asdasdasdasd

Governadores voltam a Brasília para discutir reforma da Previdência

por Milena Pacheco 11 de Junho de 2019 às 11:00
categoria: Política

Com a proximidade da apresentação do relatório da reforma da Previdência, prevista para esta semana na comissão especial da Câmara que analisa a proposta, crescem a pressão e a expectativa de estados e municípios para permanecer no texto, como proposto originalmente pelo governo. Nesta terça-feira (11) os chefes dos governos estaduais desembarcam em Brasília para a 5ª Reunião do Fórum de Governadores, com o objetivo de afinar o discurso. A divulgação antecipada de uma carta pública na última quinta-feira (6) pelo Fórum desagradou a alguns governadores da Região Nordeste.

(Foto: Reprodução/Twitter)

O documento ressalta a importância de os estados serem garantidos no texto por causa do déficit nos regimes de aposentadoria e pensão de seus servidores. Apesar da assinatura de sete dos nove chefes do Executivo da região, eles negam que tenham dado o “de acordo” ao documento. A reação veio no mesmo dia, por meio de outra carta, assinada por todos os governadores nordestinos. Nela, além do ponto comum que estava na carta do Fórum, eles acrescentaram pontos específicos que querem ver retirados da proposta, como as mudanças no Benefício de Prestação Continua (BPC) e nas aposentadorias rurais. Eles questionaram também a desconstitucionalização da Previdência e o sistema de capitalização, no qual se baseia o regime futuro de Previdência.

Pauta

A pauta, previamente distribuída, do encontro em Brasília é extensa: prevê discussões em torno de temas que afetam diretamente o caixa dos governadores. Entre os temas estão o chamado de Plano Mansueto – pacote de ajuda aos estados em dificuldades financeiras – a Lei Kandir, Cessão Onerosa/ Bônus de Assinatura além da PEC 51/19, que trata da ampliação do Fundo de Participação dos Estados (FPE) no Orçamento da União e do Novo Marco Legal do Saneamento Básico. A lista também traz a reforma da Previdência, que deve dominar a maior parte da reunião. Embora o déficit previdenciário dos estados ultrapasse os R$ 90 bilhões por ano, líderes da Câmara resistem em aprovar regras mais duras para aposentadorias de servidores estaduais e municipais. No Congresso, a avaliação dos que resistem à ideia é de que governadores e prefeitos não podem transferir para deputados e senadores o desgaste político de medidas impopulares nos órgãos legislativos.

Municípios

Os municípios também querem garantir que serão mantidos no texto da reforma da Previdência. Na semana passada, o presidente da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Glademir Aroldi, levou ao presidente e ao relator da comissão especial da reforma, respectivamente Marcelo Ramos (PL-AM) e Samuel Moreira (PSDB-SP), um documento assinado pelos presidentes das entidades estaduais que destaca a importância de estabelecer um modelo previdenciário sustentável para a atual e as futuras gerações.

 

O manifesto estima uma redução de despesa de R$ 41 bilhões em quatro anos e R$ 170 bilhões em dez anos com aposentadorias e pensões para os 2.108 municípios com Regime Próprio de Previdência Social (RPPS). Levantamento feito pela entidade mostra que a redução de custos possível, caso haja a reforma, poderá motivar os demais municípios a adotarem o RPPS. Se os municípios criarem um regime próprio, a CNM estima redução média nas taxas de contribuição de 55% – referentes à alíquota patronal para o RGPS e ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Mesmo para os que se mantiverem no Regime Geral de Previdência Social, a PEC traz ganhos ao obrigar a desvinculação do servidor aposentado de suas funções na prefeitura.

Convidado a participar da reunião do Fórum dos Governadores esta semana, Aroldi disse à Agência Brasil que os prefeitos estão em contato com deputados federais de suas regiões para pedir apoio à inclusão deles no texto da reforma. “O corpo a corpo no Congresso está sendo e será feito até a hora das votações”, garantiu. (Agência Brasil)


TRE-BA aprova com ressalvas as contas de Isaac Carvalho das eleições 2018

por Milena Pacheco 10 de Junho de 2019 às 17:03
categoria: Política

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) aprovou, com ressalvas, as contas de Isaac Carvalho (sem partido), referentes à eleição para deputado federal em 2018. De acordo com a decisão divulgada pelo TRE, as ressalvas não afetam a confiabilidade e regularidade das contas apresentadas pelo candidato no último pleito.

(Foto: reprodução)

“Portanto, no caso em tela, concluo que as máculas referidas não têm condão de afetar a confiabilidade e regularidade das contas apresentadas”, concluiu o relator do processo, o Juíz Freddy Carvalho Pitta Lima.

Assim que soube da decisão, Isaac disse que a Justiça foi feita e destacou que cumpriu seu papel já que as declarações de campanha foram cumpridas, assim como as movimentações financeiras.

O TRE-BA havia reprovado as contas de campanha de Isaac Carvalho por suspeita de irregularidade na ordem de R$ 920.883,12, valor 173,41% superior ao total gasto declarado pelo comunista, que foi de R$531.033,32.

Eleito deputado no último pleito, Isaac Carvalho recebeu mais de 100 mil votos, mas não foi diplomado porque o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) derrubou a liminar que sustentava sua candidatura. O Ministério Público Federal pediu a impugnação da candidatura com base na Lei da Ficha Limpa já que em 2016, ele foi condenado 11 meses e 10 dias de prisão por ilegalidades com recursos públicos, com abertura de abertura ilícita de créditos adicionais suplementares. (Fonte: Blog Nossa Voz)


Para Marco Aurélio, mensagens de Moro colocam em dúvida equidistância da Justiça

por Milena Pacheco 10 de Junho de 2019 às 16:42
categoria: Política

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou que a troca de mensagens entre o ex-juiz Sergio Moro, atual ministro da Justiça e Segurança Pública, e o procurador do Ministério Público Federal (MPF), Deltan Dallagnol, divulgadas pelo site The Intercept Brasil, põe em xeque a equidistância da Justiça.

Foto: Evaristo Sá / AFP

“Apenas coloca em dúvida, principalmente ao olhar do leigo, a equidistância do órgão julgador, que tem ser absoluta”, afirmou o magistrado. Segundo o ministro, a relação entre procurador e juiz deve se dar de forma pública, nos autos do processo. “Isso [relação do juiz e procurador] tem que ser tratado no processo, com ampla publicidade. De forma pública, com absoluta transparência”, disse.

Marco Aurélio evitou, no entanto, comentar detalhes do caso. Ele disse que é preciso aguardar para analisar se as revelações terão alguma interferência na Operação Lava Jato. “Agora, as consequências, eu não sei. Temos que aguardar”, falou.

Em 2016, o ministro chegou a elogiar a Operação Lava Jato e então juiz federal Sergio Moro. Durante uma entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, Marco Aurélio disse que “merecem aplausos a Polícia Federal, o Ministério Público e a magistratura, simbolizada na figura do juiz Sergio Moro”. O magistrado, porém, fez críticas pontuais à condução do caso. Para ele, as divulgações dos grampos envolvendo o ex-presidente Lula e a então presidente Dilma Rousseff, por exemplo, eram “condenáveis a todos os títulos”.

“Temos lei que impõe sigilo. Para divulgação de um magistrado, há pena prevista no campo administrativo”, afirmou. “Agora, o conteúdo também é algo super desagradável, para dizer o mínimo”, declarou o ministro na época.

Reação

O conteúdo divulgado pelo The Intercept Brasil nesse domingo expõe como o atual ministro da Justiça sugeriu ao MPF trocar a ordem de fases da Lava Jato, cobrou a realização de novas operações, deu conselhos e pistas e antecipou ao menos uma decisão judicial.

Em nota, a força-tarefa da Lava Jato no MPF do Paraná diz que “seus membros foram vítimas de ação criminosa de um hacker que praticou os mais graves ataques à atividade do Ministério Público, à vida privada e à segurança de seus integrantes”. O texto fala também que “dentre as informações ilegalmente copiadas, possivelmente estão documentos e dados sobre estratégias e investigações em andamento e sobre rotinas pessoais e de segurança dos integrantes da força-tarefa e de suas famílias. Há a tranquilidade de que os dados eventualmente obtidos refletem uma atividade desenvolvida com pleno respeito à legalidade e de forma técnica e imparcial, em mais de cinco anos de Operação.”

A força-tarefa afirma ter “três preocupações”. “Primeiro, os avanços contra a corrupção promovidos pela Lava Jato foram seguidos, em diversas oportunidades, por fortes reações de pessoas que defendiam os interesses de corruptos, não raro de modo oculto e dissimulado.”

“A violação criminosa das comunicações de autoridades constituídas é uma grave e ilícita afronta ao Estado e se coaduna com o objetivo de obstar a continuidade da Operação, expondo a vida dos seus membros e famílias a riscos pessoais. Ninguém deve ter sua intimidade – seja física, seja moral – devassada ou divulgada contra a sua vontade. Além disso, na medida em que expõe rotinas e detalhes da vida pessoal, a ação ilegal cria enormes riscos à intimidade e à segurança dos integrantes da força-tarefa, de seus familiares e amigos”, afirmam.

Os procuradores dizem que “é importante dar continuidade ao trabalho”. “Apenas neste ano, dezenas de pessoas foram acusadas por corrupção e mais de 750 milhões de reais foram recuperados para os cofres públicos. Apenas dois dos acordos em negociação poderão resultar para a sociedade brasileira na recuperação de mais de R$ 1 bilhão em meados deste ano. No total, em Curitiba, mais de 400 pessoas já foram acusadas e 13 bilhões de reais vêm sendo recuperados, representando um avanço contra a criminalidade sem precedentes. Além disso, a força-tarefa garantiu que ficassem no Brasil cerca de 2,5 bilhões de reais que seriam destinados aos Estados Unidos.”

“Em face da agressão cibernética, foram adotadas medidas para aprimorar a segurança das comunicações dos integrantes do Ministério Público Federal, assim como para responsabilizar os envolvidos no ataque hacker, que não se confunde com a atuação da imprensa. Desde o primeiro momento em que percebidas as tentativas de ataques, a força-tarefa comunicou a Procuradoria-Geral da República para que medidas de segurança pudessem ser adotadas em relação a todos os membros do MPF. Na mesma direção, um grupo de trabalho envolvendo diversos procuradores da República foi constituído para, em auxílio à Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação da PGR, aprofundar as investigações e buscar as melhores medidas de prevenção a novas investidas criminosas”, dizem.

“Em conclusão, os membros do Ministério Público Federal que integram a força-tarefa da operação Lava Jato renovam publicamente o compromisso de avançar o trabalho técnico, imparcial e apartidário e informam que estão sendo adotadas medidas para esclarecer a sociedade sobre eventuais dúvidas sobre as mensagens trocadas, para a apuração rigorosa dos crimes sob o necessário sigilo e para minorar os riscos à segurança dos procuradores atacados e de suas famílias”, concluem.

Nota de Moro

O ex-juiz federal e atual ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, afirmou que as mensagens divulgadas foram tiradas do contexto e que nelas “não se vislumbra qualquer anormalidade ou direcionamento da atuação enquanto magistrado.” Confira a nota:

“Sobre supostas mensagens que me envolveriam publicadas pelo site Intercept neste domingo, 9 de junho, lamenta-se a falta de indicação de fonte de pessoa responsável pela invasão criminosa de celulares de procuradores. Assim como a postura do site que não entrou em contato antes da publicação, contrariando regra básica do jornalismo. Quanto ao conteúdo das mensagens que me citam, não se vislumbra qualquer anormalidade ou direcionamento da atuação enquanto magistrado, apesar de terem sido retiradas de contexto e do sensacionalismo das matérias, que ignoram o gigantesco esquema de corrupção revelado pela Operação Lava Jato.” (Folha de S. Paulo/JC)


Rui e governadores do NE defendem diálogo para rever reforma com inclusão dos estados

por Milena Pacheco 7 de Junho de 2019 às 11:57
categoria: Política

Com a ameaça de ter seus estados excluídos do projeto de reforma da Previdência do governo federal, o governador Rui Costa (PT) e os oito demais governadores do Nordeste assinaram uma carta para defender a necessidade de manutenção da abrangência do projeto. Para eles, a exclusão representa um sinal de "abandono".

Foto: Divulgação

"A retirada dos estados da reforma e tratamentos diferenciados para outras categorias profissionais representam o abandono da questão previdenciária à própria sorte, como se o problema não fosse de todo o Brasil e de todos os brasileiros. No entanto, há consenso em outros tópicos, e acreditamos na intenção, amplamente compartilhada, de se encontrar o melhor caminho", dizem no texto.

Com o título "Há um só Brasil que é de todos os brasileiros", os gestores avaliam a "turbulência política e econômica" enfrentada pelas unidades federativas, citando como exemplo a queda do Produto Interno Bruto (PIB) já no primeiro trimestre deste ano.

Dessa forma, os gestores reforçam a continuidade do diálogo para sanar os pontos ainda divergentes, como o Benefício de Prestação Continuada (BPC) e a aposentadoria dos trabalhadores rurais.

"Também são pontos controversos na reforma ora em pauta a desconstitucionalização da previdência, que acarretará em muitas incertezas para o trabalhador, e o sistema de capitalização, cuja experiência em outros países não é exitosa. Além de outras alterações que, ao contrário de sanear o déficit previdenciário, aumentam as despesas futuras não previstas atuarialmente", pontuam.

A carta é uma declaração alternativa ao texto assinado pelos demais governadores do país, também na quinta. O grupo majoritário demonstra apoio à proposta do ministro da Economia, Paulo Guedes, a fim de garantir que seus estados não sejam excluídos da matéria. (Fonte: Bahia Notícias/Holofotes/Foto: Divulgação)


Isaac Carvalho no PT; Rui Costa reforça convite feito por Jaques Wagner

por Milena Pacheco 6 de Junho de 2019 às 10:54
categoria: Política

Tudo indica que o ex-prefeito de Juazeiro, Isaac Carvalho vai mesmo se filiar ao PT. Após o convite feito pelo senador Jaques Wagner, agora o governador da Bahia, Rui Costa, reforçou o convite.

A informação foi divulgada pela assessoria de Isaac, que atualmente desempenha a função de Assistente Especial do Quadro Especial da Casa Civil, em exercício no Gabinete do Governador.

“Fico muito honrado por receber o convite desses dois importantes políticos, pelos quais eu tenho grande admiração e respeito. Assim como disse a Wagner, reafirmo a Rui que a minha decisão em relação ao partido que vou atuar, com certeza estará alinhada com esse projeto do qual faço parte desde 2008, quando fui prefeito pela primeira vez, e que agora dou minha contribuição dentro da própria gestão estadual”, declarou o ex-prefeito de Juazeiro. (Fonte: Blog Nossa Voz/Foto: divulgação)


Lucas Ramos envia nota rebatendo críticas do secretário Fred Machado

por Milena Pacheco 5 de Junho de 2019 às 17:31
categoria: Política

Fotos: Divulgação e Milena Pacheco/Nossa Voz

Na entrevista do secretário de Infraestrutura de Petrolina, Fred Machado, ao Nossa Voz, nesta quarta-feira (05), o gestor fez duras críticas à Compesa, ao Governo do Estado e até ao deputado estadual Lucas Ramos. “O que é que Lucas Ramos colocou aqui? Esses R$ 38 milhões form conseguidos pelo senador Fernando Bezerra Coelho, os R$ 5 milhões, que é dessa obra a passos da tartaruga da Bacia do Jatobá, foram conseguidos quando ele [FBC] ainda era ministro da Integração”, disparou Machado.

Por isso, o deputado Lucas Ramos encaminhou nota à redação do Nossa Voz para responder às declarações feitas pelo secretário da prefeitura de Petrolina. Confira a nota na íntegra.

“Durante entrevista ao programa Nossa Voz, mostra desconexão com a realidade. Em respeito aos ouvintes, reafirmamos que temos trabalhado sem descanso pelo desenvolvimento de Petrolina. Como alguns exemplos, destacamos as emendas parlamentares que destinamos para a conclusão do sistema de abastecimento de água do Serrote do Urubu e implantação da rede de distribuição do Loteamento Park Mandacaru. A ampliação do sistema de esgotamento sanitário do município também conta com indicação de emenda de nossa autoria. Ainda direcionamos recursos para garantir o funcionamento da Fundação Evangélica do Vale do São Francisco (Fevasf) e para elaboração do projeto executivo do Compaz, uma fábrica de cidadania que atenderá toda a cidade.

Mas não é somente através de emendas que transformamos a vida dos petrolinenses. Conseguimos também duas escolas estaduais de referência para os bairros João de Deus e São Gonçalo, implantamos a sinalização turística no acesso aos balneários de Pedrinhas e Ilha do Rodeadouro, instalamos seis sistemas simplificados de abastecimento de água para levar dignidade a centenas de famílias. Para reforçar a segurança pública, trouxemos para Petrolina o 2º BIESP e garantimos a chegada de novos militares para compor o efetivo do 5º BPM. Viabilizamos ainda a conservação asfáltica de rodovias como as PEs 626, 655 e 647, e em breve iniciaremos o serviço na 636, que dá acesso ao Maria Tereza. Estamos dispostos a seguir no mesmo ritmo para que a cidade avance mais.

Um auxiliar do poder executivo municipal deve atuar pelo bem da população e não se deixar levar pelo discurso vazio. Sugerimos ao secretário que leia o Diário Oficial ou dispense maior atenção às notícias veiculadas na imprensa para não falar inverdades ao povo petrolinense.

Lucas Ramos, Deputado Estadual – PSB


Paulo Câmara rebate Ciro Gomes e diz que ele ‘não aceita a derrota eleitoral’

por Milena Pacheco 29 de Maio de 2019 às 16:15
categoria: Política

O governador Paulo Câmara (PSB) reagiu às declarações do ex-presidenciável Ciro Gomes (PDT), que disse, em entrevista ter sido “enganado” pelo socialista nas articulações para fechar alianças na campanha de 2018. O governador afirmou que “em relação à tentativa de Ciro Gomes, de nos responsabilizar pelo insucesso na construção de uma aliança que reforçasse a sua candidatura presidencial, fica claro que o ex-ministro não aceita sua derrota eleitoral e procura sempre se vitimizar, procurando apontar culpados”.

(fotos: reprodução internet)

Ciro lembrou que Paulo Câmara teria prometido a ele apoio na disputa pela Presidência da República, quando, de acordo com o ex-presidenciável, o PSB já teria fechado aliança com o PT em troca da neutralidade na campanha presidencial. O pedetista lembrou também que Paulo Câmara o chamou “desnecessariamente” para uma conversa, em Brasília, para dizer que ia apoiá-lo, quando, segundo o pedetista, já havia fechado acordo com o PT para “sacrificar” a candidatura de Marília Arraes (PT) na disputa pelo governo do estado.

Em nota, Paulo Câmara esclarece a proposta política do PSB na eleição presidencial de 2018, assegurando ter sido sincero com o ex-ministro e o com PDT, “pois colocamos desde o início, que nossa prioridade em 2018 era construir uma ampla frente de esquerda em Pernambuco, incluindo partidos como o PCdoB e o PT. Isso é de conhecimento público. Também sempre fizemos questão de destacar ao próprio Ciro, durante as reuniões que realizamos, que, nacionalmente, o PSB estava dividido entre três candidaturas presidenciais e a neutralidade, que terminou prevalecendo”, frisou o governador, que também é vice-presidente nacional do PSB.

No ano passado, durante o período pré-eleitoral, Paulo Câmara chegou a receber Ciro Gomes duas vezes no Palácio do Campo das Princesas, nos meses de janeiro e junho. O socialista chegou a acenar para uma possível aliança, mas acabou fechado com o PT. O governador, que tentava a reeleição, subiu no palanque do então candidato petista à Presidência da República Fernando Haddad, podendo assim, usar o legado do ex-presidente Lula para fortalecer seu projeto de continuar no comando do estado. Ciro Gomes, por sua vez, passou a criticar durante a postura dos socialistas. (Fonte: Diário de Pernambuco)


Recebido com festa, Bolsonaro desvia de manifestantes e inaugura residencial em Petrolina

por Milena Pacheco 24 de Maio de 2019 às 17:06
categoria: Política

 

Segurança reforçada na chega de Bolsonaro ao residencial. (Foto: Carol Souza/ Nossa Voz)

A primeira visita do presidente Jair Bolsonaro a Petrolina-PE contou com forte esquema de segurança. O presidente desembarcou na cidade sertaneja às 14h45 desta sexta-feira no Aeroporto Internacional senador Nilo Coelho.

Na pista de pouso o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, aguardava a chegada do presidente, assim como centenas de apoiadores que lotaram a entrada do aeroporto. Assim que desembarcou, Bolsonaro entrou em um dos carros do comboio que seguiu para a inauguração do residencial Morada Nova.

Diferente da recepção calorosa dos apoiadores do presidente, na entrada do Residencial, alguns militantes ostentavam faixas e palavras de ordem contra o governo Bolsonaro. Mas o presidente passou longe da rota dos protestos, já que foi criada uma estrada alternativa nos fundos do residencial.

Segurando faixas, protestantes manifestaram contra o presidente. (Foto: Carol Souza/ Blog Nossa Voz)

À frente dos protestos estavam os vereadores de Petrolina, Gilmar Santos e Cristina Costa, ambos do Partido dos trabalhadores (PT), além de integrantes de movimentos sociais e estudantes.

A vereadora Cristina Costa do (PT) dispara, ele não nos representa.

Ao blog Nossa Voz, Cristina Costa ressaltou ” a gente está aqui pra dizer a ele que essa reforma da previdência não representa a classe trabalhadora. Ele como presidente eleito pelos empresários, o Brasil é dos Brasileiros e nos somos a maioria pelos trabalhadores. E ele não nos representa”. 

Socorro Lacerda, membro do PCdoB de Petrolina. (Foto: Carol Souza/ Blog Nossa Voz)

Socorro Lacerda, membro do PCdoB de Petrolina criticou a presença de Bolsonaro para inaugurar uma obra particular. “Ele teve que entrar pela portas dos fundos pra inaugurar um condomínio particular. E até o momento não tem o que oferecer ao povo brasileiro”, disparou Socorro.

Neste momento, o presidente está ao lado do senador Fernando Bezerra Coelho, do deputado federal Fernando Filho, e de outra autoridades inaugurando o condomínio Morada Nova, no bairro Antônio Cassimiro.

No discurso Bolsonaro destacou que é o presidente de todos os brasileiros.


Bolsonaro em solo petrolinense

por Milena Pacheco 24 de Maio de 2019 às 16:49
categoria: Política

Miguel Coelho recepciona Bolsonaro. (Foto: Blog/ Nossa Voz)

Com atraso, Bolsonaro (PSL) chega à Petrolina. A visita faz parte da sua agenda a Pernambuco e tem como objetivo a entrega de unidades do programa habitacional do Minha Casa, Minha Vida. O prefeito de Petrolina, Miguel coelho (sem partido) segue ao encontro do atual presidente.

Governantes de Pernambuco fazem parte da cerimônia de entrega das unidades.

(Foto: Blog/ Nossa Voz)

A cerimônia de inauguração do Residencial Morada Nova, composto por 472 unidades habitacionais, conta com a presença de governantes da base. Também participaram do encontro os ministros de Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto e de Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, além de dez governadores que seguem juntos com sua comitiva para o residencial Morada Nova, no bairro Antônio Cassimiro, em Petrolina.

Em sua primeira visita ao Nordeste desde que foi eleito, Jair Messias Bolsonaro também participou, nesta quinta-feira (23) de uma reunião do Conselho Deliberativo da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). (Por: Iara Bispo/ Nossa Voz)


Com visita de Bolsonaro a Pernambuco, Paulo Câmara diz que espera ações positivas para o Nordeste

por Milena Pacheco 24 de Maio de 2019 às 11:51
categoria: Política

O governador Paulo Câmara (PSB) vai acompanhar, nesta sexta-feira (24) visita de Bolsonaro no Recife e em Petrolina. O socialista fará presença na agenda do Conselho Deliberativo da Sudene no Instituto Ricardo Brennand, na Várzea, Zona Oeste do Recife.

Segundo a assessoria do Governo de Pernambuco, Paulo estará na agenda do chefe do executivo brasileiro também em Petrolina.

 Reprodução/ Internet

Na visão de Paulo Câmara, é preciso um olhar especial do Governo Federal para o Nordeste, sobretudo por conta das desigualdades existentes. “Espero que o Plano de Desenvolvimento do Nordeste traga ações positivas para o avanço econômico da região e que possa haver outros desdobramentos. Há muita desigualdade no Nordeste.

São esperadas as presenças de onze governadores. Além do anfitrião Paulo Câmara (PSB), devem comparecer os nordestinos Flávio Dino (PCdoB-MA), Wellington Dias (PT-PI), Camilo Santana (PT-CE), Fátima Bezerra (PT-RN), João Azevedo (PSB-PB), Renan Calheiros Filho (MDB-AL), Belivaldo Chagas (PSC-SE) e Rui Costa (PT-BA). Também estão previstas as vindas dos governadores de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), e do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB-ES), que são líderes de estados que integram a Sudene.

Em Petrolina, no Sertão, Jair Bolsonaro vai inaugurar, por volta das 14h30, um conjunto habitacional do programa Minha Casa Minha Vida. O prefeito Miguel Coelho (sem partido) estará presente. (Fonte: Blog Nossa Voz)