asdasdasdasd

Prevista para esta terça-feira (28), divulgação dos resultados do Sisu 2020 segue suspensa

por Karine Paixão 28 de Janeiro de 2020 às 11:47
categoria: Educação

Prevista inicialmente para acontecer às 9h desta terça-feira (28), a divulgação dos resultados do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) 2020 segue suspensa, após decisão da presidente do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3), desembargadora Therezinha Cazerta.

A magistrada negou, na noite do domingo (26), um pedido da Advocacia-Geral da União (AGU) contra a suspensão da divulgação do resultado do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) como previsto no calendário do Ministério da Educação. A decisão do TRF3 mantém em vigor uma liminar concedida pela Justiça Federal de São Paulo.

Segundo Cazerta, os entendimentos da decisão provisória proferida Justiça Federal de São Paulo "nada mais fizeram do que proteger o direito individual dos candidatos do Enem a obterem, da administração pública, um posicionamento seguro e transparente a respeito da prova que fizeram".

O governo, por meio da AGU, recorreu ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), para garantir a divulgação dos resultados do Sisu 2020 e a abertura das inscrições do Programa Universidade para Todos (ProUni) 2020. Os programas são as 'portas de entrada' dos estudantes no ensino superior. A expectativa é que o STJ atenda ao recurso da AGU e libera a divulgação dos resultados ainda nesta terça-feira (28).

Com a indefinição da data de divulgação do resultado do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), as universidades provavelmente terão que readequar seus calendários acadêmicos. As matrículas estavam previstas para começar nesta quarta-feira (28) e seguirem até terça-feira (4) da próxima semana. Por enquanto, as três maiores instituições de Pernambuco que participam do sistema – UFPE, UFRPE e UPE – ainda não anunciaram alterações em seus cronogramas. Das 237.128 vagas abertas no País, 14.931 estão no Estado.


TRF-3 nega pedido do governo e mantém suspensa divulgação do resultado do Sisu

por Adriana Rodrigues 27 de Janeiro de 2020 às 12:03
categoria: Educação

(Foto: reprodução)



A presidente do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3), desembargadora Therezinha Cazerta, rejeitou na noite deste domingo (26) pedido da Advocacia-Geral da União (AGU) para derrubar a decisão que suspende a divulgação do resultado do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) assim que as inscrições fossem encerradas. O governo ainda pode recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) ou ao Supremo Tribunal Federal (STF). A AGU disse que recorrerá da decisão da desembargadora, mas ainda avalia se o recurso será apresentado ao STJ ou ao STF.

Com a decisão do TRF-3, segue em vigor a liminar (decisão provisória) concedida pela Justiça Federal de São Paulo – que impede que os resultados sejam divulgados na terça-feira (28), data estimada pelo governo. Para a presidente do TRF-3, os entendimentos da Justiça Federal de São Paulo “nada mais fizeram do que proteger o direito individual dos candidatos do Enem a obterem, da administração pública, um posicionamento seguro e transparente a respeito da prova que fizeram”.

“Dar prosseguimento ao cronograma, nessa direção, sem enfrentar adequadamente as consequências de algo ocasionado pela própria União Federal é que é um risco à política educacional do país, e não o contrário, porque implica, como fica claro do que consta nestes autos, validar os resultados de um exame, utilizando-o para definir o futuro das pessoas e balizar políticas públicas, sem que houvesse um grau mínimo de transparência a respeito dos pedidos apresentados pelos candidatos e uma reavaliação do impacto que o equívoco teve para os demais candidatos”, afirma Therezinha Cazerta na decisão.

A 8ª Vara Cível de SP ordenou que o governo comprove que o erro na correção das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 foi totalmente solucionado. Para a AGU, a decisão de São Paulo representa “prejuízo a todos os estudantes que obtiveram nota necessária e que não poderão ingressar desde logo e mais brevemente em instituição pública de ensino superior”. (com informações G1)


Faculdade abre inscrições de novas especializações na área de Direito em Petrolina

por Adriana Rodrigues 24 de Janeiro de 2020 às 12:14
categoria: Educação

(Foto: reprodução)

A Faculdade UNINASSAU Petrolina está com a oferta de especializações nas áreas de Direito do Trabalho e Previdenciário e Direito Penal e Processo Penal. As novas turmas devem iniciar em março e as inscrições podem ser feita no site.

A novidade atende uma demanda do mercado por profissionais especialistas nesses ramos. “As mudanças nas leis e o atual contexto do país são situações propícias para aprofundar o conhecimento nas áreas trabalhista e previdenciária. É um mercado crescente e promissor que demanda especialização para aproveitar as boas oportunidades”, frisou a coordenadora do curso, Ariana Andrade.

As especializações têm duração de 18 meses com aulas mensais. A coordenadora de Pós-Graduação da Instituição, Kelly Ferreira, destaca que “usamos a metodologia de ensino ARP que visa convergir teoria e prática, trazendo os estudantes para a realidade profissional e, assim, mostrar como os conteúdos são aplicados no dia a dia”, disse.

Outras informações podem ser obtidas pelos telefones (74) 9 9110-2918 e (74) 9 8858-5888.


Candidatos prejudicados em correções podem acionar MEC e Inep na Justiça

por Adriana Rodrigues 23 de Janeiro de 2020 às 12:15
categoria: Educação

(Foto: Carlos Cecconello/Folhapress)

Ensino Médio causou transtornos aos estudantes que prestaram o exame. Na primeira edição sob comando do governo Jair Bolsonaro, 6 mil candidatos foram prejudicados pelos erros atribuídos à gráfica contratada.

A medida a ser tomada é acionar juridicamente o Ministério da Educação e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsáveis pela prova. A Justiça não vai mudar a nota final do candidato, mas pode obrigar o MEC e o Inep a fazerem uma nova correção.

Além da Defensoria Pública da União (DPU) e do Ministério Público Federal (MPF), advogados particulares podem atuar nessa situação.

Para dar início a uma ação judicial, é preciso que o candidato reúna documentos de identificação com foto, comprovante de endereço (que pode estar em nome de terceiros), comprovante de inscrição no Enem ou comprovante de nota no exame, e, se houver, a reclamação pelo e-mail que o MEC disponibilizou.

No caso dessa iniciativa em específico, é solicitado também que o candidato apresente comprovante e hipossuficiência, alegando a impossibilidade financeira de contratar um advogado. O mesmo requisito é cobrado pela Defensoria Pública da União. (Com informações: Bahia. Ba)


Inscrições no Sisu começam hoje com 14.931 vagas em Pernambuco

por Adriana Rodrigues 21 de Janeiro de 2020 às 16:00
categoria: Educação

Foto: Tarciso Augusto/Esp.DP)

As inscrições no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) começam hoje e tiveram o prazo ampliado em dois dias por causa dos erros reconhecidos pelo Ministério da Educação (MEC) na divulgação de notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A plataforma estará aberta até este domingo (26) e não mais até a sexta-feira (24), como previsto anteriormente. De acordo com o MEC, as inconsistências ocorreram em cerca de 6 mil provas dos 3,9 milhões de participantes do Enem 2019. No Sisu 2020.1, entre as universidades e institutos federais de Pernambuco, 14.931 vagas são oferecidas.

Das vagas oferecidas no estado, 6.982 são na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), nos campi Recife, Caruaru e Vitória de Santo Antão. A Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) é a segunda instituição com o maior número de vagas. São 4.340 em 73 cursos, sendo 2.170 na ampla concorrência e 2.170 no sistema de cotas. A Universidade de Pernambuco (UPE) disponibiliza 1.740 vagas de 64 cursos pelo sistema. Dessas, 1.397 são pela ampla concorrência e 343 por ações afirmativas. A Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) oferece 800 vagas em Pernambuco, sendo 720 em Petrolina e 80 em Salgueiro.

O Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) oferece 390 vagas de 10 cursos pelo Sisu. Do total, 135 são pela ampla concorrência, 20 de ações afirmativas e 235 pela Lei de Cotas. Já o Instituto Federal do Sertão Pernambucano (IF Sertão) tem 22 cursos com 679 vagas – sendo 315 pela ampla concorrência, 22 por ações afirmativas e 342 pela Lei de Cotas – no Sisu.

Já aprovada em primeiro lugar entre os cotistas do Sistema Seriado de Avaliação (SSA) da Universidade de Pernambuco, Ana Carolina do Carmo Santos, 17 anos, também vai tentar uma vaga pelo Sisu. A primeira opção no sistema será medicina na UFPE. A segunda opção, medicina na UPE. “Já estou aprovada na UPE, mas vou tentar novamente lá, desta vez pelo Sisu, pois se eu for aprovada por ele, a minha vaga pelo SSA é liberada (para um candidato que está no remanejamento”, disse. Ana Carolina pretende fazer a inscrição no primeiro dia e acompanhar diariamente as notas de corte.

Pode fazer a inscrição no Sisu no primeiro semestre de 2020 o estudante que participou do Enem de 2019, obteve nota na redação diferente de zero e não tenha sido “treineiro” (participante que concluirá o ensino médio após o ano letivo de 2019; não esteja cursando ou não concluiu o ensino médio) no exame. É necessário informar o número de inscrição do Enem 2019 e a senha mais atual cadastrada na Página do Participante.

O Sisu é o sistema informatizado do MEC por meio do qual instituições públicas de ensino superior oferecem vagas a candidatos participantes do Enem. O período de inscrições vai de hoje até as 23h59 do domingo. O resultado da chamada regular está mantido, de acordo com o site do Sisu, para a próxima segunda-feira. Entre 29 de janeiro e 4 de fevereiro, os candidatos não classificados na chamada regular poderão participar da lista de espera. De 7 de fevereiro a 30 de abril, haverá a convocação dos candidatos em lista de espera pelas instituições.

Diariamente, durante o período de inscrição, o sistema se encerra e abre na manhã seguinte mostrando a classificação dos candidatos aos cursos pretendidos. Com isso, o candidato consegue monitorar as notas de corte e ver se a sua nota é suficiente para ingressar naquela opção escolhida. Ele tem até o último dia da inscrição para mudar as escolhas. No entanto, antes de fazer as escolhas pela nota de corte, o estudante deve avaliar os cursos que realmente querem fazer e as universidades que realmente cursariam, levando em conta distância da instituição e se pode se mudar para outro estado para estudar. As notas de corte serão divulgadas diariamente, sempre a partir da 0h.

Para se inscrever, o participante deve acessar o site do Sisu. Ao efetuar a inscrição, o candidato deve escolher, por ordem de preferência, até duas opções entre as vagas ofertadas pelas instituições participantes. O candidato também deve definir se deseja concorrer a vagas de ampla concorrência; a vagas reservadas de acordo com a lei 12.711, de 2012 (Lei de Cotas) ou a vagas destinadas às demais políticas afirmativas das instituições. Durante o período de inscrição, o candidato pode alterar suas opções. Será considerada válida a última inscrição confirmada.

São considerados selecionados somente os candidatos classificados dentro do número de vagas ofertadas pelo Sisu em cada curso, por modalidade de concorrência. Caso a nota do candidato possibilite sua classificação em suas duas opções de vaga, ele será selecionado apenas em sua primeira opção.

Erros na nota do Enem

Após a divulgação dos resultados individuais dos candidatos do Enem 2019, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) identificou inconsistências nas notas de 5.974 participantes, o que representa 0,15% do total de presentes (3,9 milhões) nas provas. De acordo com o Ministério da Educação (MEC), os resultados dos candidatos já foram atualizados na tarde dessa segunda (20), na Página do Participante e no aplicativo do Enem.

Os casos de inconsistência na nota do Enem foram registrados em quatro municípios: Viçosa, Ituiutaba e Iturama, em Minas Gerais, e Alagoinhas, na Bahia. “A discrepância entre o número de acertos e a nota divulgada inicialmente é consequência de uma associação equivocada entre a cor do Caderno de Questões e o gabarito correspondente. Não houve alteração nas notas da redação”, informou o Inep.

“Ao tomar conhecimento da inconsistência, atuamos com transparência e agilidade. Acionamos, imediatamente, a gráfica e o consórcio aplicador para identificação da origem do ocorrido. Montamos uma força-tarefa para que todas as providências fossem tomadas sem prejuízo a qualquer participante e ao cronograma do Sisu”, afirmou o presidente do Inep, Alexandre Lopes.

Segundo o Inep, o órgão tomou conhecimento da inconsistência no mesmo dia em que divulgou os resultados, na última sexta-feira. O instituto ressaltou que foi instaurada uma força-tarefa com servidores e colaboradores do Inep, do consórcio aplicador e da gráfica. “Cerca de 300 pessoas atuaram no sábado e no domingo para revisão da base de dados, seguindo processos e parâmetros estatísticos”, informou.

Além da força-tarefa, foi criado um e-mail (enem2019@inep.gov.br) para registro de demandas por revisão das notas, que ficou disponível durante todo o fim de semana, até 10h de ontem, e contabilizou cerca de 172 mil mensagens. O Inep recebeu, ainda, manifestações pelo telefone 0800- 616161. De acordo com o órgão, todas as provas dos 3,9 milhões de participantes foram analisadas.(Com informações do Diário de PE)

 


Inep revisa erros na correção do Enem e amplia prazo do SISU

por Adriana Rodrigues 21 de Janeiro de 2020 às 11:23
categoria: Educação

(Foto: Agência Brasil)

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019, informou ontem (20) que os erros de correção da prova foram revistos. Segundo o Inep, as notas revisadas estão disponíveis na página do candidato.

O anúncio foi feito pelo presidente do Inep, Alexandre Lopes, no início da noite, em entrevista coletiva, para divulgar os resultados do trabalho realizado pela força-tarefa criada para resolver o problema. De acordo com Lopes, 5.974 participantes tiveram notas com inconsistências – o número representa 0,15% do total de participantes (3,9 milhões).

Lopes disse que, durante o trabalho da força-tarefa, todas as notas dos alunos que fizeram as provas foram analisadas para resolver os problemas encontrados e buscar novas inconsistências que poderiam aparecer. “Nós analisamos todos os alunos. A gente fez esses tipos de correlações para orientar a busca, para ver se a gente encontrava outras inconsistências”, explicou.

O presidente do Inep informou que a gráfica responsável pela prova deverá prestar esclarecimentos sobre as falhas ocorridas. “O erro estava na associação. Que tipo de erros que aconteceram na gráfica, que geraram essa diferença de associação, eu não sei dizer”, afirmou Lopes.

Sisu

Mais cedo, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, tinha anunciado que o prazo para inscrições do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) foi ampliado em dois dias.

As inscrições começam nesta terça-feira (21) e terminam domingo (26). Antes da prorrogação, o prazo se encerraria na sexta-feira (24). O Sisu oferece vagas em universidadaes federais com base nas notas obtidas no Enem.

No sábado (18), o presidente do Inep explicou que o erro foi provocado pela gráfica responsável da prova. A falha foi percebida após alguns alunos relatarem nas redes sociais terem sido surpreendidos com notas baixas na segunda prova do exame, realizado no ano passado, cujos resultados foram divulgados na sexta-feira (17).

A equipe técnica do instituto identificou que se tratava de inconsistência na transmissão de dados que a gráfica envia ao Inep para processamento das notas. A ocorrência gera contradições na associação entre o participante e a cor de sua prova. Dessa forma, o gabarito usado para a correção não era da cor da prova feita pelo aluno, fato que provocou o erro. Por esse motivo, estudantes puderam pedir a revisão de suas notas até as 10h de hoje. (com informações Agência Brasil)


Estudantes podem se inscrever no Sisu a partir desta terça (21)

por Adriana Rodrigues 20 de Janeiro de 2020 às 11:28
categoria: Educação

(foto: reprodução)



O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) abre amanhã (21) o calendário dos processos seletivos federais que usam o Enem como critério de seleção. Neste semestre, o Sisu vai ofertar 237 mil vagas em 128 instituições de ensino superior públicas. O prazo para se inscrever vai até sexta-feira (24).

Para participar do Sisu, é preciso ter feito o Enem 2019 e ter tirado nota acima de zero na prova de redação. Na hora da inscrição no processo seletivo é preciso informar o número de inscrição do Enem e a senha atual cadastrada na Página do Participante.

A nota do Enem está disponível desde sexta-feira (17) tanto no aplicativo, quanto na própria Página do Participante. É preciso informar o CPF e a senha cadastrada na hora da inscrição. Caso o candidato tenha esquecido a senha, pelo próprio sistema é possível recuperá-la.

É essa senha que deve ser usada na hora da inscrição no Sisu. O número de inscrição, que é solicitado também para participar da seleção, está disponível para cada estudante na Página do Participante.

As inscrições para o Sisu podem ser feitas de 21 a 24 de janeiro. No dia 28 de janeiro será divulgado o resultado da seleção. Os estudantes que forem aprovados deverão fazer a matrícula nas instituições de ensino entre 29 de janeiro e 4 de fevereiro.

Aqueles que não forem selecionados poderão ainda participar da lista de espera. O prazo para se candidatar é de 29 de janeiro a 4 de fevereiro. Os candidatos em lista de espera serão convocados pelas próprias instituições de ensino, entre 7 de fevereiro e 30 de abril.

Além de participar do Sisu, os estudantes podem usar as notas do Enem para concorrer a bolsas de estudo pelo Programa Universidade para Todos (ProUni). As inscrições poderão ser feitas de 28 a 31 de janeiro. Podem também se inscrever no Programa de Financiamento Estudantil (Fies), de 5 a 12 de fevereiro.

Os estudantes podem ainda usar as notas para cursar o ensino superior em Portugal. O Inep tem convênio com mais de 40 instituições portuguesas.

Instituições de ensino públicas e privadas utilizam o Enem como forma de seleção independente dos programas de âmbito nacional. Os estudantes podem, portanto, consultar diretamente as instituições nas quais têm interesse em estudar. (com informações Agência Brasil)


Governo Federal anuncia aumento do piso dos professores de 12,84%

por Adriana Rodrigues 17 de Janeiro de 2020 às 12:33
categoria: Educação

(Foto: Agência Brasil)

O presidente da República, Jair Bolsonaro, e o ministro da Educação, Abraham Weintraub, anunciaram por meio de live (transmissão ao vivo) em rede social o aumento de 12,84% do piso salarial previsto no Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Segundo Weintraub, o reajuste anunciado “é o maior aumento em reais desde 2009.”

O ajuste, acima da inflação de 2019 (4,31%), corresponde às expectativas da Confederação Nacional de Municípios (CNM) que já havia previsto o valor mínimo do magistério passaria de R$ 2.557,74 para R$ 2.886,24. Há expectativa entre gestores municipais que uma nova lei sobre o Fundeb seja criada este ano. A lei atual só prevê a manutenção do fundo até este ano. O Ministério da Educação prepara proposta com novas regras.

Anunciamos hoje na live com o Presidente @jairbolsonaro o reajuste de 12,84% no piso salarial dos professores da educação básica. Isso passa a valer imediatamente, com o valor subindo de R$ 2.557,74 para R$ 2.886,24. É o maior aumento registrado em termos reais desde 2009.

Durante a live o presidente também anunciou, ao lado do secretário de Cultura Roberto Alvim, o lançamento do Prêmio Nacional das Artes que irá destinar mais de R$ 20 milhões para produção artística nas cinco grandes regiões brasileiras.

O prêmio terá sete categorias, eruditas e populares, e prevê a seleção de cinco óperas, 25 espetáculos teatrais, 25 exposições individuais de pintura e 25 exposição de escultura, 25 contos inéditos, 25 CDs musicais originais e até 15 propostas de histórias em quadrinhos.

O edital será publicado na próxima semana no Diário Oficial da União e no site da Secretaria Especial da Cultura. O repasse de recursos entre as regiões será dividido de forma igual.

Durante a transmissão, o presidente também comentou a queda histórica dos juros básico da economia, Taxa Selic a 4,5% ao ano e a esperada redução da dívida pública com a baixa dos juros. O presidente salientou a redução dos custos de empréstimos da Caixa Econômica Federal e a diminuição de pessoas inadimplentes. Bolsonaro salientou que a queda de juros ocorre “sem canetada” e “sem interferência”, mas por causa do ambiente de recuperação econômica.

O presidente comemorou a prioridade anunciada pelo governo dos Estados Unidos para que o Brasil se torne membro da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e lembrou a edição de nova medida provisória que ajusta o salário mínimo dos atuais R$ 1.039 para R$ 1.045.

Além do ministro da Educação e do secretário de Cultura, participou da transmissão o secretário de Aquicultura e Pesca, Jorge Seif Junior.


Inep divulga as notas do Enem 2019

por Adriana Rodrigues 17 de Janeiro de 2020 às 12:30
categoria: Educação

(Foto: Agência Brasil)



A partir de hoje (17), os quase 4 milhões de participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 podem consultar os resultados das provas. Os estudantes terão acesso à nota da redação e à pontuação de cada uma das quatro áreas de conhecimento: linguagens, ciências humanas, ciências da natureza e matemática.

As notas estarão disponíveis na Página do Participante e no aplicativo do Enem. É preciso fazer o login com o CPF e a senha cadastrada. Quem esqueceu a senha, pode recuperá-la pelo próprio sistema. Saiba como recuperar a senha.

Agora os estudantes terão acesso apenas à nota que obtiveram na redação. O espelho da prova, que contém detalhes da correção dos textos, será divulgado em março, 60 dias após a divulgação do resultado individual. As notam não cabem recurso.

Os chamados treineiros, aqueles que fizeram o exame apenas para testar os conhecimentos, terão que esperar mais um pouco, as notas desses participantes serão divulgadas também em março. Esses candidatos não poderão usar o Enem para concorrer a vagas no ensino superior pelos programas federais. (com informações Agência Brasil)


Enem libera notas nesta sexta-feira; veja como recuperar senha

por Karine Paixão 16 de Janeiro de 2020 às 12:03
categoria: Educação



Amanhã (17), os quase 4 milhões de participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 terão acesso às notas que obtiveram na avaliação. Para acessar os resultados é preciso informar, na Página do Participante, o CPF e a senha cadastrados na hora da inscrição no exame. 

Desde já, os estudantes podem se preparar para conferir as notas. Aqueles que não lembram a senha, podem recuperá-la no próprio sistema. É possível acessar o resultado também pelo aplicativo do Enem. 

Para acessar as notas na Página do Participante, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela aplicação do exame, divulgou um passo a passo:  

Ao entrar na página, logo aparece a Nanda, uma personagem digital com uma pergunta. Para avançar, é preciso responder ao desafio. Isso é feito para evitar o acesso de robôs.

Em seguida, os estudantes devem informar o CPF e inserir a senha. Caso não se lembrem da senha, basta clicar no link “Esqueci minha senha”, que está logo abaixo do campo de preenchimento.

O sistema vai, então, pedir para o usuário escolher se a senha cadastrada será enviada para o e-mail registrado durante a inscrição ou se quer alterar o e-mail. O sistema dá uma pista para que o participante se lembre de qual e-mail foi cadastrado durante a inscrição.

Caso a opção seja por receber a senha no e-mail cadastrado, basta procurar na caixa de entrada. Se não encontrar, o Inep orienta a verificar a caixa de spam. 

Quem não tem mais acesso ao e-mail informado na inscrição ou quiser trocar o endereço do correio eletrônico deverá responder às perguntas solicitadas a respeito dos dados informados na inscrição. Acertando todas as respostas, é só informar o novo e-mail.

O Inep irá, então, enviar a senha para o novo e-mail, e o participante poderá acessar as notas no exame. É possível, inclusive, consultar os resultados de edições passadas, caso o usuário tenha feito o Enem em outros anos. 

A senha deve ser guardada em local seguro e de fácil acesso. Ela ainda será usada para a inscrição nos programas federais de acesso ao ensino superior. Na Página do Participante, os candidatos têm acesso ao número de inscrição, também usado para concorrer a vagas no ensino superior. 

Nesta sexta-feira (17), os estudantes terão acesso à nota da redação e à pontuação de cada uma das quatro áreas de conhecimento: linguagens, ciências humanas, ciências da natureza e matemática. (Agência Brasil)