Enem 2023: Nordeste é a região com mais redações nota mil

0
264

Entre os estados, o destaque foi para o Rio de Janeiro e São Paulo – (crédito: Kayo Magalhães/CB/D.A Press)

Já entre os estados, o destaque foi para o Rio de Janeiro e São Paulo; rede pública só teve quatro textos com nota máxima

O Nordeste foi a região que mais registrou redações que alcançaram a nota máxima no Exame Nacional do Ensino Médio de 2023. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (16/1) pelo Ministério da Educação (MEC) e pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Das 60 redações nota mil, 25 são de estudantes do Nordeste. Já o Sudeste é a segunda região com mais notas máximas, 18. Em seguida estão o Sul, com sete redações, e Centro-Oeste e Norte empatados com cinco cada. 

Entre os estados, o destaque foi para o Rio de Janeiro e São Paulo com sete redações nota mil em cada. Piauí, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul também se destacaram com seis notas máximas cada. Já o Distrito Federal teve somente um texto com nota máxima. 

Das 60 redações, somente quatro são de escolas públicas: Espírito Santo (1); Rio de Janeiro (1); Rio Grande do Norte (1); e Tocantins (1). O tema deste ano da avaliação foi  “Desafios para o enfrentamento da invisibilidade do trabalho de cuidado realizado pela mulher no Brasil”.

Veja detalhe por estado 

  • Acre – 0
  • Alagoas – 0
  • Amapá – 0
  • Amazonas – 1
  • Bahia – 4
  • Ceará – 4
  • Distrito Federal – 1
  • Espírito Santo – 2
  • Goiás – 4
  • Maranhão – 0
  • Mato Grosso – 0
  • Mato Grosso do Sul – 0
  • Minas Gerais – 2
  • Pará – 3
  • Paraíba – 0
  • Paraná – 0
  • Pernambuco – 2
  • Piauí – 6
  • Rio de Janeiro – 7
  • Rio Grande do Norte – 6
  • Rio Grande do Sul – 6
  • Rondônia – 0
  • Roraima – 0
  • Santa Catarina – 1
  • São Paulo – 7
  • Sergipe – 3
  • Tocantins – 1

Resultado melhor que 2022

No Enem 2022, somente 23 redações obtiveram nota máxima na redação. Na época, o tema foi  “Desafios para a valorização de comunidades e povos tradicionais no Brasil”. “O tema da redação é relevante e isso permitiu que as pessoas discutissem o tema com mais fluidez, o que pode justificar o aumento na nota mil”, destacou Rubens Lacerda, diretor de Avaliação da Educação Básica do Inep.

(Correio Braziliense)