Caso Daniel Alves: terceiro e último dia terá depoimento do jogador

0
43

Julgamento do lateral-direito brasileiro se encerra nesta quarta-feira em Barcelona; Ministério Público pede nove anos de prisão, mas parte denunciante fala em 12 anos

Foto: Getty Images

Por Redação do ge — Barcelona, Espanha

06/02/2024 19h09  Atualizado há 13 horas


Daniel Alves irá depôr nesta quarta-feira perante o Tribunal Provincial de Barcelona sobre o caso em que é acusado de agressão sexual contra uma mulher. Será o último dia do julgamento. Caso seja condenado, ele pode pegar até 12 anos de prisão.

Daniel Alves será a última pessoa a falar perante os magistrados — a juíza Isabel Delgado Péres é a presidente. Ele se apresentou na segunda-feira, no primeiro dia de julgamento, mas não depôs. A defesa dele teve o pedido aceito durante a fase de questões técnicas.

Esse último dia de audiências também será dedicada à medicina forense (forenses, psicólogos, analistas científicos, provas biológicas) e documental (com visualização de vídeos de câmaras de segurança).

A defesa de Daniel Alves vai apresentar uma quinta versão do que teria acontecido naquela noite, segundo a imprensa espanhola. O brasileiro vai declarar que estaria embriagado na madrugada em questão. A defesa sustenta que ele “não tinha plena consciência do que fez”.

No segundo dia, o principal tema foi o consumo de álcool por parte de Daniel Alves. Foi o que sustentaram amigos dele que prestaram testemunho. A esposa dele, Joana Sanz, contou que o jogador chegou em casa bêbado na noite em questão.

Caso Daniel Alves: denunciante reforça agressão sexual; jogador pode pegar nove anos

De acordo com os depoimentos, o grupo se reuniu desde o meio da tarde no restaurante Taberna del Clínic. No início da madrugada, foram para o bar Nuba e só depois tomaram o caminho da boate Sutton. De acordo com Bruno Brasil, amigo que estava com o lateral-direito na discoteca, o jogador “foi o que mais bebeu”.

Segundo a imprensa espanhola, alegar embriaguez faz parte da estratégia da equipe de defesa de Daniel Alves para tentar um atenuante de pena, em caso de condenação.

Policiais que participaram do atendimento à denunciante e da detenção de Daniel Alves também prestaram depoimento nesta terça. Um deles assegurou que as câmeras de segurança corroboram totalmente a versão da mulher que fez a denúncia.

Ao todo, 20 testemunhas participaram da audiência de terça-feira.

Daniel Alves no primeiro dia de julgamento por caso em que é acusado de estupro em Barcelona — Foto: EFE/ Alberto Estévez

No primeiro dia do julgamento, segunda-feira, a denunciante reforçou que foi agredida sexualmente por Daniel Alves, posição que mantém desde o início. Ela depôs durante cerca de uma hora e 15 minutos, a portas fechadas, com a voz distorcida e sem contato visual com Daniel.

Também falaram uma amiga e uma prima da denunciante. As três estavam na boate Sutton, na noite de 30 de dezembro de 2022, quando o jogador teria cometido o estupro.

Daniel Alves foi preso preventivamente em 20 de janeiro de 2023. Ele teve quatro pedidos de liberdade provisória negados pela Justiça da Espanha, que usou como argumento o risco de fuga para o Brasil.

Ele está em prisão preventiva no Centro Penitenciário Brians 2, nos arredores de Barcelona. Não há prazo definido para a apresentação do veredito e da sentença final.

O Ministério Público pede nove anos de prisão. A defesa da mulher quer 12 anos — pena máxima para esse tipo de crime no país.