Fã processa Ivete Sangalo por ter sido ‘esmagada’ por trio em Salvador

0
91

Em processo, fã alega ter sido ‘esmagada’ por trio elétrico de Ivete Sangalo após atraso de horas na saída do Bloco Coruja

Uma foliona processou a cantora Ivete Sangalo por conta do atraso e desorganização do Bloco Coruja no Carnaval de Salvador, no dia 10 de fevereiro de 2024. Ela alegou ter sido “esmagada” na saída de trios.

Em processo aberto em 21 de março deste ano, a autora da ação afirmou estar com uma esposa dentro do Bloco Coruja, que passou a ser administrado pela própria Ivete em 2024, e pede indenização por danos morais e materiais.

Nos autos do processo, revelados pela jornalista Fábia Oliveira do “Metrópoles”, ela relatou ter sido prensada, sufocada e ter sofrido ataques de pânico enquanto esperava a saída do trio elétrico da cantora.

Na ocasião, o bloco teve um atraso de mais de três horas e fãs da cantora protestaram no Farol da Barra. Por volta das 19h, Ivete apareceu no trio elétrico para falar com os fãs e revelar que “aconteceram várias intempéries carnavalescas”.

Nesse momento ela avisou aos foliões que o veículo de Léo Santana passaria na frente dela para adiantar o percurso da noite, foi então que o terror da fã começou, segundo a própria relatou no processo.


				
					Fã processa Ivete Sangalo por ter sido 'esmagada' por trio em Salvador
Com atraso de trio, concentração lotou e outros blocos saíram na frente. Foto: Lucas Mascarenhas/ iBahia

À Justiça, a foliona disse que o bloco ignorou “a situação de risco grave de morte e iminente à segurança das pessoas” e o Léo Santana “veio em seguida o carro de apoio, persistindo o caos de sufocação e desespero”.

A foliona afirmou ter sido agredida por um cordeiro do bloco Coruja com cotoveladas e disse que se lesionou ao bater na quina do carro de apoio do trio elétrico. Tanto a autora quanto a esposa deixaram o local após as ocorrências.

Fã de Ivete Sangalo pede indenização


				
					Fã processa Ivete Sangalo por ter sido 'esmagada' por trio em Salvador
Ivete Sangalo explicou problemas técnicos no trio elétrico que acarretaram em três horas de atraso. Foto: Agnews

Além de Ivete Sangalo, a empresa Pau D’arco Produções e Eventos Ltda., que é produtora e responsável pelo Bloco Coruja, também é processada pela foliona.

A fã pede que Ivete e a empresa arquem com os valores de abadás e hospedagem em torno de R$2,9 mil, além de indenização no valor de R$50 mil.

Em contato com o iBahia, a assessoria de Ivete Sangalo afirmou que não possui nenhuma posição oficial em torno do assunto.

(IBahia)