Veja o que dizem PM, Sport, FPF e Arena sobre entrada tumultuada de torcida do Santa Cruz no clássico

0
103

Imagens de tricolores sofrendo para entrar antes de jogo contra o Sport, no sábado, repercutem negativamente; ge questiona autoridades sobre problemas


A entrada conturbada dos torcedores do Santa Cruz no Clássico das Multidões contra o Sport, sábado passado, na Arena de Pernambuco, repercutiu negativamente. Imagens mostram tricolores imprensados em gradis, alguns machucados, quedas, fila gigante, entrada conturbada por catracas e uso de spray de pimenta por parte de policiais.

Neste domingo, o ge procurou para esclarecimentos a Polícia Militar de Pernambuco (PMPE), o Sport (clube mandante), a Arena, a Federação Pernambucana de Futebol (FPF-PE) e a Secretaria de Defesa Social. De todos, a SDS não respondeu.

Torcedores do Santa Cruz sofrem para entrar na Arena de Pernambuco antes de Clássico; veja vídeo

Dos retornos recebidos pela reportagem, notou-se que cada uma das instituições procuradas “repassou a bola” para outra sobre os problemas enfrentados pelos tricolores. A Arena de Pernambuco disse que não tem responsabilidade na operação do jogo, e sim o clube mandante – no caso, o Sport.

“Embora nossa equipe apoie no que diz respeito a infraestrutura de limpeza, segurança patrimonial, gramado, climatização, iluminação e mobilidade, a operação do jogo é de responsabilidade do clube mandante que realize jogos na Arena de Pernambuco.”1 de 4 Torcedores do Santa Cruz sofrem para entrar na Arena de Pernambuco antes de clássico — Foto: Reprodução/X

Torcedores do Santa Cruz sofrem para entrar na Arena de Pernambuco antes de clássico — Foto: Reprodução/X

A PMPE também citou o “clube mandante”. Segundo nota da Polícia (veja completa no fim da matéria), foi realizada uma reunião em conjunto com representantes dos clubes, estádio e entidades envolvidas sobre o planejamento operacional do clássico. Baseado nisso, foi estabelecido um efetivo de 666 policiais, só que uma mudança de última hora teria prejudicado a organização.

“A PMPE esclarece que foi notificada pelo clube mandante às 20h da sexta-feira (19) que a torcida visitante teria o número de 2200 ingressos disponíveis aumentado para 6.000 ingressos, sob a alegação que estaria atendendo aos 20% da capacidade da Arena Pernambuco, descumprindo dessa forma com a capacidade operacional planejada para essa partida, não atendendo a outros requisitos de segurança, pois não aumentou o número de catracas, gradis, leitores manuais e profissionais nos portões de acesso.”

A nota também fala sobre a ação dos policiais na entrada dos torcedores, que gerou críticas dos tricolores:

“A PMPE informa que fez a contenção da massa de pessoas, utilizando de técnicas para controle de multidões, evitando dessa forma que pessoas se ferissem ou fossem pisoteadas, liberando aos poucos o público a medida que os acessos ficavam livres.”2 de 4 Torcedora do Santa Cruz chora imprensada em fila para entrar na Arena de Pernambuco — Foto: Reprodução/X

Torcedora do Santa Cruz chora imprensada em fila para entrar na Arena de Pernambuco — Foto: Reprodução/X

O Sport, citado por Arena e PMPE, repassou a bola para a FPF-PE. O clube confirmou a reunião de planejamento para a partida, mas diz que foi notificado pela Federação da mudança da carga para a torcida visitante para 8.400 ingressos – número ainda maior que os 6.000 citados pela Polícia.

“Nas vésperas da partida, a FPF notificou o Sport no sentido de, obrigatoriamente, disponibilizar 20% da capacidade da Arena – aproximadamente 8.400 ingressos – para a torcida visitante e amplia-los para alocação também no setor norte inferior – indo em contra ao que havia sido acordado na reunião do grupo de trabalho, bem como das inúmeras ressalvas realizadas pelo Sport em prol da segurança e bem estar, o que não foi considerado pela Federação.”3 de 4 Torcedores do Santa Cruz sofrem para entrar na Arena de Pernambuco antes de clássico contra o Sport — Foto: Reprodução/X

Torcedores do Santa Cruz sofrem para entrar na Arena de Pernambuco antes de clássico contra o Sport — Foto: Reprodução/X

A nota do Sport também fala que o clube, por questão de segurança, reuniu-se com órgãos e ficou definido que não abriria o setor norte inferior para visitante. Manteria, assim, apenas o setor norte superior, previamente acertado, que teria o espaço para os torcedores corais ampliado. O clube cita a escolta da PM aos visitantes como fator que ajudou a gerar transtornos.

“A operação do jogo foi readequada imediatamente após a determinação da Federação, uma vez que este não havia sido o percentual acordado na reunião do GT. Além disso, a escolta promovida pela PM com um grande número de torcedores agravou ainda mais a recepção dos visitantes, uma vez que concentrou cerca de 2 mil pessoas para adentrarem ao mesmo tempo em um curto lapso temporal, o que inevitavelmente causa filas e transtornos.”

Por fim, a Federação Pernambucana falou ao ge, por meio da assessoria, que por enquanto não faria posicionamento oficial. Mas reforçou que pelo regulamento geral toda a operação do jogo é do clube mandante e que a torcida visitante tem direito a 20% da carga total do estádio.

(GE)