asdasdasdasd

Governo de PE promete mutirão para diminuir filas de exames no Hospital das Clínicas

por Adriana Rodrigues 20 de Julho de 2017 às 16:00
categoria: Saúde

A baixa quantidade de fichas para exames de ultrassonografia e um defeito no equipamento que imprime os exames de Raio-X têm causado filas e transtornos para pacientes do Hospital das Clínicas (HC), da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), na Zona Oeste do Recife. Para tentar diminuir o transtorno de quem espera até três dias em frente à unidade hospitalar, a Secretaria de Saúde de Pernambuco informou, nesta quarta-feira (19), que vai disponibilizar vagas para exames nas Unidades Pernambucanas de Atenção Especializada (Upaes). (Veja vídeo acima).

Em entrevista ao Bom Dia Pernambuco, a secretária executiva de Atenção à Saúde do estado, Cristina Mota, informou que um sistema online de gerenciamento vai direcionar os pacientes que estão na fila do HC às unidades de saúde geridas pelo estado. O foco principal é contemplar quem mora no interior e precisa ir à capital pernambucana para ser atendido.

Na prática, o HC, que recebe recursos do governo federal, vai lançar no sistema os nomes de quem aguarda na fila para os exames. Em seguida, a secretaria estadual vai mandar os doentes para unidades estaduais de saúde mais próximas de onde moram essas pessoas.

“Não vai ser preciso que o paciente marque os exames. Com o HC, vamos disponibilizar um sistema online, no qual todos os dados do paciente vão ser inseridos e, posteriormente, serão alertados do dia, hora e local do exame. Nosso foco vai ser no interior, onde o sofrimento é visivelmente maior. O paciente só precisa ir ao local, na hora marcada, e fazer o exame”, disse Cristina.

De acordo com superintendente do Hospital das Clínicas, Frederico Jorge Ribeiro, que também participou da entevista no Bom Dia Pernambuco, os pacientes prejudicados estão na lista de chamada para realizar os exames, quando o atendimento for restabelecido. Entre eles estão doentes que foram surpreendidos pela quebra no aparelho de impressão do Raio-X ou que não conseguiram vagas para ultrassom.

“Fizemos um rearranjo interno para zerar a fila de tomografia, por exemplo, e vamos repetir o esquema com as ultrassons. Os funcionários que fazem outros exames vão fazer mais ultrassons até que a fila zere. Já temos os nomes e telefones e vamos comunicar os pacientes assim que possível”, disse.


Petrolina: Comunidade do residencial Nova Vida I receberá serviços de saúde

por Adriana Rodrigues 20 de Julho de 2017 às 16:00
categoria: Saúde

Nesta sexta-feira (21) a comunidade do residencial Nova Vida I, em Petrolina, será beneficiada com uma ação de saúde preventiva. A atividade, que será realizada pela Unidade de Atendimento Multiprofissional (AME), do bairro Cacheado, será voltada para pacientes fumantes e contará com médico, enfermeiros, psicólogo, fisioterapeuta, educador físico, dentista e nutricionista.

 

O evento acontecerá na Rua Sibipiruna, Nº 181, das 8h às 12h, e ainda contará com atendimento aos beneficiários do Bolsa Família e com o a emissão do cartão SUS.

 

De acordo com a secretária executiva de atenção à saúde, Ana Carolina Freire, essas ações têm o objetivo de levar os serviços de saúde para as áreas descobertas. “ Estamos realizando essas ações frequentemente nas áreas mais afastadas do município. Trabalhamos a prevenção e promoção a saúde da população. É uma forma de levar os serviços da Secretaria de Saúde para perto das pessoas”, destacou.

 


Plano Municipal de Saúde de Petrolina é construído com participação popular

por Adriana Rodrigues 19 de Julho de 2017 às 07:41
categoria: Saúde

Com a participação de usuários, profissionais de saúde e equipe gestora, a 9ª Conferência Municipal de Saúde que teve como tema ‘Controle Social na construção de um SUS de qualidade para as cidadãs e cidadãos petrolinenses’, encerrou nesta terça-feira (18).

O evento aconteceu na Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina – FACAPE e teve como objetivo a elaboração de propostas para a construção do Plano Municipal de Saúde 2018/2021. Cerca de 250 pessoas participaram, durante dois dias, das discussões e elaboração de propostas.

 

A secretária de saúde, Magnilde Albuquerque, ressaltou a importância desse momento para a saúde pública em Petrolina. “Foi muito gratificante porque nós conseguimos, nesses dois dias, elaborar muitas propostas para qualificar o atendimento de saúde do município. O mais importante é que foram propostas que vamos poder implementar durante os próximos anos. Durante o evento tivemos a certeza que estamos todos do mesmo lado, do lado do SUS e da saúde de Petrolina. Nosso plano está pronto”, frisou.

 

A secretária Magnilde ainda ressaltou que esse ano de 2017 a gestão está trabalhando com o plano construído anteriormente, o que vem dificultando a execução de algumas atividades. “Estamos amarrados a determinadas propostas e não podemos fugir delas. Estamos trabalhando dentro do possível. Esse foi um ano muito difícil porque pegamos a secretaria muito debilitada, os postos precisando de reformas, faltando médico, remédios e estamos reconstruindo a saúde de Petrolina”, ressaltou.

O presidente do Conselho Municipal de Saúde, Edvaldo Landim, também destacou a participação da população na construção do plano. “Foi um momento democrático. Os participantes deram suas opiniões e os gestores conheceram um pouco mais da realidade da população, cada um colocou suas demandas, seus problemas e juntos construímos um plano que atendeu a todos”, explicou.

Para o líder comunitário, Gilvan Vicente, a Conferência Municipal atingiu seu objetivo. “ Enquanto líder comunitário e usuário da saúde pública posso afirmar que esse foi um momento importantíssimo. O evento foi muito bem organizado”, concluiu.


Sintrab repudia tratamento que gestão de Juazeiro tem dado aos profissionais de saúde

por Adriana Rodrigues 18 de Julho de 2017 às 11:18
categoria: Saúde

Os servidores da saúde de Juazeiro (BA), paralisaram as atividades nesta terça-feira (18), por 72 horas. Telma Marineide presidente do Sintrab (Sindicato dos Trabalhadores da Saúde na Prefeitura de Juazeiro) afirma que a expectativa do Sindicato é que haja negociação em sua totalidade. De acordo com ela, paralisação acontece por ausência de manifestação de recurso no processo judicial que trata da alteração da carga horária dos servidores públicos municipais da saúde. “A carga horária do servidor está desorganizada, uma vez que foi mudada em novembro alguns servidores para 30 h, horário corrido, a carga horária ininterrupta e alguns já trabalhavam desde antes de novembro com 30 horas, outros trabalhavam 40 horas e em vez de procurar organizar, a secretária infelizmente não procurou conhecer melhor o serviço e resolveu mudar de todos, por conta de uma ação civil pública, de uma provocação do Ministério Público que cabe defesa e um dos pedidos dos servidores é que a administração pública apresente defesa”, falou.

A justiça cobrou o funcionamento integral dos postos de saúde. Questionada se o Sintrab tá seguindo essa orientação, a presidente disse que o processo está em negociação e o município tem até o dia 22 para entrar com a defesa. Ela criticou a prefeitura, que para ela, está se escondendo por trás da decisão judicial. "Por enquanto é conversa fiada, uma vez que estão dizendo que estão colocando um 20 horas, outro 30 horas, mas na realidade se está respeitando uma decisão judicial e não se apresentou defesa, não tem nada regulamentado, então na realidade a administração está faltando com a verdade com os servidores", disparou.

Telma acredita que a qualidade dos serviços de saúde fica comprometida por falta de investimentos. Segundo ela,  como foi realizado um processo seletivo, com a contratação de mais profissionais seria possível melhorar o serviço público. "Existem várias situações que prejudicam a população, as necessidades básicas que o servidor não tem para ofertar a população, não é bem a falta de 2 horas desse servidor na unidade que vai atender as necessidades. Existe uma situação a ser resolvida pelo município e pelo sindicato e que nós estamos aqui a disposição da secretária para trabalhar junto, pra resolvermos juntos, pensando na população e nesses servidores", ressaltou.                                                                                         

Ronivaldo que faz parte da diretoria do Sintrab, ressalta que a carga horária não trouxe prejuízo a população, ele atribui os péssimos serviços a falta de condições de trabalho. “O número de atendimentos não reduziu, até ampliou quando funcionou de 8h ás 14h, onde o horário do almoço as mães que trabalham levam as crianças para serem atendidas, já que trabalham no horário comercial. As dificuldades não estão nos profissionais e sim nos serviços, a falta de material, a falta de condições de trabalho, de segurança, faltam medicamentos, insumos, é esse clamor que nós enquanto sindicato estamos fazendo. A saúde de Juazeiro está um caos. A administração procura fragmentar as categorias e nós estamos aqui para repudiar a atitude da secretária que vem com esse perfil, queremos respeito e que o tratamento seja feito na mesa de negociação", exigiu.

 


Paulo Câmara diz que Hospital da Mulher poderá ser construído em 2018

por Adriana Rodrigues 18 de Julho de 2017 às 09:10
categoria: Saúde

O Hospital Dom Malan/IMIP de Petrolina que atende a uma população de mais de 2 milhões de habitantes da Rede Interestadual de Saúde Pernambuco-Bahia (Rede PEBA) e que alcança mais de 50 municípios, tem enfrentado duras críticas da população, pela superlotação e falta de investimentos.

Durante coletiva com a imprensa, no Seminário Pernambuco em Ação, o governador Paulo Câmara (PSB), foi questionado sobre os problemas relacionados ao atendimento no HDM, que é de responsabilidade do Estado. Ele argumentou que as deficiências estãos relacionadas ao aumento na demanda."Infelizmente a crise faz com que as pessoas procurem mais o serviço público, isso fez com que os nossos hospitais recebessem muito mais hospitais do que antes. A gente tem buscado aumentar a oferta de serviços, o número de leitos, ver com os municípios o que é possível fazer para atuar conjuntamente. A cada oportunidade de expansão na área de saúde, de buscar  o melhor atendimento a gente tem procurado dar".

Ele destacou a necessidade de mais recursos para a construção do Hospital da Mulher, promessa de campanha, que ainda não foi cumprida."Faz parte do nosso planejamento. A gente quer ter um hospital da mulher em cada região do Estado, da macro-região. O hospital de Caruaru vamos entregar no final do ano e o próximo passo seria construir o Hospital da Mulher aqui em Petrolina, pra fazer os partos de alto riscos aqui da região. Tá planejado o problema é que 2017 ainda está indefinido, então essa indefinição faz com que tenhamos um pouco de prudência, se houver possibilidade em 2018 a gente inicia esse hospital", respondeu.


Não está encontrando seu remédio nas farmácias? Saiba o que fazer

por Adriana Rodrigues 18 de Julho de 2017 às 07:57
categoria: Saúde

Quando falta um medicamento na farmácia, a situação do paciente ou usuário do produto pode ficar mais complicada. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) orienta o que o cliente deve fazer nesses casos.

A primeira coisa a fazer é entrar em contato com o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) do laboratório. Também é possível consultar a lista de Descontinuação de Medicamentos.

Para o tratamento não ser prejudicado, a recomendação é de procurar produtos genéricos ou similares. O paciente também pedir ao médico que substitua o medicamento.

A descontinuação temporária ou definitiva de medicamentos é regulamentada pela resolução RDC 18/2014 que definiu regras para os laboratórios que vão interromper a fabricação de algum medicamento, provocando sua falta no mercado.

Os laboratórios devem informar com, pelo menos, 12 meses de antecedência, quando houver risco de desabastecimento de medicamentos únicos no mercado ou que representam uma fatia importante do abastecimento. A empresa deve manter o abastecimento durante os 12 meses. Quando há outras opções no mercado, o prazo é de 180 meses. Quando a interrupção for por motivo não previsível, este aviso deve ser feito em até 72 horas depois do fato que prejudica o fornecimento.

Se o laboratório não tiver seguido as normas, o consumidor pode fazer uma denúncia pela sessão Fale Conosco da Anvisa.

 Quais são os motivos para um medicamento não ser encontrado no mercado?

Ainda não existe registro no Brasil

O registro foi cancelado

O laboratório parou de fabricar o produto

Há problemas na distribuição do produto em sua cidade

O laboratório parou temporariamente de produzir o produto

O medicamento foi retirado do mercado pela Anvisa por problemas na qualidade.


HDM e UPAE lembram o Dia do Estatuto da Criança e do Adolescente

por Adriana Rodrigues 18 de Julho de 2017 às 07:44
categoria: Saúde

O Hospital Dom Malan e a Unidade de Pronto Atendimento e Atenção Especializada, ambos geridos pelo IMIP em Petrolina, trabalharam na última semana com os seus usuários o Dia do Estatuto da Criança e do Adolescente (13 de julho) com o objetivo de reforçar perante a sociedade esse instrumento legítimo de defesa e garantia de direitos dos menores de 18 anos.

Na UPAE, as assistentes sociais realizaram uma palestra de conscientização para o público do serviço de especialidades e distribuíram um material informativo falando sobre o ECA, que foi criado pelo governo federal através da Lei Federal Nº 8.069/93.

“O Estatuto estabelece os direitos e deveres das crianças e dos adolescentes de todo o país nas áreas de educação, saúde, trabalho e assistência social, e o cumprimento dessa lei é uma tarefa de toda a sociedade. Por isso, nós estamos trabalhando essa data tão importante”, ressaltou na ocasião a coordenadora do Serviço Social Nazaré Cunha.  

O ECA, em seus mais de 260 artigos, determina que haja responsabilidade de todos os setores que compõem a sociedade, e uma promoção ao respeito mútuo que precisa ser compartilhada.

“Aqui no Dom Malan nós fizemos uma abordagem com os pais e acompanhantes durante toda a semana, ressaltando a importância do Estatuto e os principais pontos que ele aborda. A equipe realizou essa sensibilização na urgência e emergência, alojamento conjunto, pediatria, alto risco e casa de apoio”, informa a também coordenadora do Serviço Social, Kátia Silene.

Crianças e adolescentes tem direito à proteção integral; à oportunidade do desenvolvimento físico, mental, moral, espiritual e social em condições de liberdade e dignidade; e não podem, em hipótese alguma, ser objeto de qualquer forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão; sendo punido, na forma da lei, qualquer atentado, por ação ou omissão, aos seus direitos fundamentais.

“Só para refrescar a memória podemos relembrar que antes desse instrumento as crianças e adolescentes não tinham direito a acompanhantes nos serviços de saúde. Então, graças ao ECA, esse e outros absurdos foram sanados. A data de criação do ECA deve ser lembrada sempre e por todos os setores da sociedade. Nós aqui estamos fazendo o nosso papel”, finaliza a assistente social do HDM, Cislene Bandeira.


Petrolina: licença sanitária será exigida de todos os estabelecimentos veterinários a partir de agosto

por Simone Marques 13 de Julho de 2017 às 14:00
categoria: Saúde

A partir do próximo mês, todos os estabelecimentos veterinários, a exemplo de clínicas, consultórios e pet shops, em Petrolina, deverão apresentar a licença sanitária.

Os interessados devem comparecer a Agência Municipal de Vigilância Sanitária (AMVS), com o cartão do CNPJ, para dar início ao protocolo de entrada do documento. A norma está descrita na Lei Federal 6437/77, Lei 8080/90 e no Código Municipal de Saúde 910/99.

O não cumprimento da norma acarretará em infrações sanitárias. Mais informações podem ser obtidas presencialmente no setor de protocolo da vigilância, localizada na Rua São José, nº 440, Centro de Petrolina, de segunda à sexta-feira, das 7h30 até as 17h, ou através do telefone (87) 3864-2738.


Número de cidades infestadas pelo Aedes em Pernambuco preocupa Secretaria de Saúde

por Karine Paixão 13 de Julho de 2017 às 11:35
categoria: Saúde



    

Pernambuco registrou, entre 1º de janeiro e 8 de julho deste ano, uma queda significativa nos casos suspeitos de arboviroses transmitidas pelo Aedes aegpyti (dengue, chicungunha e zika) em relação às notificações registradas no mesmo período em 2016. A redução, no entanto, não representa um cenário positivo, uma vez que o Estado vivenciou uma tríplice epidemia no ano passado e os números, à época, foram expressivamente maiores. Outra preocupação da Secretaria Estadual de Saúde (SES) são os novos números de índice de infestação predial do mosquito nas cidades pernambucanas. Atualmente, 99 municípios estão em situação de risco de surto.

“Nós temos que lembrar que, em 2016, Pernambuco passou por uma epidemia. Ao compararmos os casos notificados este ano com os registros do ano passado, a redução realmente é gigantesca. Mas no cenário atual, observamos que os casos das doenças estão aumentando a cada semana. O esperado era que as notificações caíssem ou, pelo menos, se mantivessem estáveis. “Mas, agora, o que mais preocupa a Secretaria são os municípios com elevada taxa de infestação do mosquito. Isso quer dizer que há circulação do vírus em condições ideais. Se temos esse cenário, a qualquer momento podemos passar por uma nova epidemia”, alerta Claudenice Pontes, gerente do Programa de Controle das Arboviroses da Secretaria Estadual de Saúde (SES).

Ainda de acordo com a gestora, os números das doenças poderiam ser maiores se não fossem as subnotificações. “Os dados são provenientes das notificações de pessoas que adoeceram e procuraram as unidades de saúde. Mas muitas pessoas não vão aos hospitais. Sem notificações nós não podemos desencadear ações de combate”, alerta. O cenário do último boletim foi amplamente discutido, na tarde dessa terça-feira (11), durante reunião do Comitê de Mobilização Social de Controle e Prevenção às Arboviroses na sede da SES, no bairro do Bongi, Zona Oeste do Recife.(Casa Saudável)


Petrolina supera meta da campanha de vacinação antirrábica em cães e gatos

por Simone Marques 13 de Julho de 2017 às 08:19
categoria: Saúde

No estado de Pernambuco a campanha de vacinação antirrábica foi prorrogada até o próximo dia 20, porém, de acordo com dados da Secretaria de Saúde de Petrolina, através do Centro de Controle de Zoonoses, o município já ultrapassou a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde.

Até esta terça-feira (11), já foram vacinados 32.456 da população canina e 7.485 de gatos. De acordo com o coordenador do Centro de Zoonoses, Alan Macêdo, a vacinação continua. O objetivo é cobrir toda a área do município.

“Os donos dos animais podem se dirigir a sede do CCZ para vacinar o seu animal. É importante ressaltar que apesar de já termos atingido a meta, estaremos indo para algumas localidades da zona rural do município que ainda não foram contempladas, bem como alguns residenciais aqui na zona urbana. No próximo domingo, por exemplo, vamos realizar a vacinação no Projeto N-1”, explicou.     

Animais a partir dos três meses de idade já podem receber a dose. “A vacina antirrábica é única forma de prevenção segura da doença”, frisou.