Avião militar russo cai com 65 prisioneiros ucranianos a bordo

0
160
Imagem ilustrativa (Crédito: Freepik)

Um avião de transporte militar russo Il-76, com 65 prisioneiros de guerra ucranianos a bordo, caiu nesta quarta-feira (24) na região de Belgorod, fronteira com a Ucrânia, anunciou o Ministério russo da Defesa, segundo agências de notícias locais.

“Por volta de 11h em Moscou (5h00 em Brasília), um avião Il-76 caiu na região de Belgorod (…) A bordo estavam 65 prisioneiros do Exército ucraniano, transferidos para a região de Belgorod para uma troca, seis tripulantes e três acompanhantes”, indicou o ministério.

“Uma comissão da Força Aérea partiu para o lugar da queda para estabelecer as causas da catástrofe”, acrescentou. 

Imagens publicadas em redes sociais mostram um aparelho que cai antes de uma forte explosão, acompanhado de chamas e uma coluna preta de fumaça. 

Um governador russo disse que nenhum ocupante sobreviveu à queda de um avião militar que transportava 65 prisioneiros ucranianos, que caiu nesta quarta-feira (24) perto da fronteira com a Ucrânia. 

“Todos a bordo morreram”, disse Viacheslav Gladkov, governador da região de Belgorod onde ocorreu o acidente. 

De acordo com o Ministério russo da Defesa, 65 prisioneiros ucranianos, seis tripulantes e três acompanhantes estavam na aeronave. 

Questionado em sua conversa diária com a imprensa, o porta-voz do Kremlin não comentou os acontecimentos, devido ao caráter demasiado “recente” da informação. 

“Vamos esclarecer tudo isso”, limitou-se a dizer.

Já o presidente da Câmara baixa russa, Viacheslav Volodin, acusou Kiev de ter derrubado o avião, em pronunciamento em uma sessão plenária. 

Desde o início da ofensiva contra a Ucrânia, a Rússia sofreu vários desastres aéreos envolvendo aeronaves militares. 

No passado, a Ucrânia abateu aviões russos. Na semana passada, Kiev afirmou ter destruído um avião-espião A-50 e um avião de comando Il-22. 

Um avião que transportava o chefe do grupo paramilitar Wagner, Yevgeny Prigozhin, caiu em agosto de 2023 durante um voo entre Moscou e São Petersburgo, no qual morreram tanto o polêmico empresário quanto seus homens de confiança.

As autoridades russas negaram qualquer envolvimento no incidente, que ocorreu semanas após o motim abortado do grupo Wagner.

(Diário de Pernambuco)