Pirossomas: conheça a criatura de até 18 metros que tem aparecido em meio às ondas de calor nos oceanos; veja vídeo

0
197

— Foto: Steve Hathaway/Reprodução

Apesar de parecer inofensiva, espécie representa uma ameaça ao ecossistema marinho; entend

Cientistas da Oregon State University promoveram uma análise a respeito de um ser vivo que começou a aparecer com frequência nas praias da costa oeste dos Estados Unidos. Gelatinosas e transparentes, as pirossomas ou “picles do mar” são colônias de animais e passaram a ser avistadas em 2013 durante uma onda de calor marinha. Foi a primeira vez em 25 anos que o ser vivo foi observado na região.

Apesar de parecerem inofensivos, as pirossomas representam uma ameaça à cadeia alimentar. Segundo estudo publicado na NewScientist, a presença delas prejudica a oferta de alimentos para animais que estão acima dela em termos de hierarquia predatória, como peixes. Isso porque elas se alimentam de fitoplâncton, uma base alimentar para diversas criaturas.

“Os pirossomas consomem animais na base da cadeia alimentar e retêm essa energia. Eles estão retirando do sistema a energia de que os predadores precisam”, disse Lisa Crozier, cientista pesquisadora do NOAA Fisheries Northwest Fisheries Science Center e coautora do artigo.

Pirossomas: conheça a criatura que tem aparecido em meio à crise climática e às ondas de calor nos oceanos — Foto: Mark Farley / Oregon State University
Pirossomas: conheça a criatura que tem aparecido em meio à crise climática e às ondas de calor nos oceanos — Foto: Mark Farley / Oregon State University

Para além da ocorrência surpreendente, o tamanho do animal também chama atenção: eles podem chegar até 18 metros de comprimento e se assemelham a um tubo rosado com padrões que cobrem seu corpo. As pirossomas são formadas por colônias de milhares de animais chamados zooides, que formam esse tubo oco.

“Isso poderia ter enormes implicações no fluxo de energia em todo este ecossistema e na quantidade de peixes que podemos capturar”, diz Dylan Gomes, da Oregon State University.

Aparecimento de pirossomas chama atenção de cientistas nos Estados Unidos — Foto: Mark Farley / Oregon State University
Aparecimento de pirossomas chama atenção de cientistas nos Estados Unidos — Foto: Mark Farley / Oregon State University

Ainda conforme a pesquisa, os animais não se apresentam como fonte de energia para outras espécies e podem ser classificados como “difíceis de digerir”. Por isso, não são consumidos com tanta frequência quanto outras criaturas, como as águas-vivas. Além disso, seu valor nutricional continua incerto.

(O Globo)