asdasdasdasd

Vendas devem crescer 5% durante período junino em Petrolina, mas contratações serão pontuais

por Gabriela Canário 12 de Junho de 2018 às 10:32
categoria: Economia

O comércio deve ter um crescimento significativo de vendas neste mês de junho, é o que afirma o Presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Petrolina - Sindlojas -, Joaquim de Castro. De acordo com o setor, o incremento deve ser de 5% nas vendas comparando-se ao mesmo período do ano passado.

Um dos fatores para esse crescimento, ele acredita, foi a liberação de 50% do 13º salário dos servidores municipais nesta quarta-feira (13), contemplando milhares de petrolinenses e injetando mais de R$ 9 milhões no comércio do município, de acordo com a prefeitura. Para Joaquim de Castro, além disso, houve um avanço no setor econômico do país, refletindo em Petrolina. “A economia vem sinalizando um cenário diferente de 2015 e 2016. De 2017 para cá voltou a se fortalecer. Aliado, tem a questão do emprego que vem se recuperando depois do período de recessão muito longo”, explicou o presidente.

Entretanto, a contratação de pessoas para dar conta desse aumento não é tão otimista quanto às expectativas de vendas. Conforme explicou Joaquim de Castro, devem haver casos isolados neste período, mesmo com a aproximação da Copa do Mundo. “Sempre há. Não tão grande, é pontual. São mais empresas ligadas a este período. O importante é que há essa tendência também por causa da Copa do Brasil. É uma coisa positiva, é um evento a mais no mês de junho”, explicou. De acordo com a Prefeitura de Petrolina, no período junino devem gerados cerca de 9 mil empregos diretos e indiretos, “uma vez que 84% dos estabelecimentos comerciais contratam novos funcionários”.

O São João de Petrolina segue agendado para o período de 15 a 23 de junho deste ano, da mesma forma que todos os outros festejos juninos que integram a programação oficial do município.


MPPE E MPF emitem nota contra aumentos abusivos de gás

por Mário Souza 1 de Junho de 2018 às 11:00
categoria: Economia

Fonte / MPPE

Com o objetivo de prevenir práticas de aumento abusivo do preço do gás liquefeito de petróleo (GLP), Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e Ministério Público Federal (MPF) emitiram uma nota técnica conjunta nesta quarta-feira (30). A nota elenca uma série de orientações voltadas para garantir que os cidadãos não sejam lesados por práticas criminosas em razão da situação de desabastecimento de gêneros de primeira necessidade.

De início, o MPPE e o MPF orientam a Agência Nacional do Petróleo (ANP) a encaminhar relatórios sobre majorações indevidas no preço do gás de cozinha ao longo dos meses de junho e julho. Da mesma forma, os Procons estadual e municipais também devem informar ao Ministério Público sobre autos de constatações e infrações relacionados a aumentos abusivos de preços do gás.

As Polícias Federal e Civil de Pernambuco, através da Delegacia do Consumidor, devem encaminhar ao MPPE e MPF autos de flagrante e inquéritos policiais que venham a ser instaurados para apurar casos de aumentos arbitrários que configurem crimes contra a ordem econômica e contra a economia popular.

Por fim, o Ministério Público orienta o Sindicato dos Revendedores de Gás do Estado de Pernambuco e os próprios revendedores a não realizarem aumentos sem fundamentação ou, no caso de os preços já terem sido reajustados, retorná-los ao patamar anterior à greve dos caminhoneiros.

“O aumento de preços sem justa causa e a existência de vantagem manifestamente indevida representam práticas abusivas vedadas pelo Código de Defesa do Consumidor. Apesar do recente desbloqueio do Porto de Suape, a normalização da distribuição do GLP ainda levará alguns dias”, apontaram a coordenadora do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Defesa do Consumidor, promotora de Justiça Liliane Rocha, e o integrante do Comitê de Acompanhamento de Crise do MPF, procurador da República Alfredo Falcão Júnior.


A favor da privatização da Petrobrás vereador critica aumento de combustíveis

por Adriana Rodrigues 18 de Maio de 2018 às 11:14
categoria: Economia

O aumento da tributação sobre os combustíveis pelo Governo Federal foi criticado pelo vereador Ronaldo Silva (PSDB), em discurso na tribuna da Casa Legislativa de Petrolina, nesta quinta-feira (17). Segundo ele, a medida afeta todos os brasileiros, principalmente os trabalhadores. "O povo é que está sofrendo com esse aumento abusivo, só no Maranhão foi fechado vários postos porque o empresário não aguenta mais. Isso é o que devemos brigar, para que o governo baixe esses impostos".

O parlamentar diz ainda, que é a favor da privatização da Petrobrás. “Se tivessem privatizado não tinha quebrado não tava esse cartel todo”. O peessedebista sugere que o gerenciamento privatize 51% da empresa e que detenha 49%, como funciona a Vale do Rio Doce. “Privatize para colocar pessoas decentes, porque todo governo que entra quer usar a Petrobrás para fazer politicagem e para tirar dinheiro, porque ali é uma mina de dinheiro”.

Silva defende os donos de postos. "Não é justo. Não podemos usar essa situação para colocar culpa nos empresários, esse aumento é no país inteiro".                                                                                   

O vereador Gabriel Menezes (PSL), apesar de concordar que o tema precisa ser discutido, divergiu no que diz respeito a privatização. "O que quebrou a Petrobrás não foi o fato de ser pública, eu não concordo com privatização, com essa budega de interesse escusos para privatizar o que é do povo brasileiro. O que quebrou foi a corrupção e todos aqueles canalhas que usurparam o nosso patrimônio".

Reajuste

Ontem a Petrobras promoveu o aumento de 0,95% para o preço do diesel e elevou em 1,80% o preço de gasolinas comercializadas nas refinarias.

Este é o 4º reajuste já anunciado nesta semana. Na véspera, a companhia elevou em 1,82% o preço da gasolina, e subiu 1,76% o preço do diesel, nas refinarias. A escalada nos preços acontece em meio à disparada nos preços internacionais do petróleo. Nesta quinta, o barril de petróleo Brent superou US$ 80 pela 1ª vez desde novembro de 2014.

 


Correios: agências serão fechadas e carteiros deixarão de passar diariamente

por Redação Nossa Voz 8 de Maio de 2018 às 15:00
categoria: Economia

Após o vazamento de documento que comprova o início de estudos para, a princípio, fechamento de 513 agências e demissão de 5.300 mil funcionários dos Correios em todo o Brasil, a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos (Fentect) solicitou, ontem, à Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (CET) uma reunião emergencial para o compartilhamento dos dados que estão sendo levados em conta para uma possível aprovação da proposta. Mesmo que o presidente interino dos Correios, Carlos Fortner, tenha declarado ao jornal Estado de São Paulo que está “revisando todo o estudo”, a federação acredita que o fechamento de agências irá comprometer ainda mais o atendimento ao cliente, já que está em consonância com outro projeto, que prevê o fim da passagem diária dos carteiros.

“Os Correios estão burlando cláusulas firmadas pela própria diretoria em acordo coletivo por não nos fornecer tais informações, e tratar tudo em sigilo. Essa proposta é um complemento ao processo de privatização, porque em primeiro momento elimina as agências próprias e mantém a rede franqueada. Além de prejudicar o consumidor, que já é penalizado com a escassez de funcionários”, diz o presidente da Fentect, Geraldo Francisco.

Com um prejuízo de R$ 1,5 bilhão em 2017, provocado principalmente pelas perdas do seu plano de saúde, o Postal Saúde, os Correios já demitiram, entre o ano passado e fevereiro deste ano, 7.814 funcionários - 234 só em Pernambuco - por meio do Plano de Demissão Incentivada (PDI), que teve o seu segundo ciclo encerrado no mês de fevereiro e gerou uma economia de R$ 81 milhões para a empresa.

O número menor de mão de obra e a necessidade de ainda assim enxugar os custos fez com que a CET, além do fechamento das agências, também já estude a possibilidade dos carteiros deixarem de fazer a entrega diária das correspondências. “A Distribuição Domiciliar Alternada (DDA) - com cronograma de implantação sendo definido - é um modelo já praticado em outros países, tendo em vista a queda vertiginosa de mensagens. Nos testes realizados, o modelo mostrou que há ganhos para o carteiro (diminuição de percorrida) e para a empresa (diminuição de custos), sem impactos para a sociedade, uma vez que o prazo acordado para entrega dos objetos é respeitado. O modelo não vale para as encomendas”, confirmou a empresa em nota.

Fechamento

Conforme documento vazado e com informações publicadas na Coluna do Estadão, as unidades próprias começariam a ser fechadas por critérios como receita de varejo inferior a R$ 300 mil por ano e proximidade de em média 1,4 quilômetros de outra agência. A economia seria de R$68,7 milhões só com o fechamento efetivo. Em Pernambuco, os Correios possuem 198 agências próprias e 30 franqueadas. Juntas, elas comportam 771 atendentes. Ainda esta semana, a CET, que só confirmou a intenção de fechar agências, abrirá sindicância para apurar as circunstâncias do vazamento.

Fonte JC


Conta de luz: maio começa com bandeira tarifária mais cara

por Redação Nossa Voz 2 de Maio de 2018 às 15:00
categoria: Economia

Com a entrada no mês de maio, os consumidores sentirão um aumento nas contas de luz. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) mudou a bandeira tarifária de verde para amarela.

O valor cobrado com a alteração será de R$ 1 a cada 100 kilowatt hora (kWh) consumidos. Segundo a Aneel, a mudança ocorre em razão do final do período chuvoso.

Com o início do período seco, cai o volume de chuva sobre os reservatórios das principais usinas hidrelétricas geradoras do país. Com isso, há a necessidade de se fazer uso da energia produzida pelas usinas termelétricas, que têm maior custo de produção.

Composto pelas cores verde, amarela e vermelha (patamar 1 e 2), o sistema de bandeiras foi criado, de acordo com a Aneel, para sinalizar aos consumidores os custos reais da geração de energia elétrica.

Com a adoção da bandeira amarela, a Aneel aconselha os consumidores a adotar hábitos que contribuam para a economia de energia, como tomar banhos mais curtos utilizando o chuveiro elétrico, não deixar a porta da geladeira aberta e não deixar portas e janelas abertas em ambientes com ar-condicionado.

Fonte Folha PE


Envio de declaração do IR fora do prazo começa nesta quarta

por Redação Nossa Voz 2 de Maio de 2018 às 09:00
categoria: Economia

Quem perdeu o prazo para enviar a Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física poderá fazê-lo a partir das 8h de hoje (2). O contribuinte será multado em 1% do imposto devido por mês de atraso (limitado a 20% do imposto total) ou em R$ 165,74, prevalecendo o maior valor. Não será necessário baixar um novo programa. O sistema automaticamente gerará a guia para o pagamento do tributo, acrescido da multa.

Neste ano, o total de contribuintes que enviaram a Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) foi 29.269.987, um crescimento de 1,63% em relação ao ano passado. O número superou a expectativa do Fisco de receber 28.800.000 declarações. Em 2017, 28.524.560 contribuintes haviam entregado o documento dentro do prazo.

Restituições

O pagamento das restituições começa em 15 de junho e vai até 17 de dezembro, em sete lotes mensais. Quanto antes o contribuinte tiver entregado a declaração com os dados corretos à Receita, mais cedo será ressarcido. Têm prioridade no recebimento pessoas com mais de 60 anos de idade, contribuintes com deficiência física ou mental e os que têm doença grave.

Pagamento

Quem for pagar o Imposto de Renda atrasado não precisa se preocupar em incluir os juros e as multas. O próprio sistema fará a atualização dos valores na hora de imprimir a guia. O programa de preenchimento da declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física de 2018, ano base 2017, está disponível no site da Receita Federal.

Também é possível preencher e enviar o documento por meio do aplicativo Meu Imposto de Renda para tablets e celulares. Por meio do aplicativo, é possível ainda fazer retificações depois do envio da declaração.

Extrato

De acordo com o Fisco, o contribuinte pode acompanhar o processamento da declaração do serviço Meu Imposto de Renda, disponível no Centro Virtual de Atendimento (e-CAC), no site da Receita. Por meio do extrato, é possível verificar pendências e fazer uma declaração retificadora para evitar cair na malha fina.

Neste ano, está obrigado a declarar quem recebeu rendimentos tributáveis, em 2017, em valores superiores a R$ 28.559,70. No caso da atividade rural, deve declarar quem teve receita bruta acima R$ 142.798,50.

Também estão obrigadas a declarar as pessoas físicas residentes no Brasil, que receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40 mil, que obtiveram, em qualquer mês, ganho de capital na alienação de bens e direitos, sujeito à incidência do imposto ou que realizaram operações em bolsas de valores, que pretendem compensar prejuízos com a atividade rural, que tiveram, em 31 de dezembro de 2017, a posse ou a propriedade de bens e direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil, que passaram à condição de residentes no Brasil em qualquer mês e assim se encontravam em 31 de dezembro, ou que optaram pela isenção do IR incidente sobre o ganho de capital com a venda de imóveis residenciais para a compra de outro imóvel no país, no prazo de 180 dias contados do contrato de venda.

Fonte JC


Lotéricas deixam de receber pagamentos da Celpe a partir de 1º de maio

por Redação Nossa Voz 30 de Abril de 2018 às 10:48
categoria: Economia



A partir da próxima terça-feira (1), as casas lotéricas não receberão mais pagamentos de contas de luz em Pernambuco. A mudança ocorreu devido ao rompimento de um convênio entre Caixa Econômica Federal e a companhia pernambucana. Por causa dessa novidade, os clientes terão menos opções para efetuar o pagamento da taxa. Porém, além dos bancos, alguns estabelecimentos comerciais são credenciados pela companhia para receber os valores referentes às contas de luz.

"Os clientes, no entanto, não serão prejudicados e permanecerão contando com milhares de pontos para quitação das contas em todos os municípios pernambucanos", informou a Companhia de Energia.

Em nota, a Celpe ainda informou que "devido às dificuldades enfrentadas nas negociações com a Caixa Econômica Federal (CEF), que inviabilizaram a renovação do convênio de arrecadação, especialmente em função de seu alto custo para a empresa e, futuramente, aos próprios consumidores".

Pagamento

Ao todo, existem no Estado mais de 650 pontos de arrecadação e que até o final do ano, serão quase mil estabelecimentos credenciados a receber o pagamento.

Os clientes que não desejarem sair de casa, basta utilizar o internet banking, os aplicativos dos bancos para smartphones, ou autorizar o débito direto na conta corrente. No terceiro caso, o cliente precisa solicitar autorização em sua agência bancária ou ao gerente de sua conta.

Fonte JC


Declaração do Imposto de Renda termina nesta segunda-feira

por Redação Nossa Voz 30 de Abril de 2018 às 10:47
categoria: Economia

O contribuinte que ainda não entregou a declaração do Imposto de Renda 2018 só tem até as 23h59 desta segunda-feira (30) para fazer a prestação de contas dos rendimentos tributáveis adquiridos em 2017. Em Pernambuco, cerca de 130 mil contribuintes (de um total de 830 mil) ainda não acertaram as contas com o Leão. Quem perder o prazo poderá pagar multa de 1% ao mês ou fração de atraso sobre o imposto devido, com valor mínimo de R$ 165,74 e máximo de 20% sobre o tributo a pagar.

Em todo o País, até as 16h deste domingo (29), a Receita Federal havia recebido 24,9 milhões de declarações. Como a estimativa é que 28,8 milhões enviassem o ajuste do imposto com o Fisco, quase 4 milhões ainda precisam prestar as informações.

Faltando poucas horas para o fim do prazo, especialistas dizem que o contribuinte deve entregar a declaração mesmo que incompleta ou com dados incertos para evitar pagar a multa. Depois, basta retificar as informações, usando o mesmo programa de envio da declaração de ajuste anual.

Após a declaração ser enviada, a recomendação é que o contribuinte acompanhe o processamento dos dados, para descobrir se está tudo bem ou se há pendências. Para isso, é preciso gerar um código de acesso pelo site da Receita para acessar o portal e-CAC.

Fonte JC


Caixa vai liberar R$ 1,5 bilhão a estados e municípios

por Redação Nossa Voz 27 de Abril de 2018 às 16:00
categoria: Economia

A interrupção dos empréstimos em pleno ano eleitoral provocou reação de lideranças políticas, que queriam acelerar esses financiamentos para os governadores, com liberação antes das eleições de outubro. Segundo fontes, várias operações que beneficiariam principalmente aliados do governo estavam em andamento quando veio a suspensão.

Nessa quinta-feira (26) porém, as operações foram liberadas pelo Conselho de Administração da Caixa. Segundo apurou o Estadão/Broadcast, a Caixa dará prioridade às operações que já estavam aprovadas e que não foram liberadas porque tiveram de passar por nova análise jurídica.

A decisão da retomada teve por base um parecer da Advocacia Geral da União (AGU), homologado pelo Presidente da República, Michel Temer, com efeitos vinculantes para toda a administração federal, ratificando o entendimento da legalidade dessas operações.

Além disso, o Conselho da Caixa ponderou que o Banco Central publicou norma com regras mais rígidas para o cálculo do requerimento de capital para novas contratações com garantias do FPE e FPM.

O Tesouro vai baixar uma regulamentação para avaliar os riscos da concessão de garantias com receitas dos dois fundos. O parecer da AGU considera essas garantias válidas, mas abre o caminho para que o Tesouro adote instrumentos legais de controle para evitar desequilíbrios fiscais no futuro para os Estados e municípios.

O Tesouro poderá fazer essa regulamentação, inclusive, com os porcentuais dos fundos que poderão ser comprometidos e avaliação de eventual duplicidade da concessão dessas garantias, de acordo com a AGU.

O parecer da AGU busca pacificar a controvérsia jurídica em torno da constitucionalidade dessas garantias, mas não retira a responsabilidade de o banco fazer - caso a caso - a análise econômica e de risco.

No parecer, a AGU argumentou que a adoção de medidas que, na prática, vedassem o acesso ao crédito pelos governos regionais, sem amparo no texto constitucional, geraria uma situação de desequilíbrio federativo "igualmente não desejável".

A expectativa é de que o Tribunal de Contas da União (TCU) não aceite pedido de medida de cautelar para suspender as operações com base na avaliação de que a Constituição veda o uso dessas garantias em empréstimos que não tenha aval do Tesouro. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte JC


Consumidor pagará menos juros no rotativo do cartão de crédito

por Redação Nossa Voz 27 de Abril de 2018 às 10:00
categoria: Economia

Os clientes que pagarem menos de 15% da fatura do cartão de crédito e caírem na modalidade de rotativo conhecido como não regular pagarão menos juros a partir de junho. O Conselho Monetário Nacional (CMN) limitou e padronizou os juros para essa modalidade, regulamentando decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Até agora, o cliente que pagava menos de 15% da fatura migrava para o crédito rotativo não regular, que cobra juros mais altos. Quem pagava a partir de 15% e menos que 100% passava para o rotativo regular, com taxas mais baixas. Na reunião desta quinta-feira (26), o CMN extinguiu a diferenciação. Haverá apenas um único tipo de crédito rotativo.

Seguindo decisão do STJ, os bancos podem cobrar 2% de multa (sobre a dívida total) e 1% ao mês de juros de mora em caso de inadimplência. Até agora, os bancos cobravam a multa e os juros de mora mais uma taxa punitiva de quem caía no crédito rotativo não regular.

De acordo com o diretor de Regulação do Banco Central, Otavio Damaso, a mudança resultará em juros mais baixos para quem cai no crédito rotativo. “Haverá uma migração das taxas do crédito não regular para o regular”, declarou.

Desde o ano passado, o crédito rotativo está limitado a 30 dias. Depois desse prazo, o cliente faz uma nova operação para parcelar a dívida com a operadora do cartão. Esse prazo continua valendo e não foi mudado.

Fundo Garantidor

O CMN também reduziu a parcela que os bancos são obrigados a repassar ao Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que cobre prejuízos de até R$ 250 por conta em cada banco e de até R$ 1 milhão por CPF em caso de quebra da instituição financeira. A alíquota passou de 0,0125% para 0,01% sobre os saldos das operações garantidas.

De acordo com o Banco Central, a alíquota mais alta era necessária para proteger o sistema financeiro quando o FGC foi criado, no fim dos anos 1990, após diversos bancos quebrarem. A maior segurança atual dos bancos, informou a autoridade monetária, permite reduzir a alíquota. O Banco Central não soube estimar o quanto a medida libera em montante de crédito.

Apesar de reduzir a alíquota para todos os bancos, o CMN criou uma alíquota adicional de 0,01% para determinados tipos de operações financeiras de bancos pequenos e médios. Esse percentual vai incidir sobre captações que as instituições financeiras fazem que poderiam ser intermediadas por outros bancos, apenas se o tipo de operação ultrapassar quatro vezes o patrimônio líquido ajustado da instituição financeira.

Segundo o Banco Central, poucos bancos pequenos e médios encontram-se nessa situação. A alíquota adicional, esclareceu o órgão, tem como objetivo coibir bancos que oferecem investimentos arriscados com o pretexto de que as aplicações estão protegidas pelo FGC.

Fonte JC