asdasdasdasd

Covid-19: 60% das pessoas que tiveram a doença no Brasil estão recuperadas

por Redação Nossa Voz 10 de Julho de 2020 às 15:35
categoria: Coronavírus

O boletim epidemiológico do Ministério da Saúde desta quinta-feira (9) apontou que aproximadamente 60% das pessoas que tiveram a Covid-19 estão recuperadas. O total de infectados no Brasil é de 1.755.779, sendo mais de 42 mil casos notificados no período de 24 horas. Desde o início da pandemia, pouco mais de 69 mil pessoas faleceram em decorrência da infecção causada pelo coronavírus.

Tocantins, Mato Grosso do Sul e Acre são os três estados menos afetados pela pandemia até então. Nas três primeiras posições de locais com maior incidência da Covid-19, estão São Paulo, Ceará e Rio de Janeiro. Segundo o Ministério da Saúde, quatro mil mortes ainda são investigadas e 632 mil casos estão sendo acompanhados.

Com informações da Agência do Rádio

Imagem Reprodução


Região Sul tem as maiores taxas de crescimento de casos e óbitos por Covid-19 na última semana

por Redação Nossa Voz 9 de Julho de 2020 às 18:12
categoria: Coronavírus

A região Sul do Brasil apresentou as maiores taxas de crescimento de casos confirmados e mortes por Covid-19 na última semana epidemiológica. Segundo o boletim divulgado pelo Ministério da Saúde, na coletiva desta quarta-feira (08), Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina somaram aumento de 36% nos registros confirmados e 27% nas mortes por coronavirus. 



A região Centro-Oeste também apresentou números expressivos na disseminação do vírus. Os casos confirmados tiveram aumento de 18% e os óbitos de 22%. O boletim do Governo Federal apontou também que a Covid-19 está presente em 96,4% dos municípios brasileiros, em um total de 5.371 cidades. 



“Na região Sul, houve um aumento significativo do número de óbitos para o interior. Temos uma preocupação com o avanço da doença na região Sul, Centro-Oeste e Sudeste, o que certamente tem uma explicação a ver com o estado sazonal desta época do ano”, pontou o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo Correia de Medeiros.

Fonte: Agência do Rádio

Imagem Cesar Lopes/PMPA


Coronavírus: Regiões onde moradores dependem do transporte público têm mais contaminação, diz estudo

por Redação Nossa Voz 7 de Julho de 2020 às 16:01
categoria: Coronavírus

Um estudo do Instituto Pólis concluiu que a covid-19 tem se propagado com maior intensidade em regiões da capital paulista onde os moradores dependem mais de transporte público para trabalhar. A pesquisa foi elaborada em parceria com o Laboratório Espaço Público e Direito à Cidade (LabCidade), vinculado à Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (USP).

Para realizar a análise, os especialistas reuniram dados da SPTrans sobre a circulação de ônibus municipais; da Pesquisa Origem Destino de 2017, da Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô de São Paulo); e registros do DataSUS, vinculado ao Ministério da Saúde. 

Do sistema DataSUS foram extraídas informações que documentaram, até 18 de maio, hospitalizações de pacientes com a covid-19 e Síndrome Respiratória Aguda e Grave (SRAG) não identificada e óbitos pós-internação. 

A associação dos indicadores permitiu aos pesquisadores mapear os pontos do município que apresentam maior número de internações. Na lista, destacam-se bairros como Capão Redondo, Cidade Ademar e Jardim Ângela, na zona sul; Brasilândia e Cachoeirinha, na zona norte; e Sapopemba, Cidade Tiradentes, Itaquera e Iguatemi, na zona leste.

Para o levantamento, foram consideradas somente pessoas que utilizam o transporte público para trabalhar, que não têm diploma universitário e que ocupam cargos não executivos. Tais critérios foram adotados porque se partiu do pressuposto de que, em geral, pessoas com nível superior, que trabalham por conta própria, ou seja, são profissionais liberais, ou que ocupam cargos executivos, aderiram ao home office, não precisando se deslocar até o local de trabalho.

Os pesquisadores observaram que, apesar de terem associado às taxas de infecção e mortalidade a de adesão ao transporte público, não se pode afirmar com certeza que o contágio ocorreu dentro dos veículos. Contudo, admitem, que é possível dizer que as pessoas mais expostas à doença têm sido as que precisam furar a quarentena para trabalhar.

Fonte: Agência Brasil 

Imagem: Roberto Casemiro/Fotoarena/Estadão Conteúdo

 

<div class="see-later see-later-large" "="" data-url="https://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2020/07/03/integrante-do-centro-da-covid-19-em-sp-se-preocupa-com-transporte-publico.htm" data-title="Integrante do centro da covid-19 em SP se preocupa com transporte público" data-image="http://conteudo.imguol.com.br/c/noticias/ed/2020/05/14/numero-de-passageiros-no-transporte-publico-aumenta-com-megarrodizio-em-sao-paulo-na-foto-terminal-de-onibus-na-estacao-sao-paulo-morumbi-do-metro-nesta-quarta-feira-13-1589498340679_v2_615x300.jpg" uolbpack-initialized="true" style="list-style: none; margin: 0px; padding: 0px; box-sizing: border-box; -webkit-font-smoothing: antialiased; -webkit-tap-highlight-color: rgba(0, 0, 0, 0); position: relative; display: table-cell; vertical-align: middle;">

 


Jair Bolsonaro testa positivo para Covid-19

por Redação Nossa Voz 7 de Julho de 2020 às 15:49
categoria: Saúde

Nesta terça-feira (7) o presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou que testou positivo para covid-19. Ele diz que teve febre de 38 graus, dor no corpo e mal-estar. Ele também relatou que se sente 'perfeitamente bem'. Bolsonaro declarou que tomou hidroxicloroquina, remédio que vem defendendo o uso para o combate à doença provocada pelo novo coronavírus. Até o momento, nenhum estudo científico comprova a eficácia desse medicamento.

"Estou bem, estou normal. Em comparação a ontem [segunda], estou muito bem. Estou até com vontade de fazer uma caminhada, mas não vou fazê-lo por recomendação médica, mas eu estou muito bem", disse.

Bolsonaro informou que irá trabalhar através de videoconferência em sua residência oficial no Palácio da Alvorada e cancelou a agenda de viagens que iria fazer para os estados da Bahia e Minas Gerais.

"Vamos tomar cuidado, em especial com o mais idosos e que têm comorbidade, os mais jovens tomem cuidado, mas se forem acometidos do vírus, fiquem tranquilos que para vocês a possibilidade de algo mais grave é próximo de zero", afirmou.

Com informações do site iBahia

Imagem: Palácio do Planalto


Bolsonaro sanciona lei que torna obrigatório o uso de máscara

por Milena Pacheco 4 de Julho de 2020 às 09:32
categoria: Saúde

Medida foi publicada hoje no Diário Oficial da União

O presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei que torna obrigatório o uso de máscaras de proteção individual em espaços públicos e privados, mas acessíveis ao público, durante a pandemia de covid-19. A Lei nº 14.019/2020 foi publicada hoje (3) no Diário Oficial da União e diz que as máscaras podem ser artesanais ou industriais.

A obrigação, entretanto, não se aplica a órgãos e entidades públicos. Esse e outros dispositivos foram vetados pelo presidente, que justificou que a medida criaria obrigação ao Poder Executivo e despesa obrigatória sem a indicação da fonte dos recursos.

Pelo texto publicado no Diário Oficial, a obrigatoriedade do uso da proteção facial engloba vias públicas e transportes públicos coletivos, como ônibus e metrô, bem como em táxis e carros de aplicativos, ônibus, aeronaves ou embarcações de uso coletivo fretados.

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

De acordo com a nova lei, as concessionárias e empresas de transporte público deverão atuar com o poder público na fiscalização do cumprimento das normas, podendo inclusive vedar a entrada de passageiros sem máscaras nos terminais e meios de transporte. O não uso do equipamento de proteção individual acarretará multa estabelecida pelos estados ou municípios. Atualmente, diversas cidades já têm adotado o uso obrigatório de máscaras, em leis de alcance local.

Os órgãos e entidades públicos, concessionárias de serviços públicos, como transporte, e o setor privado de bens e serviços deverão adotar medidas de higienização em locais de circulação de pessoas e no interior de veículos, disponibilizando produtos saneantes aos usuários, como álcool em gel.

O texto prevê que pessoas com transtorno do espectro autista, com deficiência intelectual, com deficiências sensoriais ou com quaisquer outras deficiências que as impeçam de fazer o uso adequado de máscara de proteção facial estarão dispensadas da obrigação do uso, assim como crianças com menos de 3 anos. Para isso, eles devem portar declaração médica, que poderá ser obtida por meio digital.

Vetos

O presidente Bolsonaro vetou ao todo 17 dispositivos do texto que foi aprovado no Congresso no dia 9 de junho, alegando, entre outras razões, que criariam obrigações a estados e municípios, violando a autonomia dos entes federados, ou despesas obrigatórias ao poder público sem indicar a fonte dos recursos e impacto orçamentário. As razões dos vetos, que também foram publicadas no Diário Oficial da União, serão agora analisadas pelos parlamentares.

Um dos trechos vetados diz respeito ao uso obrigatório de máscara em “estabelecimentos comerciais e industriais, templos religiosos, estabelecimentos de ensino e demais locais fechados em que haja reunião de pessoas”. Em mensagem ao Congresso, a Presidência explicou que a expressão “demais locais fechados” é uma “possível violação de domicílio por abarcar conceito abrangente de locais não abertos ao público”. Como não há possibilidade de vetar palavras ou trechos, o presidente vetou o dispositivo todo.

Também foi vetada a proibição da aplicação da multa pelo não uso da máscara à população economicamente vulnerável. Para a Presidência, ao prever tal exceção, mesmo sendo compreensível as razões, “o dispositivo criava uma autorização para a não utilização do equipamento de proteção, sendo que todos são capazes de contrair e transmitir o vírus, independentemente de sua condição social”.

A proposta aprovada pelo Parlamento também previa a obrigatoriedade do poder público de fornecer máscaras à população economicamente vulnerável, por meio da rede Farmácia Popular do Brasil. Além de criar despesa obrigatório, de acordo com a Presidência, “tal medida contrariava o interesse público em razão do referido equipamento de proteção individual não ter relação com o Programa Farmácia Popular do Brasil”.

Atendimento preferencial

Um dos artigos da nova lei garante ainda o atendimento preferencial em estabelecimentos de saúde aos profissionais de saúde e da segurança pública diagnosticados com covid-19. (Fonte: Agência Brasil/Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)


Unidade Móvel de Atendimento Médico passará por 23 comunidades rurais de Petrolina em julho

por Milena Pacheco 1 de Julho de 2020 às 11:19
categoria: Saúde

Neste mês de julho, a Unidade Móvel de Atendimento Médico da Prefeitura de Petrolina vai contemplar 23 localidades da zona rural do município. O objetivo é facilitar o acesso aos serviços médicos para a população que reside em áreas distantes da cidade e que não possuem postos de saúde.

O atendimento terá início às 8h da manhã e não é preciso realizar agendamento. Além do atendimento médico, serão oferecidos serviços como: aferição de pressão arterial, teste de glicemia, entrega de medicamentos, solicitação de exames e de consultas especializadas.

Confira o cronograma:

01/07 – Água Branca

02/07 – Assent. José Almeida

03/07 – Federação

06/07 – Bom Jardim

07/07 – Satisfeito I

08/07 – Baixa Alegre

09/07 – Sítio Novo

10/07 – Lindolfo Silva

13/07 – Nova Vida

14/07 – Baixa do Lajedo

15/07 – inhuma

16/07 – Caldeirão

17/07 – Barrero

20/07 – Simpatia

21/07 – Barra Franca

22/07 – Rio Pontal

23/07 – Manga Nova

24/07 – Mirador

27/07 – Sítio Romão

28/07 – Porto da Ilha de Cima

29/07 – Miradouro

30/07 – Sítio Mandacaru

31/07 – Poço da Cruz

(Ascom PMP)


Dormentes: Campanha contra gripe termina nesta terça (30) e vacina para sarampo é prorrogada

por Milena Pacheco 30 de Junho de 2020 às 15:11
categoria: Saúde

Quem ainda não se vacinou contra a gripe em Dormentes, tem até esta terça-feira (30) para procurar a Unidade de Saúde mais próxima e se imunizar. Já os retardatários da vacina contra o sarampo, ganharam mais um mês de prazo, com a prorrogação do Ministério da Saúde, que segue agora até o dia 31 de agosto. 

A campanha contra o sarampo tem como público-alvo jovens e adultos de 20 a 49 anos, independente de já terem recebido doses anteriores da vacina. “Considerando que a circulação do vírus do sarampo se mantém ativa no Brasil e diante das baixas coberturas vacinais, o Ministério da Saúde informou que a estratégia de vacinação foi prorrogada em todo o País”, informou a secretária de Saúde, Talita Mirele. 

O prazo para o fim da campanha contra a gripe, continua o mesmo, 30 de junho. A vacina que protege contra os vírus influenza A (H1N1 e H2N3) e influenza B Victoria, está disponível para gestantes, crianças de seis meses a menores de seis anos, mulheres no pós-parto e adultos de 55 a 59 anos. Segundo a VIII Gerência Regional de Saúde (Geres) apenas o grupo de puérperas conseguiu ultrapassar a meta de 90% estipulada pelo Ministério da Saúde, com 125,93% do grupo vacinado. “Neste momento, com aumento de casos da Covid-19, a prevenção contra outras doenças se torna fundamental”,  ressalta a coordenadora de Vigilância em Saúde, Jane Karine Lima Costa Amorim. 

Atendimento Noturno:

A Secretaria de Saúde informa que o último dia de vacinação terá horário especial, das 8h às 12h e durante o atendimento noturno, realizado das 18h às 21h em todas as unidades básicas de saúde da sede e do interior.

O Atendimento será realizado nesta terça-feira (30) e é voltado para a população que por algum motivo não pode usufruir dos atendimentos de saúde em horário regular. (Fonte: Blog Nossa Voz/Foto: Divulgação)


Petrolina está com taxa de ocupação de 100% nos leitos de UTI da rede pública

por Milena Pacheco 25 de Junho de 2020 às 10:01
categoria: Coronavírus

No último descritivo de ocupação das redes pública e privada de Petrolina, um dado preocupante chamou atenção. Todos os leitos de UTI do município estão ocupados.

Até o momento, a rede pública dispõe de 20 leitos da UTI, 10 no Hospital Universitário – unidade referência da Rede PEBA, cinco no Hospital Memorial e outros cinco no Neurocárdio. Vale destacar que 50% dos pacientes internados são de Petrolina. Os demais são de Juazeiro, Dormentes, Petrolândia e Lagoa Grande.

Foto: divulgação PMP

Ao Nossa Voz, a Prefeitura de Petrolina informou que está aguardando a ampliação de leitos de UTI, através do Governo de Pernambuco, conforme compromisso firmado anteriormente.

Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde informou que já pactuou com a Univasf o envio de 40 respiradores para o Hospital Universitário da instituição, que também disponibilizará novas vagas de UTI na unidade. Além disso, outros 40 leitos, sendo 20 de UTI, também serão abertos, ao longo das próximas semanas, na UPAE de Petrolina. (Fonte: Blog Nossa Voz/Foto: Reprodução)


Bairros de Petrolina vão receber lavatórios públicos

por Milena Pacheco 23 de Junho de 2020 às 09:56
categoria: Saúde

Iniciativa da UNINASSAU visa oportunizar a higienização das mãos

Lavar as mãos com água e sabão, ato simples, e que previne e reduz a proliferação do novo coronavírus (covid-19). Para colaborar nesse combate, a Faculdade UNINASSAU Petrolina criou o projeto “Pia Solidária”. A ação tem como objetivo a instalação de quatro lavatórios públicos em áreas de feiras livres de bairros da cidade.

De acordo com o coordenador do curso de Engenharia da UNINASSAU, Nielton Araújo, a engenharia pode atuar em diferentes contextos. “Estamos contribuindo para o combate ao covid-19. Nesse projeto utilizamos os conhecimentos das áreas civis, elétrica e mecânica, de produção para construir mais uma ferramenta de incentivo à higienização das mãos. Parabéns aos professores Audrey Nogueira e Kamilla Brito que desenharam o projeto e estão implementaram a ideia”, explica.

O diretor da Instituição, Sérgio Murilo Corrêa, pontua que “é mais um projeto que pretende ajudar nossa cidade para redução dos casos positivos da doença, além de sensibilizar a população para importância de manter as mãos higienizadas. A UNINASSAU vem pensando, de forma continuada, em ações que atendam à comunidade em suas necessidades”.   

Os equipamentos estarão em funcionamento a partir do próximo final de semana nos bairros São Gonçalo, Areia Branca, José e Maria e João de Deus. A escolha atende as zonas norte, leste e oeste da cidade.  O projeto tem parceria com a Prefeitura Municipal, que ficará responsável pelo abastecimento do sabão e segurança dos lavatórios.  

Com informações Assessoria/Foto: Divulgação


Mais de 20 milhões de pessoas ainda não se vacinaram contra a gripe

por Milena Pacheco 23 de Junho de 2020 às 09:49
categoria: Saúde

Até o momento, foram imunizadas 58 milhões

O Ministério da Saúde informou que 20,8 milhões de pessoas ainda não se vacinaram contra a gripe. A campanha termina no próximo dia 30 de junho e, até o momento, foram vacinados 58 milhões de pessoas, que correspondem a 84% do público-alvo. A meta é de 90%.

A vacina da gripe protege contra os três subtipos do vírus influenza que mais circularam no último ano no Hemisfério Sul, de acordo com determinação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Segundo o ministério, a vacina é segura e reduz as complicações que podem levar a casos graves da doença e óbitos.

Devido à pandemia de covid-19, o início da campanha foi antecipado para 11 de março. O Ministério da Saúde destaca que a vacina contra gripe não tem eficácia contra o novo coronavírus, mas pode ajudar os profissionais de saúde na exclusão do diagnóstico para covid-19, já que os sintomas são parecidos, além de reduzir a procura por serviços de saúde.

Entre os grupos prioritários, os idosos foram o que tiveram melhor desempenho na campanha, com cobertura de 118,4%. Em seguida, estão os trabalhadores da área da saúde que chegaram à marca de 112,8% do grupo vacinado. Enquanto isso, o grupo com menor cobertura vacinal é o das gestantes, com cobertura vacinal de 53%, seguidas das crianças até cinco anos de idade, com 53,2% e puérperas (mulheres até 45 dias após o parto) com 63,8% do público vacinado.

De acordo com o ministério, a pasta tem orientado todas as equipes de saúde do país quanto às medidas de segurança para evitar infecções e realizar uma vacinação segura para a população e as equipes de saúde. “Mesmo neste momento em que o mundo vive a pandemia causada pela covid-19, com o isolamento social e o receio das famílias em ir aos postos de saúde, o Ministério da Saúde alerta que se manter imunizado é uma questão de proteção social”.

O público-alvo da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe deste ano é formado por idosos com 60 anos ou mais de idade, trabalhadores da saúde, membros das forças de segurança e salvamento, pessoas com doenças crônicas ou condições clínicas especiais, caminhoneiros, motoristas e cobradores de transporte coletivo, trabalhadores portuários, povos indígenas, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional, pessoas com deficiência, professores de escolas públicas e privadas, crianças de 6 meses a menores de 6 anos, gestantes, puérperas (pós-parto até 45 dias) e pessoas de 55 a 59 anos de idade. (Fonte: agenciabrasil/Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)