asdasdasdasd

Líder não cita nomes de Elismar e Elias Jardim como integrantes do grupo de Oposição

por Redação Nossa Voz 26 de Maio de 2017 às 10:37

Em recente entrevista ao programa Nossa Voz, o líder de situação, o vereador Ruy Wanderley, disse que a Casa Plínio Amorim possui 16 parlamentares ao lado do Governo Executivo. Entretanto, segundo ele, esse número pode ser ainda maior, tendo em vista que mais dois vereadores – os quais ele não citou os nomes – estão mantendo um diálogo com o grupo e que, em breve, devem estar ao lado dos vereadores de situação.

Questionado pela nossa redação, o Líder de Oposição, o vereador Paulo Valgueiro, disse que não existe esse acordo e que o grupo se mantém inalterado. “Não existe essa demandada de forma alguma. Tem alguns que ainda não disseram se são de situação ou de oposição. Nenhuma alteração, por enquanto, prevista no quadro”, explicou.

De acordo com o vereador, o grupo de oposição possui cinco vereadores: Gilmar Santos, Cristina Costa, o próprio Paulo Valgueiro, Gabriel Menezes e Domingos de Cristália. O líder não citou os nomes dos vereadores Elias Jardim (PHS) e Elismar Gonçalves (PMDB), que tiveram o apoio do ex-prefeito de Petrolina, Julio Lossio (PMDB) e do partido nas últimas eleições.

O Líder de oposição enfatizou que o grupo respeita a opinião dos parlamentares, mas mostrou interesse em aumento o número de vereadores de oposição dentro da Câmara. “Cada um age de acordo com as suas convicções. Mas quem estiver na situação e quiser voltar para a situação, todos serão bem vindos”, disse.

Ele falou ainda sobre os parlamentares que estão em posição de neutralidade dentro da Casa. “Eles serão julgados pelos eleitores no futuro. Cabe a eles a decisão”, concluiu. 


Em resposta ao vereador Gabriel Menezes, Osório Siqueira diz que sessões itinerantes compensam às ordinárias

por Redação Nossa Voz 3 de Maio de 2017 às 10:32

Nesta semana, o vereador Gabriel Menezes se manifestou contra o cancelamento das sessões ordinárias quando houvesse audiências públicas. “Nada me impede de comparecer à sessão de hoje e a noite também [comparecer] à audiência pública”, afirmou. Para o parlamentar, esse tipo de situação “mancha a imagem do legislativo”.

A redação do Nossa Voz questionou ao presidente da Câmara de Vereadores de Petrolina, Osório Siqueira, sobre o cancelamento das sessões ordinárias. Ele afirmou que tudo ocorre dentro da legalidade. “A sessão itinerante é cobrada pela população. Infelizmente, a gente não tem o entendimento de todos. A sessão itinerante ela sai daqui e vai para o bairro, então ela compensa a sessão [ordinária], levando a discussão diretamente para a comunidade, está tudo dentro da legalidade. O horário é mudado para que a população possa participar”, explicou.


Orlando Tolentino diz estar pronto para o legislativo de PE: 'meu projeto é coletivo'

por Redação Nossa Voz 18 de Abril de 2017 às 12:18

O nome de Orlando Tolentino, atual integrante da equipe do prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (PSB), circula nos bastidores para uma possível pré-candidatura à Assembleia Legislativa de Pernambuco. Procurado pela nossa redação, o assessor evitou reforçar qualquer especulação em torno assunto, mas disse estar preparado para a missão. “Vamos aguardar a definição do time de 2018 para botar o bloco na rua”, disse.

Ex-integrante do grupo do ex-prefeito Julio Lossio (PMDB), Tolentino afirmou que existe um debate entre o grupo atual, mas que não foi colocada em pauta [ainda] a candidatura dele e que aguarda a decisão do coletivo. “Eu não tenho projeto pessoal e sim coletivo. Mas para mim seria uma honra”, confessou.

Vale lembrar que, em 2014, ainda no governo Lóssio, Orlando Tolentino desistiu da pré-candidatura de ocupar uma cadeira na Alepe. Agora, de olho em 2018, o assessor tenta fortalecer o nome dele no grupo do Senador Fernando Bezerra Coelho (PSB), participando de reuniões com várias lideranças comunitárias e políticas em Petrolina.

Discreto, ele desviou de mais questionamentos e disse que o momento agora é de trabalhar firme no governo de miguel Coelho (PSB).


Fernando Filho nega possível chapa para governo do Estado em 2018

por Simone Marques 17 de Abril de 2017 às 10:54

O Ministro das Minas e Energias Fernando Filho, em entrevista o programa Nossa Voz, manhã desta segunda-feira (17) desconversou sobre a possibilidade de uma candidatura para o governo de Pernambuco. 

Comentários de bastidores de que o então Ministro estaria se colocando para concorrer ao cargo do governo do Estado em 2018, seja encabeçando chapa ou possivelmente como vice em uma chapa encabeçada por Paulo Câmara.

Fernando Filho respondeu com bom humor que é fato que disputará a eleição em 2018, mas para Deputado Federal. “O povo de Petrolina conhece o meu estilo, eu gosto de ter muito cuidado com as palavras que eu falo, estou extremamente focado nesse desafio do Ministério de Minas e energia para ajudar a administração do prefeito Miguel, dos prefeitos nossos aliados, ajudar no que eu posso o governo do Estado a retomar as obras paradas que são fundamentais para o nosso desenvolvimento”.

Perguntado se houver um convite para a disputa, Fernando Filho disse que fica feliz por ter seu trabalho reconhecido e ter sido lembrado, mas tudo que se discute com antecedência não passava de meras especulações. “Eu estou determinado em fazer um bom trabalho no Ministério, em ajudar o prefeito e tudo indica é que eu vou disputar o meu mandato que o povo de Petrolina e Pernambuco me deu que é o de Deputado Federal, fora isso é só dar tempo ao tempo”, finalizou.  

 


Racha em Cabrobó: Vice pode romper com atual prefeito nos próximos dias

por Simone Marques 5 de Abril de 2017 às 10:28

Após três meses de mandato, surgem rumores em Cabrobó dos bastidores da política, ninguém fala em outra coisa a não ser o '‘possível’' racha da atual gestão comandada pelo prefeito Marcílio Cavalcante (PMDB) e o seu vice Pedro Caldas (PT), ele que é filho do ex-prefeito Eudes Caldas, e já se ventila que os dois poderão seguir caminhos diferentes na política.

Rumores dão conta de um rompimento entre os edis. A nossa reportagem apurou que praticamente já há o rompimento e que o vice-prefeito Pedro Caldas estaria prestes a anunciar.

Marcílio Cavalcanti e o vice Pedro Caldas após enfrentarem dificuldades para assumirem o mandato por conta de problemas com a filiação tiveram o recurso ajuizado pelo PMDB de Cabrobó reconhecendo a validade da eleição.

No final o prefeito conseguiu derrotar por mais de cinco mil votos de diferença o candidato do PSB Nestor do Sindicato, apoiado pelo prefeito Auricélio Torres (PSB). Ele teve o apoio dos ex-prefeitos Edgar e Eudes Caldas.

Agora é aguardar os próximos capítulos dessa novela que está só começando, e promete grandes embates.

 

 

 


Miguel Coelho reconhece papel de ex gestores no avanço de Petrolina, mas não cita Julio Lossio

por Redação Nossa Voz 16 de Março de 2017 às 09:15

Petrolina subiu 46 posições no ranking nacional das 100 melhores cidades do país e se tornou a primeira do Nordeste. A cidade está na posição 45 das 100 selecionadas para o levantamento. Durante pronunciamento para a imprensa, o prefeito Miguel Coelho (PSB) comentou sobre o reconhecimento e disse que seria injusto não reconhecer o trabalho das pessoas que lutaram pela cidade. Ele citou momentos marcantes na história da cidade, destacando os nomes dos ex-prefeitos Fernando Bezerra Coelho (PSB) e Odacy Amorim (PT). Já Julio Lóssio (PMDB) não teve o nome citado pelo atual prefeito.

“A gente não pode ser injusto com a história de Petrolina e muito menos injusto com a história de quem tanto trabalhou e de quem tanto lutou para Petrolina chegar aqui”, enfatizou. De acordo com o gestor municipal, essa história começou em 1995, quando a cidade ganhou o selo Unicef 'Amigo da Criança', quando Fernando Bezerra Coelho reabriu o Hospital Dom Malan, tornando-o referência no Brasil. Em 2004, Petrolina estava pela primeira vez entre as 100 melhores cidades do país. No ano seguinte, a cidade se destacou pelo saneamento em mais de 80% da cidade. Um ano depois, destacou-se pela mobilidade urbana e em 2008, esteve novamente na lista das melhores cidades na gestão de Odacy Amorim (PT), como destacou o prefeito.

Depois disso, o prefeito pulou para 2017, destacando que a cidade já esteve em posições melhores, mas que mesmo assim Petrolina ocupa um lugar de destaque, graças a ex-gestores, ex-secretários, ex-vereadores e principalmente à população. Para chegar a esta conclusão, a consultoria da Macroplan analisou os municípios com mais de 266 mil habitantes em 16 indicadores divididos em quatro áreas distintas: saúde, educação e cultura, segurança e saneamento e sustentabilidade.


Cristina Costa critica Mesa Diretora: 'É preciso o bom senso de quem conduz'

por Adriana Rodrigues 24 de Fevereiro de 2017 às 10:29

A vereadora Cristina Costa (PT) aproveitou o seu pronunciamento na Câmara de Vereadores de Petrolina para fazer uma crítica à Mesa Diretora. Segundo ela, as regras não estão sendo aplicadas de forma igualitária para os parlamentares da oposição e situação. “Vou aproveitar que não está tendo polêmica para mostrar porque em determinados momentos me acham chata e brigona. Mas é questão de justiça. Quando é oposição, o regimento é interno. Quando é em relação ao executivo, tem que valer a constituição. Essa Casa precisa entrar em um consenso”, disse.

A parlamentar se referia ao acontecimento durante a sessão, onde o vereador Cícero Freire estava usando a Tribuna, quando o colega Gilmar Santos pediu tempo e a mesa diretora avisou que havia acabado o tempo. Ela alegou que quando o vereador Osinaldo Souza (PTB) tomou a palavra, ninguém sinalizou que havia acabado o tempo. “É preciso o bom senso de quem conduz a mesa diretora. As críticas eu aceito, mas eu não vou baixar a cabeça. Tem uns que acham que vão mostrar serviço ao executivo calando a boca da minoria”.

Não é de hoje que Cristina Costa anda insatisfeita com o comportamento da Mesa Diretora. Na semana passada, quando iniciou um bate boca com o colega Ronaldo Silva, a vereadora teve o pedido de direito de resposta negado e o microfone cortado a pedido do 1º Secretário da Mesa, Manoel da Acosap, com quem teve um desentendimento, no início deste ano, durante uma entrevista em uma rádio local. O Major Enfermeiro era quem presidia a Mesa durante esta sessão.


Vereador Aero Cruz diz que discussão sobre residência dos secretários 'não vai somar'

por Redação Nossa Voz 23 de Fevereiro de 2017 às 13:02

Na semana passada, o vereador e líder de oposição, Paulo Valgueiro, disse ter solicitado do chefe do executivo, Miguel Coelho, a portaria e documentação da nomeação dos secretários, bem como a comprovação da residência dos mesmos no município, alegando que vai continuar acompanhando a administração municipal e constatar se estão ocorrendo irregularidades. Ele não quis citar nomes, mas disse que existem fortes indícios de que alguns secretários não residem na cidade de petrolina, ferindo o artigo 65 da lei orgânica do município. O processo já está encaminhado e a Prefeitura de Petrolina afirmou, em nota, que todos os secretários possuem residência na cidade.

Os parlamentares da Casa Plínio Amorim foram de acordo com a solicitação do líder de oposição, inclusive o vereador Aero Cruz, que diz ter concordado com o requerimento, como uma forma de não ter embate com o outro grupo. “Até porque nós não temos nada a esconder”, rebateu Aero.

O artigo 65 da lei orgânica do município foi criado na gestão passada. Porém, segundo o vereador Aero Cruz, nem mesmo o grupo de secretariado do ex gestor respeitou esta lei. Ele afirmou que existem outros temas mais importantes a serem discutidos do que este apresentado pelo líder de oposição, Paulo Valgueiro. “Se isso foi aprovado na gestão passada, não foi colocado em prática, porque a gente teve secretário daqui saindo para votar em Afrânio. O que a gente não quer é partir para um embate que não some para a população. A gente tem questões maiores para colocar em prática e discutir”, afirmou o parlamentar.


Osinaldo Souza nega estar em cima do muro: 'sou por Petrolina'

por Redação Nossa Voz 23 de Fevereiro de 2017 às 11:44

É perceptível que o vereador Osinaldo Souza (PTB) tem mantido uma postura reservada dentro da Casa Plínio Amorim. Ele ainda não se manifestou de qual grupo faz parte: situação ou oposição. Questionado se está em um momento de avaliação dentro da câmara, ele esquivou-se e disse não ter problemas em integrar quaisquer um dos grupos e que o problema está nas nomenclaturas dos grupos.

“Eu decidi ficar por Petrolina, independentemente do que eu venha dizer em algum momento sobre situação ou oposição. Meu papel é ficar a dispor do povo de Petrolina. Eu estou muito tranquilo quanto a isso, não tenho problemas em ser situação ou oposição, mas esses nomes são ultrapassados. Eu desejo todo sucesso ao prefeito Miguel Coelho. Acho que o pensamento mais avançado é dizer que sou poder do legislativo e estou a favor do povo de Petrolina e vou fazer o que for melhor pela cidade”, disse o vereador.

Sobre como tem avaliado a administração do Prefeito Miguel Coelho (PSB), o parlamentar disse que ainda é muito cedo para fazer algum pronunciamento, tendo em vista que o chefe do executivo tem apenas dois meses em frente a Prefeitura de Petrolina.

“O prefeito Miguel não foi reeleito, ele tem que ter um tempo organizar toda a casa. Eu estou esperando mais algum tempo para poder dizer o que estou achando da administração de Miguel Coelho. Desejo que ele faça muito por Petrolina porque a última gestão deixou muito a desejar. A população espera muito mais”, afirmou Osinaldo.


Após sete encontros, Câmara de Vereadores não apresentou projeto relevante à cidade

por Redação Nossa Voz 23 de Fevereiro de 2017 às 10:16

A sétima sessão ordinária na Câmara de Vereadores de Petrolina, ocorrida nesta quinta-feira, dia 23, não teve a apresentação – ou votação – de projetos de lei, seja do legislativo ou executivo municipal. Na verdade, desde que voltaram as atividades neste ano, nenhum projeto relevante foi pautado na Casa. Mais uma vez o encontro foi presidido pelo vereador Major Enfermeiro, na ausência de Osório Siqueira.