Com reservas, Botafogo volta a vencer Boavista e fatura bi consecutivo da Taça Rio

0
66

Com time reserva, o Botafogo escolheu priorizar a Libertadores no meio da semana e não direcionou todos os esforços para o jogo de volta da final da Taça Rio, torneio de consolação em paralelo ao Estadual. Mas, com a goleada na partida de ida sobre o Boavista, o Glorioso convenceu nos 45 minutos finais, decretou o 2 a 0 e se sagrou bicampeão da competição.

Com a vaga na Copa do Brasil de 2025 conquistada, o Glorioso foca agora no duelo contra Junior Barranquila, na próxima quarta-feira (03), válido pela estreia da fase de grupos da Libertadores. Por outro lado, o Boavista, sem divisão nacional, deve jogar a Copa Rio no segundo semestre de 2024, em busca de uma vaga na Série D da próxima temporada.

Tranquilidade até demais Diversas disputas físicas e duelos no meio campo marcaram os primeiros instantes da partida. Aos 15 minutos, Luiz Henrique dominou na linha lateral e encontrou Rafael, que invadiu a área do Boavista, mas o lateral errou o alvo após um chute torto. A próxima chance real de gol foi só 15 minutos depois. Matheus Nascimento recebeu fora da área, ajustou o corpo e, de frente para o gol, chutou forte para a defesa difícil do goleiro André Luiz. Sem diminuir o ritmo, o Botafogo seguiu em cima. Luiz Henrique fez boa jogada e encontrou Raí, do outro lado do campo, que rolou para Tchê Tchê, sozinho na entrada da área, carimbar a trave.

A  equipe alvinegra foi melhor na primeira etapa, mas teve dificuldade para furar o bloqueio do Verdão de Saquarema e abrir o placar do confronto. Sem mais chances reais, o duelo foi para o intervalo sem gols. Bloqueio do Boavista furado! Com apenas dois minutos de segundo tempo, o Botafogo conquistou um pênalti após o defensor do Boavista desviar com a mão na finalização de Tchê Tchê. O próprio volante converteu a cobrança com maestria e colocou o Glorioso em vantagem. Passados dez minutos, o Fogão ampliou a vantagem.

Damián Suárez se mandou como ponta direita e acionou Matheus Nascimento, que recebeu na área e, com um toque de calcanhar, deixou Kauê na boa para fazer o segundo do Alvinegro no jogo. Um pouco mais tarde, aos 38 minutos, o Bota quase anotou o terceiro. Tchê Tchê dominou a bola e encontrou Patrick de Paula, que, de volta aos gramados após 400 dias fora por lesão, finalizou por cima do gol. Entre mais pequenas oportunidades de gol, o resultado de 2 a 0 se manteve no Estádio Nilton Santos. Com a vitória por 6 a 0 no placar agregado, o Botafogo se sagrou bicampeão consecutivo da Taça Rio.

(O gol)