Paris 2024: veja os esportes coletivos em que o Brasil está fora das Olimpíadas

0
93

 Foto: CBB

A 150 dias dos Jogos Olímpicos, confira também quais são seleções brasileiras garantidas e quais ainda buscam vaga: entenda as chances de basquete, handebol e rúgbi de sete masculinos


De 2022 para cá, o Brasil comemorou algumas classificações de esportes coletivos para as Olimpíadas de Paris 2024 e chorou a eliminação de outros. Faltam exatamente 150 dias para os Jogos e três seleções ainda seguem na luta pela vaga: basquete, handebol e rúgbi de sete masculinos. A corrida olímpica não está sendo fácil, e abaixo mostramos um panorama das modalidades coletivas: quem está com o passaporte carimbado, quem vai ficar de fora e qual o caminho de quem segue sonhando com Paris.

A seleção feminina de basquete não se classificou para a segunda Olimpíada seguida — Foto: Silvio Garrido

A seleção feminina de basquete não se classificou para a segunda Olimpíada seguida — Foto: Silvio Garrido

Quem está classificado

Vôlei masculino – O Brasil se classificou ao ser vice-campeão do pré-olímpico do Rio de Janeiro, ficando atrás apenas da Alemanha. O vôlei masculino brasileiro, dono de três ouros (1992, 2004 e 2016) e três pratas (1984, 2008 e 2012), nunca esteve fora de Jogos Olímpicos.

Seleção masculina de vôlei conquista a vaga para os Jogos de Paris

Vôlei feminino – O Brasil se classificou ao ser vice-campeão do pré-olímpico de Tóquio, atrás apenas da Turquia. A seleção feminina, que foi duas vezes campeã olímpica (2008 e 2012), além de ter uma prata (2020) e dois bronzes (1996 e 2000), só não esteve presente nas quatro primeiras edições dos Jogos que incluíram a modalidade, entre Tóquio 1964 e Montreal 1976. As meninas do Brasil estão indo para sua 12ª participação olímpica.

Seleção feminina de vôlei vence Japão e conquista vaga em Paris 2024

Handebol feminino – A seleção brasileira se classificou ao conquistar a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Santiago, no Chile, com uma vitória por 30 a 18 contra a Argentina. O handebol feminino brasileiro, que esteve fora das primeiras seis edições dos Jogos Olímpicos que incluíram a modalidade, entre Montreal 1976 e Atlanta 1996, estreou em Sydney 2000 e está indo para a sétima Olimpíada seguida.

Handebol feminino é campeão do Pan pela sétima vez consecutiva

Futebol feminino – Foi a primeira modalidade brasileira a conquistar vaga para Paris, ainda em julho de 2022, ao vencer o Paraguai por 2 a 0 na semifinal da Copa América, na Colômbia. A seleção, que ainda se sagraria campeã do torneio ao derrotar as donas da casa, esteve em todas as Olimpíadas desde a inclusão do futebol feminino no programa, em 1996, e ganhou duas medalhas de prata (2004 e 2008).

Brasil vence a Colômbia e conquista 8º título da Copa América feminina

Rúgbi de sete feminino – As Yaras, como são conhecidas, garantiram presença nas Olimpíadas ao conquistarem o título do Sul-Americano de rúgbi de sete pela 21ª vez, em junho, com uma vitória incontestável sobre o Chile por 45 a 7 na penúltima rodada.

Seleção feminina de rúgbi garante vaga nos jogos olímpicos de Paris 2024

Quem está fora de Paris

Futebol masculino – Atual bicampeão olímpico, o Brasil perdeu para a Argentina por 1 a 0 no dia 11 de fevereiro, na última rodada do quadrangular final do Torneio Pré-Olímpico. Antes, havia sido derrotado pelo Paraguai por 1 a 0 na abertura do quadrangular e vencido a a Venezuela por 2 a 1, terminando essa fase do torneio com apenas três pontos em três jogos. Com isso, não tem mais chances de classificação, repetindo o fracasso de Atenas 2004, assim como de 1948 (estreia da modalidade), 1956, 1980 e 1992. Além dos ouros em 2016 e 2020, o futebol masculino tem três pratas (1984, 1988 e 2012) e dois bronzes (1996 e 2008).

Seleção masculina de futebol está fora das Olimpíadas de Paris

Basquete feminino – A seleção brasileira de basquete perdeu todas as partidas do Pré-Olímpico Feminino realizado em Belém e está fora dos Jogos Olímpicos pela segunda vez consecutiva. O basquete feminino brasileiro conquistou a prata em 1996 e o bronze em 2000, mas vem decaindo desde então.

Basquete feminino fora das Olimpiadas de Paris 2024

Polo aquático masculino – As quatro seleções mais bem colocadas no Mundial de Esportes Aquáticos de Doha, que aconteceu neste mês de fevereiro, entre as equipes até então não classificadas para as Olimpíadas se garantiram em Paris. O Brasil terminou em 14º lugar e não tem mais chances de classificação. A seleção brasileira masculina só disputou Olimpíadas a convite ou como país-sede, em 2016.

Polo aquático feminino – As duas seleções mais bem colocadas no Mundial de Esportes Aquáticos de Doha, que aconteceu neste mês de fevereiro, entre as equipes até então não classificadas para as Olimpíadas se garantiram em Paris. O Brasil, que participou apenas da Rio 2016 como país-sede, terminou o Mundial em 15º lugar e não tem mais chances de classificação.

Quem ainda tem chance? Veja o caminho de basquete, handebol e rúgbi de sete masculinos

Basquete masculino – Vinte e quatro paises disputam as últimas quatro vagas para Paris, divididos em quatro torneios Pré-Olímpicos. O Brasil e mais cinco países vão brigar por uma vaga no Pré-Olímpico Masculino de Riga, na Letônia, que acontecerá de 2 a 7 de julho. A seleção brasileira está no grupo B, junto com Montenegro e Camarões. No grupo A, estão Letônia, Georgia e Filipinas. Os dois primeiros de cada grupo avançam para a fase eliminatória, e o campeão do torneio de cada cidade se classifica para os Jogos Olímpicos. Já há até uma programação, sujeita a alterações:

Grupo A

  • 2 de julho: Geórgia x Letônia
  • 3 de julho: Letônia x Filipinas
  • 4 de julho: Filipinas x Geórgia

Grupo B

  • 2 de julho: Brasil x Montenegro
  • 3 de julho: Montenegro x Camarões
  • 4 de julho: Camarões x Brasil

Fase final

  • 6 de julho: 2º Grupo B x 1º Grupo A
  • 6 de julho: 1º Grupo B x 2º Grupo A
  • 7 de julho: Final – O campeão conquista a vaga para as Olimpíadas.

Para entender as chances: na Copa do Mundo de Basquete de 2023, o Brasil terminou em 13º lugar, um pouquinho atrás de Montenegro, que ficou em 11º, e numa posição melhor do que as de Geórgia e Filipinas. Camarões sequer jogou o torneio. Por outro lado, a Letônia desponta como favorita após ter terminado a Copa do Mundo em 5º lugar, tendo derrotado o Brasil por 104 a 84 em partida da segunda fase da competição.

O basquete masculino brasileiro, que conquistou a medalha de bronze em três Jogos Olímpicos (1948, 1960 e 1964) não esteve em cinco edições de Olimpíadas desde 1936, incluindo Tóquio 2020.

Handebol masculino – O Brasil ainda tem chances de ir para os Jogos através do Pré-Olímpico Masculino, que acontecerá de 14 a 17 de março. Há duas vagas em disputa no grupo do Brasil, que jogará em Granollers, Espanha. Mas dentre as quatro seleções do grupo brasileiro, o Brasil teve o pior desempenho no último Campeonato Mundial: 17ª colocada, enquanto a Espanha foi 3ª, a Eslovênia foi a 10ª e Bahrein, a 16ª. Missão difícil, mas não impossível.

A seleção brasileira de handebol não participou das seis primeiras edições olímpicas da modalidade. De 1992 para cá, só não esteve presente em Sydney 2000 e Londres 2012.

Rúgbi de sete masculino – Doze times de todos os continentes disputam a última vaga masculina no Rugby Sevens no Torneio Final de Qualificação Olímpica de 2024, que acontecerá entre os dias 21 e 23 de junho, em Mônaco. O Brasil tentará sua segunda participação na história entre os homens, depois de 2016, quando teve a vaga de país-sede. Mas a missão é difícil: os Tupis, como são chamados, terão pela frente quatro equipes que estão na primeira divisão do Circuito Mundial de Rugby Sevens: África do Sul, Grã-Bretanha, Canadá e Espanha. Participam ainda Chile, México, Tonga, Papua Nova Guiné, Uganda, China e Hong Kong China.

(GE)