que o homem de 45 anos morador da cidade de Bezerros, Agreste do estado, foi infectado após visita à área de risco de transmissão da doença no Estado de São Paulo. O paciente recebeu alta médica no dia 29 de janeiro, encontra-se bem e fora do período de viremia (sem o vírus no organismo).

Já o outro caso suspeito notificado, da filha dele, uma criança, teve resultado negativo. Desta maneira, até o momento, o estado de Pernambuco conta com quatro casos notificados de febre amarela, sendo três descartados e um confirmado. Todas as ocorrências foram importadas, de indivíduos que estiveram em áreas de risco.

A SES ressalta que esta confirmação não caracteriza a entrada do vírus da febre amarela em Pernambuco, que permanece sem registro de casos autóctones (cuja infecção se originou no próprio estado) e nem da circulação viral por meio de mosquitos ou primatas não-humanos infectados.

A partir da próxima semana, o Laboratório Central de Pernambuco (Lacen-PE) vai começar a realizar os exames sorológicos (IgM) para a febre amarela. Com a medida, as amostras de casos suspeitos não precisarão ser encaminhadas para os laboratórios nacionais de referência, sendo analisadas no próprio Estado e diminuindo o tempo de espera pelos resultados.  

 

Ainda de acordo com a secretaria, desde fevereiro de 2017 o estado vem realizando o monitoramento permanente de adoecimento ou morte de primatas não-humanos. Até o momento, não há nenhum indicativo para circulação do vírus da febre amarela em Pernambuco. Esse monitoramento é a principal forma de vigilância da doença, conforme os protocolos da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde (MS), já que as mortes de primatas são os principais sinalizadores (eventos sentinelas) da circulação local do vírus e, consequentemente, da possibilidade de casos em humanos. 

 

A SES ressalta, ainda, que já realizou capacitação com os profissionais de saúde e da rede hoteleira tanto do município de Bezerros quanto com as demais cidades da IV Gerência Regional de Saúde (Geres), com sede em Caruaru.  

 

ernambuco, por não ter a circulação do vírus da febre amarela, é considerado pelo MS e OMS como de baixo risco de transmissão da doença. Sendo assim, até o momento, a vacina continua sendo indicada apenas para aqueles que viajarão para as Áreas Com Recomendação de Vacina (ACRV). O Estado possui estoque suficiente de vacina para esta demanda e está em contato permanente com os municípios para fazer o abastecimento contínuo das secretarias de Saúde. Ressalta-se que, antes de se vacinar, o viajante deve estar atento às contra-indicações e grupos de risco, informando seu histórico médico aos serviços. (Diario de PE)

 


HRJ abre processo seletivo simplificado para cadastro reserva

por Simone Marques 14 de Fevereiro de 2018 às 16:01
categoria: Saúde

O Hospital Regional de Juazeiro-BA (HRJ) divulga nesta quarta-feira (14), por meio da Associação de Proteção à Maternidade e Infância de Castro Alves (APMI), processo seletivo externo simplificado, destinado a formação de cadastro reserva de equipes multidisciplinares de nível superior, técnico/médio e fundamental.

Os cargos disponíveis são nas áreas de Psicologia, Fisioterapia, Assistente Social, Nutrição, Farmacêutico, Técnico Segurança do Trabalho, Técnico de informática, Técnico de Enfermagem (Primeiro emprego), Motorista, Auxiliar Administrativo, Agente Operacional, Agente Administrativo e Auxiliar Técnico de manutenção.

As inscrições começaram hoje (16) e vão até a sexta-feira (16), através do envio de currículo para o e-mail: hrj.selecao@gmail.com.

O Processo Seletivo constará ainda de etapas de avaliação de conhecimentos e habilidades específicas ao cargo, de caráter eliminatório e classificatório.


Pernambuco registra primeira morte por suspeita de arboviroses

por Adriana Rodrigues 2 de Fevereiro de 2018 às 09:28
categoria: Saúde

Pernambuco registrou a primeira morte por suspeita de arbovirose do ano. Uma mulher, de 39 anos, moradora de Moreno teve a notificação do óbito no último dia 26. A causa da morte, no entanto, ainda não foi confirmada. Ano passado, nos primeiros dias, já tinham sido notificadas quatro mortes sob suspeita de arbovirose. Ainda de acordo com o último boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde, 50 municípios pernambucanos estão em situação de risco de surto, outros 83 estão em situação de alerta e apenas 47 têm situação considerada satisfatória. Ibimirim, Passira, Tracunhaém e Venturosa não informaram. 

 

Segundo a SES, somente após o diagnóstico laboratorial será possível ter a confirmação da causa da morte. Para isso, é feita uma minuciosa investigação domiciliar e hospitalar do óbito e uma discussão do caso no Comitê Estadual de Discussão de Óbitos por Dengue e outras Arboviroses. 

NOTIFICAÇÕES DE ARBOVIROSES NO ESTADO EM 2018

Entre 31 de dezembro e 27 de janeiro, foram notificados 408 casos de dengue em 62 municípios do estado. Desses, 20 já foram confirmados. No mesmo período de 2017, foram 953 cassos suspeitos. A redução é de 57,2%.

Para chikungunya, foram 100 notificações em 46 cidades com dois casos já confirmados. No mesmo período do ano passado, foram 450 registros, o que significa uma redução de 78%. 

Em relação ao zika vírus, já foram 14 notificações em cinco municípios. Todos os casos seguem em investigação. No ano passado, no mesmo período, foram 78 registros, a redução é de 85,7%.

FEBRE AMARELA

Nesta quinta-feira, a Secretaria de Saúde deu início à vigilância sentinela de macacos para averiguar possíveis causas para mortes de primatas, que podem ser por doenças como raiva, febre amarela ou outras zoonoses, no estado. A vigilância de epizootias é uma das estratégias para detecção precoce do vírus da febre amarela, já que os macacos doentes funcionam como sentinelas para a vigilância dessa doença em humanos (o mosquito pode se infectar com o animal e, em seguida, repassar para humanos). Em Pernambuco, não há registro da circulação da enfermidade desde a década de 1930. Até o momento, nenhum caso humano ou animal foi diagnosticado em Pernambuco. É importante destacar que o estado não é uma área com recomendação de vacinação para febre amarela. Somente devem ser vacinadas as pessoas que, comprovadamente, se deslocarão para as áreas de risco e/ou com recomendação de vacinação.


Prefeitura reforça o combate e a prevenção da Hanseníase na Penitenciária de Petrolina

por Adriana Rodrigues 2 de Fevereiro de 2018 às 09:20
categoria: Saúde

Com o objetivo de promover ações de combate à hanseníase, a Secretaria Municipal de Saúde realizou uma busca ativa na Penitenciária Dr. Edvaldo Gomes junto à população prisional de Petrolina. A atividade contou como culminância do “Janeiro Roxo”, campanha nacional que visa a conscientização e a luta contra o agravo.

Durante a ação foram feitas avaliações de contato para hanseníase, além de outros serviços, como busca ativa de sintomáticos respiratórios para tuberculose e realização de testes rápidos para HIV e Sífilis.

Para a diretora de Vigilância Epidemiológica, Aline Coelho, a atividade visa atender a um dos públicos mais vulneráveis na transmissão desses agravos. “Como os detentos vivem em espaço aglomerado fechado, podem estar mais susceptíveis a infecção, portanto, nós promovemos esse suporte para detecção precoce e tratamento em tempo oportuno, evitando assim as seqüelas advindas da doença. O tratamento é feito gratuitamente pelo SUS”, esclarece.


Vigilância Sanitária de Petrolina interdita consultórios odontológicos

por Simone Marques 30 de Janeiro de 2018 às 09:33
categoria: Saúde

Duas clínicas odontológicas, localizadas no Centro de Petrolina, foram interditadas durante uma ação de fiscalização da Agência Municipal de Vigilância Sanitária e Conselho Regional de Odontologia (CRO-PE), nesta segunda-feira (29). Os estabelecimentos não possuíam licença sanitária, além de irregularidades junto ao Conselho.

"Essa ação conjunta entre os órgãos é muito importante para o fortalecimento de vínculos, além de servir de exemplo para as demais clínicas que exercem atividades odontológicas. Essas fiscalizações visam à melhoria nos serviços e na saúde bucal da população. É válido ressaltar que realizamos diariamente essas inspeções, tanto em consultórios odontológicos, quanto em todos os outros segmentos de responsabilidade da Agência”, ressaltou o inspetor sanitário, Heberton Novaes.

A população também pode colaborar denunciando através da Ouvidoria do Município, pelo número 156, whatsApp (087) 9 9985-0081 ou pelo site: petrolina.pe.gov.br. A agência fica localizada na Rua São José, Nº 440, Centro.


Restaurante Popular de Petrolina se torna referência em segurança alimentar

por Simone Marques 29 de Janeiro de 2018 às 10:23
categoria: Saúde



Depois de receber uma série de melhorias e ser entregue de volta à população, o Restaurante Popular de Petrolina vem se tornando referência em alimentação no Nordeste. O equipamento chamou atenção do secretário executivo do Conselho de Desenvolvimento Rural Sustentável de Pernambuco, Ivaldo Ferreira, que visitou o espaço nesta sexta-feira (26).

O Diretor de Segurança Alimentar de Petrolina, Fausto Alencar, que recepcionou o secretário executivo, lembra que o objetivo do Restaurante Popular é oferecer um serviço de excelência à população. “O Restaurante tem atraído atenção de várias pessoas ligadas à questão alimentar porque este é um modelo de sucesso na segurança alimentar. Um ambiente agradável, alimentação de qualidade e higiene adequada é isso o que oferecemos aqui, diariamente”, disse.

Após conhecer o equipamento, Ivaldo Ferreira, elogiou o ambiente. “Saio daqui muito feliz porque é um grande prazer saber que tantas pessoas que antes viviam em situação de insegurança alimentar agora estão tendo a oportunidade de se alimentar aqui. Preciso parabenizar o prefeito do município por fazer parte deste sistema de fortalecimento da segurança alimentar em Pernambuco”, disse Ivaldo.

O equipamento que fornece mais de 1800 refeições por dia vem chamando atenção de diversas autoridades: em outubro de 2017, representantes do Ministério do Desenvolvimento Social da Argentina viajam ao Sertão pernambucano para conhecer a iniciativa. Poucos dias depois, o cônsul geral dos Estados Unidos, John Barrett, também visitou o equipamento no qual almoçou ao lado do prefeito Miguel Coelho.

O Restaurante Popular funciona na Rua Januário Alves, área central de Petrolina. No equipamento são oferecidas refeições, de segunda à sexta, em dois horários: das 11h às 13h30 e das 16h às 17h30. O almoço custa apenas R$ 1,50 e o jantar sai por apenas R$ 0,50.

    


Sobe para 4 número de notificações por suspeita de febre amarela em PE

por Adriana Rodrigues 25 de Janeiro de 2018 às 15:28
categoria: Saúde

A Secretaria de Saúde de Pernambuco (SES) foi notificada, na noite da quarta-feira (24), de um paciente com sintomas suspeitos de febre amarela. O homem, de 45 anos, é morador de Bezerros, no Agreste do Estado, e passou o período de festas de fim de ano em Mairiporã, em São Paulo, área com ocorrência da doença. Ao voltar para Bezerros, no último dia 4 de janeiro, começou a apresentar febre, vômito e dores abdominais. O paciente, que não é vacinado contra febre amarela, ainda apresentou alterações hepáticas, mas não tem alteração renal nem hemorragia. A filha dele, de 5 anos, também apresentou febre, vômitos e dores abdominais por cerca de cinco dias, no mesmo período em que começou os sintomas do pai. A criança, que também esteve em Mairiporã, já está com o quadro estável, mas também foi notificada como paciente suspeito por também ter apresentado sintomas suspeitos e não ser vacinada.

Com isso, sobre para quatro o número de notificações de pacientes suspeitos para febre amarela este ano em Pernambuco. Além dessas duas ocorrências em Bezerros, outras duas já foram descartadas para a doença.

As amostras coletadas para exames, do morador de Bezerros e da filha, serão enviadas para um laboratório de referência nacional. Ele foi atendido na manhã desta quinta-feira (25), no Hospital Universitário Oswaldo Cruz (Huoc), no bairro de Santo Amaro, área central do Recife, referência estadual em infectologia. Na unidade, foi avaliado pela equipe médica, que coletou material laboratorial. O caso será investigado tanto para febre amarela quanto para outras doenças que provocam esses sintomas, como hepatites, dengue e leptospirose. O paciente, que já apresenta quadro estável e em curva de melhora, recebe alta ainda hoje.


Reunião discute estratégias para reduzir o índice de faltas em consultas e exames pelo SUS em Petrolina

por Adriana Rodrigues 25 de Janeiro de 2018 às 15:25
categoria: Saúde

Com o objetivo de melhorar ainda mais o serviço de agendamento de exames e consultas especializadas, além de reduzir o alto índice de faltosos aos procedimentos, a Secretaria de Saúde de Petrolina promoveu, nesta quarta-feira (24), no auditório do Instituto de Gestão Previdenciária do Município (Igeprev), uma reunião com os profissionais responsáveis pela marcação de consultas da rede municipal de saúde.  Além disso, também foram passadas orientações sobre atendimento humanizado.

“Aproveitamos o momento para orientar esses profissionais sobre a importância da humanização do atendimento nas Unidades Básicas de Saúde. É dever do funcionário público, principalmente na área da saúde, acolher o paciente, atender com dignidade e prestar total assistência. Essa sempre foi a orientação da Secretaria de Saúde e estamos trabalhando para melhorar cada vez mais esse atendimento”, frisou a secretária executiva, Cassia Guimarães.

Absenteísmo

Desde o ano passado, a Secretaria de Saúde vem intensificando o trabalho para combater o número de faltosos. Em Petrolina, cerca de 40% dos pacientes que realizam marcações, não comparecem para a realização dos procedimentos do SUS. Segundo estudos, o índice aceitável é de 20% de faltosos. Uma equipe da Secretaria vem visitando as Unidades Básicas de Saúde e diversas residências nos bairros para saber os motivos das ausências.

“Faltar às consultas com especialistas e aos exames médicos marcados através do Sistema Único de Saúde (SUS) traz sérios problemas para o funcionamento do serviço. Estamos produzindo um relatório apontando todos problemas. Essa reunião realizada com os marcadores, faz parte das estratégias para diminuir esse índice”, frisou a secretária de saúde, Magnilde Albuquerque.

A orientação é que o paciente que estiver impossibilitado de ir aos agendamentos comunique em tempo hábil à unidade de saúde. “Isso permitirá que a equipe de marcação aproveite a vaga para outra pessoa que está aguardando. Outra orientação é que o paciente mantenha sempre o endereço e os telefones atualizados nas unidades", alertou a secretária.


Após exames, PE descarta os dois casos suspeitos de febre amarela

por Adriana Rodrigues 23 de Janeiro de 2018 às 15:48
categoria: Saúde

A Secretaria Estadual de Saúde (SES/PE) informa que já recebeu os resultados dos exames laboratoriais (PCR e IgM) da paciente de 37 anos notificada, no último dia 7, como suspeita para febre amarela. O resultado deu negativo para a doença e, por isso, o caso foi descartado.

Em relação ao paciente de 54 anos, residente no Distrito Federal, notificado no último dia 16, por não se enquadrar nos protocolos para um caso suspeito e ser vacinado, o Ministério da Saúde e a SES/PE também já o descartaram para a doença.

Detalhes dos casos

É importante ressaltar que ambos tiveram apenas quadro febril e sintomas brandos, como dores na cabeça e no corpo, e o segundo já havia sido vacinado. De acordo com os critérios da Organização Mundial de Saúde e do Ministério da Saúde, reproduzidos em Pernambuco, para se enquadrar como caso suspeito, o paciente, além da febre e ter residência ou passado por área de risco, precisa apresentar icterícia e/ou manifestação hemorrágicas e não ser vacinado ou ter vacina status vacinal ignorado, o que não ocorreu nos dois casos.


Especialista chama atenção sobre diagnósticos relacionados a alergia ao leite de vaca

por Simone Marques 23 de Janeiro de 2018 às 12:24
categoria: Saúde

Hoje (23) o Nossa Voz trouxe um assunto bastante comentado e temido entre os brasileiros, a alergia alimentar que é uma reação adversa a um determinado alimento envolve mecanismo imunológico, tem apresentação clínica variável e sintomas que podem surgir na pele e no sistema gastrointestinal e respiratório. 

Recebemos no programa o médico alergologista e imunologista Franklin Roosevelt, iniciou esclarecendo quais os principais sintomas da alergia á alimentos e como ela se desenvolve. O médico disse que a alergia alimentar é uma área extremamente complexa e importante, pois essa é a principal causa de anafilaxia que existe no mundo. É uma das piores reações alérgicas que um paciente pode ter, que é popularmente conhecida como fechar a garganta, parar de respirar.

Um dado que nos chama a atenção é que 50% das crianças com alergia à proteína do leite desenvolvem a tolerância com 1 ano de idade, cerca de 75% até os 3 anos e 90% até 6 anos de idade. Porém, atualmente as alergias estão se tornando mais graves, mais persistentes e essa estatística não reflete a realidade de grande parte dos casos de APLV no Brasil, gerando mais frustração do que conforto às famílias.

Atualmente podemos perceber que por um bom tempo atrás não se via falar tanto em alergia ao leite de vaca, porém hoje em dia se tornou mais comum e podemos ver cada vez mais fórmulas para bebês sem o uso da proteína do leite, inclusive com preços altíssimos. Questionado sobre o que tem levado à constatação mais intensa relacionada ao leite de vaca, Franklin disse que hoje em dia tem se diagnosticado muito a alergia ao leite de vaca, e alertou a importância de ser ter um diagnóstico mais preciso, principalmente por conta de dois fatores: custo, leites através de fórmulas com custo muito elevado, muito alto e segundo pela questão nutricional tanto da mãe como da criança.

"Hoje a gente fala que está ocorrendo uma epidemia de APLV e muita vezes hiperdiagnosticada, a alergia a proteína do leite de vaca ela precisa ter um cuidado muito grande no fechamento desse diagnóstico. O leite de vaca é um dos primeiros a causar reações nas crianças e principalmente nos bebês porque é o primeiro alimento introduzido na dieta. Você pode ter uma reação alérgica porque você tem uma carga genética, um componente genético pelo fator ambiental, por ser o primeiro alimento a ser consumido".

Um dos principais sintomas claros da alergia ao leite de vaca são manchas avermelhadas que cessam com o tempo, mas o primordial no diagnóstico são exames realizados para triagem dos pacientes para que se possa orientar bem a mãe e uma dieta extremamente restritiva. 

O médico também foi questionado se um paciente que apresenta reação a um determinado alimento, ele vai poder um dia voltar a ingeri-lo. "Principalmente nas crianças de até uns 13 anos, ela evitando completamente o alimento por volta dos 13 ou 16 anos a criança pode criar uma tolerância, não é cura, mas torna o fato de ela não estar mais exposta a esse alimento dá uma certa reprogramada no sistema imunológico para que ela não responda com crises no futuro a reingestão do alimento. Essa tolerância ela pode ser pro resto da vida ou transitório. Não se pode falar que é uma cura, pois alergia é imunológica", finalizou.