asdasdasdasd

Prepare o bolso! Gasolina deve subir 41 centavos

por Neya Gonçalves 21 de Julho de 2017 às 07:56
categoria: Economia

Em nota divulgada nesta quinta-feira (20), os ministérios da Fazenda e do Planejamento informaram que o PIS/Cofins que incide sobre a gasolina vai dobrar, de R$ 0,38 por litro para R$ 0,79 por litro. Com isso, o litro do combustível poderá ficar até R$ 0,41 mais caro nas bombas.

As novas alíquotas serão publicadas na edição desta sexta (21) do Diário Oficial da União. Os aumentos passarão a vigorar a partir de então.

O PIS/Cofins pago pelo distribuidor de etanol, hoje zerado, vai a R$ 0,19.O litro do diesel poderá ficar R$ 0,21 mais caro, já que alíquota subirá de R$ 0,24 para R$ 0,46.

O governo informou que espera arrecadar R$ 10,4 bilhões neste ano com o aumento de imposto. Além disso, o Ministério da Fazenda informou que vai bloquear mais R$ 5,9 bilhões em despesas do Orçamento.

O aumento de impostos e o bloqueio extra ocorrem em um momento em que o governo enfrenta dificuldades em obter receitas.

A recuperação da economia é lenta, o que afeta a arrecadação de impostos, e projetos importantes no Congresso, como o Refis e a reoneração da folha de pagamentos, estão emperrados no Congresso Nacional. (Fonte: Folhapress)


“Movimento Compre do Pequeno Negócio" recebe apoio da Prefeitura de Petrolina

por Adriana Rodrigues 19 de Julho de 2017 às 07:37
categoria: Economia

A Prefeitura de Petrolina, através da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Agrário, assume o compromisso de participar do projeto “Movimento Compre do Pequeno Negócio”. Em reunião, nesta terça-feira (18), o SEBRAE, CDL, Sindilojas, Senac e Agência do Empreendedor(AGE), discutiram algumas ações que serão realizadas em Petrolina nos meses de setembro e outubro, quando ocorrerá a ação.

 

A iniciativa faz parte do Movimento Compre do Pequeno Negócio, do SEBRAE, cujo objetivo é incentivar o cliente a fazer compras perto de casa, fortalecer a economia do seu bairro e estimular o crescimento de pequenos negócios em sua região. A ação tem como marco o dia 5 de outubro, Dia da Micro e Pequena Empresa.

 

“Estamos começando a negociar as parcerias com as instituições para que possamos realizar um grande evento em nossa cidade com a realização de seminário, consultorias, ornamentação de ruas, entre outras ações”, adiantou a gestora do SEBRAE Petrolina, Edneide Libório.

 

O diretor-presidente da AGE, Sebastião Amorim, também destacou a importância do apoio das entidades na realização das ações do Movimento. “O objetivo é fortalecer e desenvolver a economia local, por isso que reafirmamos a parceria com o SEBRAE e as demais instituições, pois, entendemos que o “Movimento” é mais um mecanismo de fomento e estímulo aos micro e pequenos empresários”, destacou Sebastião.

 

Compre do pequeno


 

O Dia da Micro e Pequena Empresa, celebrado em 5 de outubro, data em que se comemora a aprovação do Estatuto das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, foi escolhido para ser o grande marco do Movimento.

Todo dia é dia de comprar dos pequenos negócios, mas nesse dia, em especial, os consumidores são convidados a optarem pelo pequeno negócio na hora da compra, aquecendo as vendas desses segmentos.

A data, então, deve contar com o engajamento da sociedade e dos donos dos empreendimentos locais e de pequeno porte. O Dia da Pequena Empresa foi criado para ser um ato de cidadania.

Ao valorizar o comércio local, promove-se o desenvolvimento social, já que o consumidor ajuda no fortalecimento dos pequenos negócios e, consequentemente, há estímulo para a empresa inovar, melhorar seu desempenho, diversificar a oferta de produtos e aperfeiçoar o atendimento.

 


Reunião busca definir estratégias da FIEPE para 2018

por Adriana Rodrigues 14 de Julho de 2017 às 07:25
categoria: Economia

Uma reunião na noite desta quarta-feira (12), na sede da Unidade Regional da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (URSF/FIEPE), em Petrolina, deu início às escutas entre os conselheiros da entidade para definir e propor as estratégias e o planejamento para 2018 na região.

Participaram do encontro o diretor regional da FIEPE, Albânio Nascimento, o gerente do Núcleo de Planejamento, Gestão e Tecnologia, Israel Erlich, o gerente do Núcleo de Economia e Negócios Internacionais da entidade, Thobias Silva, além dos empresários de vários segmentos industriais, como construção civil, couro, doce e gesso.

A FIEPE já realizou eventos para definir as estratégias em Araripina e Caruaru. Depois de Petrolina, o debate seguirá para Recife. Segundo Israel Erlich, palestrante especial do encontro, os participantes são requisitados a fazer análises de situação de sua região, em que buscam reconhecer as fraquezas, ameaças, forças e oportunidades para os segmentos. Conhecida no meio empresarial pela sigla ‘SWOT’ (termo em inglês), essa análise vai mensurar e propor os próximos passos da Unidade Regional do Sertão do São Francisco (URSF) para o ano corrente de 2018.

“Fizemos uma escuta da situação atual e prevista para Petrolina e municípios cobertos pela unidade, e, depois que concluirmos esse período, vamos iniciar a confecção de um documento de Construção e Planejamento Estratégico, que será colocado para a aprovação da diretoria da FIEPE”, disse Erlich.

Num levantamento realizado pelo Boletim Focus do Banco Central, o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil cresceu 0,1% e o de Pernambuco chegou a 0,7% no primeiro trimestre de 2017. Em pesquisa própria, a Federação das Indústrias detectou que até o fim do primeiro semestre, foram admitidos 11.864 pessoas pelo setor. “Embora esses números ainda sejam tímidos, demonstram uma perspectiva positiva para o segmento industrial”, explicou o palestrante, Thobias Silva, do Núcleo de Economia da FIEPE.

Albânio Nascimento, diretor da URSF, disse que a confecção do novo Planejamento Estratégico e os números da indústria servirão como base para os empresários. “Estamos sempre procurando soluções efetivas para embasar o setor”, afirmou ele, que também reiterou a importância de criar estratégias localizadas. “A federação está realizando reuniões em todas as suas unidades porque entende que cada caso é uma situação diferente. Os problemas de Petrolina não são os de Recife ou Caruaru; por isso, nosso Planejamento virá adaptado a essas nuances”, concluiu. 


Preço da gasolina sobe 1,7% e a partir desta sexta-feira

por Karine Paixão 13 de Julho de 2017 às 11:22
categoria: Economia

 

A Petrobras anunciou na manhã desta quinta-feira (13), mais um ajuste nos preços dos combustíveis. Desta vez, a gasolina subirá 1,7%, enquanto o óleo diesel cairá 0,9% na venda para as refinarias. Os novos preços valerão a partir desta sexta-feira (14).

A nova política de revisão de preços foi divulgada pela petroleira no dia 30 de junho. Com o novo modelo, a Petrobras espera acompanhar as condições do mercado e enfrentar a concorrência de importadores. A estatal perdeu participação de mercado no primeiro semestre, por conta de competidores que estavam trazendo combustíveis mais em conta do exterior, aproveitando o momento de recuperação de margens, adotado pela estatal.

Com isso, as refinarias da Petrobras estavam trabalhando com menores patamares de utilização da capacidade, o que significa que o custo de produção de cada litro estava saindo mais caro para a companhia.

Em vez de esperar um mês para ajustar seus preços, a Petrobras agora avalia todas as condições do mercado para se adaptar, o que pode acontecer diariamente. Além da concorrência, na decisão de revisão de preços, pesam as informações sobre o câmbio e as cotações internacionais. (Estadão Conteúdo)


Prefeito comemora indicadores do São João e minimiza críticas: “Vamos nos basear pela maioria”

por Karine Paixão 6 de Julho de 2017 às 14:35
categoria: Economia



Com aprovação de mais de 95% da população que compareceu ao Pátio de Eventos Ana das Carrancas durante o São João de Petrolina, o prefeito de Petrolina Miguel Coelho não escondeu a satisfação ao anunciar o balanço dos dados coletados numa pesquisa realizada durante a festa. Em sua explanação, Coelho destacou os indicadores socioeconômicos positivos que, em comparação ao evento realizado no ano passado, além da economia de mais de R$ 1,5 milhão não registrou casos graves de violência dentro do circuito e nem fora dele. 

“Conseguimos, comparado a 2016, uma redução de mais de 30% dos gastos da Prefeitura. Pela Primeira vez, a Prefeitura ficou com um patrocínio, antes eles eram sempre repassados para a iniciativa privada. A gente não concordou, até porque se a gente tinha o maior custo tinha que ficar com uma quantia dos patrocinadores (…) Outros patrocínios ficaram para a concessionária como estava previsto no edital do nosso chamamento público. Pelas nossas contas da pesquisa, a movimentação financeira é superior a R$ 250 milhões de reais. Eu sei que alguns de vocês podem me perguntar: 'Miguel, o Estado divulgou que todos os São Joões movimentaram R$ 256 milhões, mas trata-se do se movimentou em hotelaria em todo o Estado. Aqui quando você coloca todos os movimentos ligados aos seguimentos diretos e indiretos, temos esse movimento superior a R$ 250 milhões. A nossa projeção de gerar entre 8 e 10 mil empregos e nós atingimos, geramos 8,3 mil”, destacou. Ainda segundo o balanço feito pela Prefeitura, apenas pequenos furtos foram registrados durante o São João de Petrolina, desde o São João dos Bairros até a Jecana do Capim, evidenciando a eficiência no esquema montado entre as forças de segurança pública presente nos eventos. “Nós não tivemos nenhum caso de homicídio e tentativa de homicídio, latrocínio e nem sequestro esse ano e no ano passado isso chegou a ser registrado. Alguns furtos que são praticamente impossível de serem evitados com uma média de 50 ou 60 mil pessoas aglomeradas em um espaço fechado, mas aqui tiveram esses furtos mas os materiais foram recuperados, os documentos foram recuperados. Infelizmente houve três casos de agressões a mulher, protegidas pela Lei Maria da Penha. E na pesquisa também questionamos o que as pessoas acharam desse aparato com todas essas instituições que montamos e atingimos um volume de aprovação de mais de 90% no quesito segurança. Isso sem dúvida era algo que me deixava muito aflito porque fazer São João não é apenas colocar a banda lá em cima, é dar conforto, comodidade e segurança para quem está ali”. 

Questionado sobre as críticas feitas por setores culturais da cidade que cobraram mais apoio da Prefeitura, Miguel Coelho revela o valor investido e o apoio dado pela gestão. “Acho um pouco injusto, os sanfoneiros e violeiros dizerem que não tiveram apoio se foi repassado mais de R$ 20 mil em apoio da Prefeitura. Se achar que isso é pouco a gente precisa redefinir o que é o valor monetário para cada apoio que estamos realizando, até porque fora desses números que estamos apresentando, nós apoiamos outros 30 eventos espalhados na zona rural e urbana. Essa questão de críticas faz parte do processo, a gente não consegue agradar 100%, chegamos perto mas não deu. Vai ter uma minoria que ficará insatisfeita, mas nós vamos nos basear pela maioria que é estremecedora, uma maioria absoluta de 95% da população, mas vamos melhorar alguns pontos eventuais para o ano que vem”. 


Seminário vai abordar a importância do atendimento para as empresas

por Adriana Rodrigues 4 de Julho de 2017 às 18:00
categoria: Economia



Uma das chaves de sucesso para todo empreendimento diz respeito à maneira como é realizado o atendimento ao consumidor. Se você atende bem, tem informações seguras e precisas sobre os produtos ou serviços com os quais trabalha, suas chances de conquistar e manter o cliente se tornam ainda maiores. E é justamente com o objetivo de destacar a importância do atendimento para o sucesso de empresas nos mais variados segmentos, que o projeto Varejo em Ação promove, no próximo dia 11 de julho (terça-feira), das 19h às 22h, no auditório do SENAC Petrolina, o seminário “O atendimento que multiplica vendas”, que terá como palestrante o conferencista Gonçalo Pontes.

O evento é uma parceria do SENAC, Sebrae, Sindilojas Petrolina  e CDL. Para participar, o interessado deve se inscrever na sede de uma destas quatro instituições, mediante o pagamento de uma taxa de R$ 50.

“Uma palestra que, sem dúvidas, há de trazer um mix de informações que certamente serão úteis para os empreendedores da região. O atendimento é a porta de entrada de toda empresa e poder incrementar esse setor é, de certa forma, investir em resultados melhores para todos os segmentos”, pontua o presidente do Sindilojas, Joaquim de Castro.

Sobre o palestrante: Gonçalo Pontes é conferencista, consultor e palestrante, graduado em Economia e Direito, tem MBA em Gestão Empresarial, Pós-Graduado em Direito e Processo do Trabalho, há quase 10 anos dedica-se à pesquisa de cenários e tendências de gestão das organizações privadas e públicas, especialmente quanto a temas ligados à qualidade, estratégias competitivas, criatividade, transformação, motivação e inovação, bem como, a melhoria da capacitação profissional, desenvolvimento e aumento qualitativo do capital intelectual. 


Prazo para saque do PIS/Pasep termina nesta sexta, mas será reaberto

por Mônia Ramos 30 de Junho de 2017 às 08:28
categoria: Economia



Quem não tiver possibilidade de sacar nesta sexta (30) o abono salarial dos programas de Integração Social (PIS) e de Formação de Patrimônio do Servidor Público (Pasep,) referente ao ano-base 2015, terá nova chance. Em vez de ser encerrado definitivamente nesta sexta-feira, como estava previsto, o prazo será reaberto em 27 de julho e o trabalhador terá até 28 de dezembro para sacar o dinheiro.

O Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat) aprovou ontem (29) a reabertura do prazo. A proposta foi apresentada pelo ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, que atendeu a pedidos feito pelo representante dos trabalhadores no colegiado. Segundo o ministro, 1,57 milhão de pessoas – 6,5% do total com direito ao abono – ainda não fizeram o saque do benefício referente a 2015. Na mesma reunião, o Codefat aprovou o calendário para saque do abono referente ao ano-base 2016, que também começará em 27 de julho.

Cada trabalhador pode ter até R$ 937 a receber, um salário mínimo. O valor varia de acordo com o tempo em que o trabalhador esteve formalmente empregado no ano de referência. É preciso ter trabalhado por no mínimo 30 dias, com remuneração média mensal de até dois salários mínimos. Também é necessário estar inscrito nos programas há pelo menos cinco anos.

É preciso ainda que os trabalhadores tenham tido seus dados informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais). Os valores não sacados são destinados ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). O abono do PIS é pago pela Caixa Econômica Federal a trabalhadores do setor privado. Já o Pasep é pago pelo Banco do Brasil a servidores públicos.

Para sacar o abono do PIS, o trabalhador que tem o Cartão Cidadão e senha cadastrada pode se dirigir aos terminais de autoatendimento da Caixa ou a uma Casa Lotérica. Se não tiver o Cartão Cidadão, pode retirar o dinheiro em qualquer agência da Caixa, mediante a apresentação de documento de identificação. Informações sobre o PIS também podem ser obtidas pelo telefone 0800-726 02 07, da Caixa.

Os servidores públicos que têm direito ao Pasep precisam verificar se houve depósito em conta. Caso isso não tenha ocorrido, devem procurar uma agência do Banco do Brasil levando um documento de identificação. Mais informações sobre o Pasep podem ser obtidas pelo telefone 0800-729 00 01, do Banco do Brasil.


Cumprimento da meta fiscal de 2017 está garantido, diz secretária do Tesouro

por Mônia Ramos 30 de Junho de 2017 às 07:18
categoria: Economia

Apesar da demora na recuperação das receitas e da pressão das despesas obrigatórias, como as da Previdência Social, o cumprimento da meta fiscal em 2017 está assegurado, disse nesta quinta (29) a secretária do Tesouro Nacional, Ana Paula Vescovi. Segundo ela, o governo tem uma programação financeira rígida e conta com receitas extras que entrarão a partir do segundo semestre para cumprir o objetivo de fechar o ano com déficit primário de R$ 139 bilhões.

“Não há nenhuma razão para mudar expectativa em relação a meta”, disse a secretária. Ana Paula ressaltou que o déficit primário recorde registrado em maio foi apenas sazonal, provocado principalmente pela mudança no calendário de pagamento de precatórios e de sentenças judicais, que foi antecipado em seis meses.

De acordo com a secretária, existem R$ 15 bilhões de receitas extraordinárias em tramitação no Congresso que ainda não foram incluídas nas estimativas da equipe econômica. “Esse é um dinheiro que não está programado e ainda pode entrar. Na medida em que for possível fazê-lo com segurança e garantindo o cumprimento da meta, podemos fazer o contingenciamento [bloqueio de verbas]”, disse.

Atualmente, R$ 38 bilhões de despesas discricionárias (não obrigatórias) estão bloqueados para assegurar o cumprimento da meta de déficit de R$ 139 bilhões. O déficit primário é o resultado negativo nas contas do governo desconsiderando os juros da dívida pública. A cada dois meses, o Ministério do Planejamento analisa os parâmetros econômicos para decidir se libera ou bloqueia mais recursos. A próxima reavaliação ocorrerá no fim de julho.

Entre os R$ 15 bilhões não incluídos nas estimativas de receitas, a secretária do Tesouro citou o projeto de lei que regulamenta o pagamento de precatórios pela União, que pode render R$ 8,6 bilhões aos cofres federais; e a medida provisória que reabriu o parcelamento de dívidas de contribuintes com a União, que pode render R$ 5 bilhões a mais que o inicialmente previsto. O restante viria da renegociação de dívidas com o Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural (Funrural).

Em relação às receitas já incluídas na programação orçamentária, Ana Paula disse que o Tesouro terá um impulso no segundo semestre com leilões de concessões de petróleo e de hidrelétricas em setembro, outubro e novembro. Ela também citou operações de vendas de ações de empresas em que o governo detém participação, como a do IRB-Brasil, antiga estatal que monopoliza o mercado de resseguros no país, na qual o Tesouro ainda tem participação.

Aumento de tributos

A secretária evitou responder se o governo pode aumentar tributos caso constate que não conseguirá cumprir a meta fiscal. Segundo ela, essa avaliação só será feita no fim de julho, quando o Ministério do Planejamento divulgar o Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas do terceiro bimestre.

Sobre a crise que levou a Polícia Federal a suspender a emissão de passaportes, Ana Paula disse que o problema não se deveu ao contingenciamento de recursos, mas ao limite orçamentário que está sendo corrigido pelo Planejamento por meio de projeto de lei que libera crédito extraordinário de R$ 102 milhões.(Com informações da Agência Brasil)


MP 764 é mais vantagem para o empresário do que para o consumidor, diz Camargo Lima

por Mônia Ramos 28 de Junho de 2017 às 16:24
categoria: Economia

Foi sancionada esta semana pelo presidente Michel Temer a lei que permite aos comerciantes cobrarem preços diferentes para um mesmo produto, dependendo da forma como o cliente paga e do prazo de pagamento. Assim, o comerciante fica autorizado a cobrar um preço de quem paga com cartão e outro de quem paga em dinheiro, por exemplo. A prática, apesar de já ser comum no comércio, era proibida. A mudança foi proposta em dezembro pelo governo em forma de uma medida provisória.

Com a MP 764, o governo disse esperar que a nova regra contribua para a redução dos custos do crédito ao consumidor. O advogado Camargo Lima considera essa resolução mais vantajosa para o empresário do que para o cliente. “Hoje em dia, a aplicação de preço diferenciado na venda com cartão de débito e dinheiro é uma infração ao consumidor passível de multa, com essa medida deixa de ser infração. O comerciante poderá dar um desconto maior ao consumidor, isso pode ajudar o consumidor a barganhar um desconto maior com a compra em dinheiro”, disse.

Qualquer valor pode ser pago no cartão de crédito e a restrição em caso de promoção para pagamento em cartão também é legal. “As lojas devem identificar os preços à vista e a prazo”. Ao passar pela análise do Congresso, os parlamentares incluíram no texto que o fornecedor do produto ou serviço deverá informar, em local visível ao consumidor, eventuais descontos oferecidos em função do prazo ou do instrumento de pagamento usado.

No caso de descumprimento das regras, os comerciantes ficarão sujeitos a punições previstas em uma lei de 1990, como multa, apreensão de produtos, cassação de licença da atividade e interdição do estabelecimento. “A fiscalização em tese já existe, em Pernambuco existem poucos fiscais, os que têm são estaduais e ficam em Recife, cabe ao consumidor ficar atento e denunciar, em caso de abuso, no Prodecon”, pontua.

Com a mudança, a expectativa é que, a partir de agora, quem paga em dinheiro fique livre dessa cobrança e acabe tendo desconto no valor dos produtos.


Temer sanciona lei que permite descontos para compras feitas em dinheiro

por Mônia Ramos 26 de Junho de 2017 às 17:00
categoria: Economia

O presidente Michel Temer sancionou a lei que possibilita descontos para os consumidores caso o pagamento seja feito em espécie, e não em cartão de crédito ou débito. A lei que regulamenta a diferenciação de preços tem como origem a Medida Provisória (MP) 764/2016. A cerimônia de assinatura da sanção presidencial ocorreu no fim da manhã de desta segunda-feira (26), no Palácio do Planalto.

Além de permitir que os comerciantes cobrem preços diferenciados para um mesmo produto em função da forma de pagamento, a medida possibilita a variação do valor em função do prazo de pagamento.

Entre as mudanças feitas pelo Congresso ao texto original está a obrigação do fornecedor de informar, em lugar visível, os descontos que são oferecidos, tanto com relação ao meio de pagamento quanto em relação ao prazo. O comerciante que não cumprir essa regra estará sujeito a multas previstas no Código de Defesa do Consumidor.

A diferenciação de preços já estava valendo, uma vez que ela foi apresentada por meio de MP. No entanto, como sofreu alterações durante a tramitação no Legislativo, precisa ser sancionada pela Presidência da República para virar lei.

A MP foi apresentada pelo Executivo, em meio a um pacote de medidas macroeconômicas que foram publicadas sob a justificativa de possibilitar o aumento da produtividade no país.

A expectativa é de que, ao permitir a diferenciação de preços, ela estimule a queda do valor médio cobrado pelos produtos, de forma a evitar que consumidores que não usam o cartão como forma de pagamento paguem as taxas dos cartões, quando embutidas nos preços dos produtos.

Reunião

No último domingo (25) à noite, o presidente Temer se reuniu com parlamentares e ministros no Palácio do Alvorada. Oficialmente, a reunião foi feita com o objetivo de “discutir a pauta de votações no Congresso”. Participaram dela o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e os líderes do governo no Congresso, André Moura (PSC-SE), e na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB).

Também estiveram presentes os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, da Justiça e Segurança Pública, Torquato Jardim, da Casa Civil, Eliseu Padilha, da Secretaria de Governo da Presidência, Antônio Imbassahy, da Secretaria-Geral da Presidência da República, Moreira Franco, do Gabinete de Segurança Institucional, Sérgio Etchegoyen, e das Relações Exteriores, Aloysio Nunes.