Características e desempenho do Sport na primeira rodada do Campeonato Pernambucano

0
612

O Sport venceu com um gol de pênalti, e Mariano Soso estreou no comando do Leão

Características e desempenho do Sport na primeira rodada do Campeonato Pernambucano
Foto: Divulgação/Sport

O Sport estreou no Campeonato Pernambucano com vitória sobre o Petrolina no último sábado (13) na Arena de Pernambuco. Com mudanças no elenco e uma reformulação que abrangeu desde o comando da equipe, Mariano Soso se apresentou em campo pela primeira vez sentindo o calor da torcida.

O técnico argentino tem características voltadas para a ofensividade, gostando de propor o jogo com passes verticais, utilizando bem os lados da equipe com profundidade, buscando intensidade e velocidade. Ele utiliza seus laterais de forma alternada como alas, chegando a transformá-los em pontas. A saída de bola com um goleiro ativo e uma linha de 3 zagueiros é uma característica defensiva de Mariano, que explora a infiltração ainda no campo defensivo.

Por se tratar do primeiro jogo, o técnico não pôde contar com algumas peças que não foram regularizadas ou até mesmo oficializadas pelo clube, então enfrentou alguns problemas na montagem do elenco, considerando a falta de entrosamento, condicionamento físico, aspectos mentais e disponibilidade.

  • Variação tática em campo

Em um sistema variando entre 3-5-2 e 4-3-3, muitas vezes alternando no primeiro tempo e levando Italo a atuar como cabeça de área, fortalecendo a saída sustentada da equipe defensivamente, o Sport começou a partida procurando se ajustar e causar intensidade ao adversário. A mobilidade do Sport em ocupação e infiltração no terço do campo enfrentou dificuldades, desde a criação de jogadas, com Italo como mediador, Felipinho dando suporte, e Alan Ruiz quebrando a linha para o ataque.

A variação com os laterais abertos se transformando em pontas e Lucas Ramon acompanhando a jogada e proporcionando virar ponta direita, o Sport comandou a primeira etapa com algumas dificuldades, influenciando a recomposição defensiva. O lado direito do Sport sofreu com o Petrolina e levou perigo à meta, com marcação em bloco baixo. Um bom destaque foi o goleiro Caíque França, que fez uma boa partida.

O ataque do Sport não esteve da forma como o técnico desejava, como mencionado na coletiva de imprensa, destacando a falta de continuidade no ataque, a ausência de intensidade, agressividade e agilidade nas jogadas. Romarinho foi um bom destaque, um jogador habilidoso que mostrou serviço com bons dribles e profundidade. Uma mudança significativa foi ele passar a ser um ponta fixo, e se for utilizado no ataque por dentro, pode se sair melhor, tendo espaço para trabalhar a bola da forma que gosta.

As mudanças no Sport foram muito influenciadas pela base, com Fábio Mateus e Paulinho contribuindo dentro das limitações e alternâncias. A adaptação do jogador Paulinho é algo que precisa ser analisado com mais calma. Soso precisou posicioná-lo de uma forma que não estava acostumado, puxando a jogada mais para o meio e povoando o lado direito do campo, dando suporte ao meio de campo e forçando uma finalização.

  • O gol do Sport

O gol do Sport saiu em cobrança de pênalti de Zé Roberto. O jogo mostrou poucas características de Soso, algo comum para o início de temporada, considerando outros problemas, como a regularização dos atletas. No entanto, a superioridade numérica, ocupação no meio de campo e construção de jogadas com os meias de agilidade foram ideias construídas e adaptadas pelo técnico argentino, que demonstrou querer ainda mais repertório.