asdasdasdasd

Evento internacional em Petrolina (PE) debate eficiência do uso de água nas áreas de semiárido

por Karine Paixão 21 de Setembro de 2017 às 09:45
categoria: Agricultura



Com objetivo de promover a convivência produtiva na seca, a Federação da Agricultura do Estado de Pernambuco (FAEPE) e o SEBRAE realizam às 19h da próxima terça-feira (26), no Hotel Nobile Suítes Del Rio, em Petrolina, no Sertão do estado, a palestra internacional ‘Eficiência do uso da água nas áreas de agricultura irrigada do Texas’. Dentre os oradores está o americano Glen Rithie, da Texas Tech University -USA. O evento chega à cidade numa parceria com o Sindicato dos Produtores Rurais, é gratuito e aberto ao público agro.

Para participar do encontro, basta os interessados entrar em contato com a coordenação e informar nome completo e dados pessoais através dos telefones (87) 3861.3510 - Sindicato Rural/ 2101.8900 –Sebrae ou pelo site: loja.pe.sebrae.com.br.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais, Jailson Lira, o evento é uma oportunidade para se compartilhar conhecimentos e inovações junto aos produtores rurais do Vale do São Francisco. “O encontro visa apresentar principalmente opções de políticas e tecnologias que levem a soluções eficientes para o convívio com as secas da região”. Ainda segundo Lira, a palestra contará com um sistema de tradução simultânea para os participantes que não dominam a língua inglesa.

A iniciativa faz parte do Fórum Permanente de Convivência Produtiva com as Secas, idealizado pela Faepe e Sebrae. Segundo as duas entidades, o fórum é um instrumento de debate criado em 2014, que congrega especialistas do Brasil e do exterior com o objetivo de discutir a seca como algo passível de solução, a exemplo do que ocorre em países como Estados Unidos, Austrália, Israel e Índia.

 

Números

Abrangendo grandes áreas do interior do estado, há no Sertão pernambucano cerca de 1,2 milhão de pessoas atingidas pela seca. Dados do IBGE têm apontado uma redução de mais de 30% da área cultivada na região, levando a uma diminuição de 50% do Valor Bruto da Produção, se comparado a 2011. No país, 1.200 municípios já decretaram estado de emergência devido à estiagem prolongada. (Ascom)


Anistia de dívida junto ao Banco do Nordeste beneficia 200 agricultores em Afrânio

por Redação Nossa Voz 18 de Setembro de 2017 às 08:39
categoria: Agricultura

A manhã desse sábado(16) foi muito especial para 200 agricultores do município de Afrânio.. Eles tiveram as suas dívidas quitadas junto ao Banco do Nordeste. Isso, graças a uma parceria da Prefeitura de Afrânio e o Banco do Nordeste, que anistiou produtores rurais que contraíram dívidas até 31.12.2006.  

 

O montante da dívida era de 305 mil reais. A Prefeitura pagou 5% por cento desse montante e o restante foi liberado pelo Banco com o objetivo de fortalecer as políticas de Investimento na agricultura em nossa cidade .A satisfação tomou conta dos agricultores , a partir de agora,  eles podem contrair novos empréstimos junto à instituição financeira, Dona Maria Nice agradeceu a iniciativa e disse que não ver a hora de buscar novos recursos. "Nós agradecemos ao Prefeito Rafael Cavalcanti por essa parceria maravilhosa junto ao Banco do Nordeste, que mesmo com essa crise e essa seca vai ajudar muito os produtores rurais.

 

O prefeito Rafael, emocionado, disse que era um momento de muita alegria poder ajudar e melhorar a vida das pessoas, diante da crise que acomete todo o país e agravada ainda mais  com a diminuição do repasse de recursos para os municípios. Ele agradeceu ao Banco do Nordeste e reintereou a importância dessas parcerias para melhorar a vida do homem do campo.


Presidente da Codevasf participa de vistoria das obras do Eixo Norte do Projeto São Francisco em PE

por Redação Nossa Voz 12 de Setembro de 2017 às 08:02
categoria: Agricultura

O presidente da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), Avelino Neiva, acompanhou nesta segunda-feira (11) o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, em vistoria às obras da primeira etapa (1N) do Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco – que passa pelos estados do Ceará e de Pernambuco.

A comitiva técnica, da qual também participou o gerente de Operação do PISF na Codevasf, Danielson Araújo, passou por Cabrobó (PE), onde acompanhou os serviços na primeira estação de bombeamento (EBI-1), responsável por impulsionar as águas do rio por 43,9 quilômetros subsequentes até chegar ao reservatório Terra Nova, no mesmo município.

Na sequência, o grupo verificou a chegada da água ao reservatório Tucutu – primeiro do eixo –, situado sete quilômetros depois da EBI-1. No local, foram abertas as comportas desse açude para que as águas possam avançar até o reservatório Terra Nova, completando 45 quilômetros com água no Eixo Norte.

"A Codevasf tem acompanhado de perto e com entusiasmo a evolução desse grande empreendimento. A empresa será a operadora federal do sistema e tem se preparado para assumir essa responsabilidade de modo determinado e com profissionalismo. Para a população beneficiada o PISF representa segurança e desenvolvimento", afirma o presidente da Companhia, Avelino Neiva.

Além do presidente da Codevasf, a vistoria contou com a participação de diversas autoridades, entre elas o presidente do Senado, Eunício Oliveira. O presidente da Codevasf esteve acompanhado do chefe da unidade de operação do PISF, Luiz Eduardo Santana Matias Frota, além de técnicos da Companhia que atuam no Escritório de Apoio Técnico de Salgueiro (PE): Carlos Eduardo Có Rodrigues, Gilvando de Carvalho, Salatiel Coutinho Neto e Tadeu Henriques.

Gestão e operação

Após a conclusão das obras do Projeto de Integração do São Francisco (PISF), caberá à Codevasf a operação do sistema implantado pelo Ministério da Integração Nacional.

O decreto presidencial Nº 8.207, publicado no Diário Oficial da União, em 2014, além de ratificar o novo papel da Codevasf, delimita a chamada região de integração, determina a composição do conselho gestor que vai gerir o PISF e aponta as diretrizes das atribuições do conselho.

A Companhia vai receber a infraestrutura implantada pelo Ministério da Integração Nacional ao longo do projeto (canais, estações de bombeamento, equipamentos eletromecânicos etc.) para exercer as atividades de gestão, operação e manutenção das estruturas do sistema.

Projeto São Francisco

Os dois eixos (Norte e Leste) da integração vão garantir o abastecimento de água de 12 milhões de pessoas em 390 municípios nos estados de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte. O projeto é composto por 477 quilômetros de extensão: o Norte, com 260 quilômetros; e o Leste, com 217. O Eixo Leste está em pré-operação, desde março deste ano, e já tem beneficiado quase um milhão de habitantes em 31 cidades da Paraíba e Pernambuco.


Codevasf participa de debate no Congresso sobre crise hídrica na bacia do São Francisco

por Redação Nossa Voz 8 de Setembro de 2017 às 07:07
categoria: Agricultura

O presidente da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), Avelino Neiva, participou na tarde desta quarta-feira (6) da audiência pública da Comissão Mista Permanente sobre Mudanças Climáticas do Congresso Nacional. O objetivo foi discutir a crise hídrica na região do Vale do São Francisco e no reservatório da barragem de Sobradinho.

"Não se pode pensar em se resolver o problema hídrico do São Francisco se nós não tivermos uma opção dentro da própria bacia hidrográfica. A Codevasf possui um belíssimo estudo, feito há alguns anos, a respeito da construção de cinco grandes barragens que poderão suprir demandas hídricas do rio São Francisco", disse o presidente.

Avelino Neiva destacou que a construção das cinco barragens é uma ação viável para a bacia, pois os investimentos seriam menores do que o de alternativas pensadas – como a transposição do rio Tocantis. "E o que é mais importante, todos os estudos de viabilidade econômica estão prontos, feitos pela Codevasf", acrescentou.

O diretor da Área de Gestão dos Empreendimentos de Irrigação da Companhia, Napoleão Casado, complementou a apresentação apontando algumas das ações emergenciais executadas pela empresa para diminuir os efeitos da seca e da estiagem prolongada na bacia do rio São Francisco.

Segundo Napoleão Casado, desde 2015, entre as intervenções realizadas pela Codevasf estão as obras de desassoreamento em pontos críticos e a instalação de sistemas de bombeamento flutuante, que permitem a captação de água para os projetos públicos de irrigação, mesmo com a redução da vazão do rio São Francisco. Os investimentos nessas ações chegaram a R$ 47 milhões.

"Para garantir a segurança hídrica na bacia do São Francisco, principalmente a segurança do abastecimento humano, a Codevasf tem realizado diagnósticos e mapeado a necessidade da execução de novas ações emergenciais", explicou o diretor de Irrigação.

Das ações identificadas destacam-se a ampliação de redes de distribuição elétrica nos projetos públicos de irrigação e a perfuração e instalação de poços em municípios na área de atuação das oito Superintendências Regionais da Codevasf, além de obras de desassoreamento e instalação de flutuantes em outros trechos do rio São Francisco e projetos de irrigação.

A atuação da Companhia na bacia do São Francisco abrange mais de 600 mil quilômetros quadrados, onde vivem cerca de 18,2 milhões de pessoas.

Além de Antônio Avelino, participaram como expositores da audiência pública Fernando José Carvalho de França, representando o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS); Vicente Andreu Guillo, diretor-presidente da Agência Nacional de Águas (ANA); João Henrique de Araújo Frankilin Neto, diretor de Operações da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf); e Amauri José Bezerra da Silva, presidente do Conselho de Administração do Distrito de Irrigação Nilo Coelho (DINC). Eles também apresentaram as medidas para o gerenciamento da crise hídrica e as ações estruturantes em execução ou necessárias na bacia do rio São Francisco.

Acompanharam os debates no Congresso Nacional os diretores da Codevasf Inaldo Guerra (Revitalização) e Marco Aurélio Diniz (Desenvolvimento e Infraestrutura), além dos assessores da Presidência da Companhia Athadeu Ferreira, Márcio Adalberto Andrade e Guilherme Almeida, entre outros técnicos da empresa.


Ocupantes do Pontal garantem permanência na 3ª STR e ignoram reintegração de posse

por Karine Paixão 5 de Setembro de 2017 às 11:14
categoria: Agricultura



Com um mandato de reintegração de posse marcada para o próximo dia 12, agricultores da área do Pontal Sul permanecem acampados na área de 3ª Superintendência da Codevasf. Segundo a presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura Familiar, Isália Damascena, ontem (04) a categoria conseguiu se reunir com o superintendente, Aurivalter Coedeiro, mas como resultado do encontro receberam a notificação de uma nova reintegração, dessa vez da própria 3ª STR. Prazo, segundo a sindicalista encerra nesta tarde (05). 

“Ontem a gente sentou com o superintendente da Codevasf, sabendo que ele não tem poder de decisão, mas tentamos ver uma negociação onde ele seria o nosso porta-voz, alguém que possa resolver e ele nos segurou o tempo todo, deu um chá de cadeira na gente para que o oficial de justiça chegasse com um novo mandato de reintegração de posse. Certo que já estávamos esperando, eles tem esse poder e são dos donos de poder. O agricultor que coloca a comida na mesa do brasileiro é que tem que ficar a mercê deles. Assim que eles pensam, mas hoje vamos mostrar que a história não é bem essa”, prometeu.

Isália garante que eles vão resistir e contabilizou a número de crianças presentes no local. “Os agricultores pretendem resistir e nós do Sintraf vamos dar apoio porque é direito deles que estão aqui com suas famílias. Temos mais de 50 crianças que estão aqui dentro, sem aula, estão deixando de ir para a escola para virem aqui ocupar porque no dia 12 querem tirar essas pessoas de lá do pontal. A polícia já avisou que dia 12 retirará essas famílias. Na verdade ele (Aurivalter Cordeiro) pediu que aquelas pessoas saíssem, se não atenderem eles estarão lá, passando máquina, passando por cima de tudo e de todos”. 

Ainda de acordo com a sindicalista, várias reuniões teriam assegurado a permanência dos ocupantes naquele local. “Na verdade o Pontal, há muito anos, está lá com terras ociosas, as águas evaporando. Os agricultores por não terem onde plantar, onde buscar a sua subsistência, ocuparam essa área. Quando houve a reintegração de posse o MST procurou a superintendência da Codevasf, sentaram, fizeram reunião em Brasília, em Recife, participaram até representantes da Casa Civil e fizeram o acordo sim. A Casa Civil falou que ia resolver o problema porque essas pessoas poderiam continuar na área até que fossem resolver o problema. Foi feito documento. Dia 17 de agosto eu esteve em Brasília junto com as lideranças do MST, conversamos com o ministro (da integração) Helder Carvalho e ele afirmou que ira suspender a reintegração de posse até que a Codevasf e Incra sentassem e resolvesse a situação. Inclusive dissemos a ele que a área está sendo licitada para pequenos. Esses pequenos são agricultores? Ele disse que sim. Então por que não deixar essas famílias que está lá produzindo?”, questionou. 

Segundo a assessoria de comunicação do Sintraf, pelo menos 300 famílias permanecem acampadas no local. O plano, segundo o representante do MST é manter a ocupação em frente a Codevasf. 


Petrolina celebra 13ª edição do Dia Nacional do Campo Limpo

por Redação Nossa Voz 14 de Agosto de 2017 às 08:34
categoria: Agricultura

O Sistema Campo Limpo (logística reversa de embalagens vazias de defensivos agrícolas) tem resultados expressivos a comemorar. São mais de 420 mil toneladas de embalagens corretamente destinadas desde 2002, quando o programa entrou em operação. Ao retirar dos campos 94% das embalagens plásticas primárias comercializadas, o Brasil se mantém como líder mundial em destinação adequada desse material. Essas conquistas serão celebradas em 18 de agosto, Dia Nacional do Campo Limpo.

O evento deve acontecer em mais de 100 unidades de recebimento de 22 estados do país. Com o tema “Quando cada um cumpre a sua parte, temos muitos motivos para comemorar”, a data reconhece a importância do envolvimento de todos os elos da cadeia agrícola – agricultores, canais de distribuição, fabricantes e poder público – para o sucesso do Sistema, que tem o inpEV (Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias) como núcleo de inteligência.

A celebração já reuniu mais de um milhão de pessoas de todo o Brasil desde sua primeira edição, em 2005, e vai mobilizar, além dos elos envolvidos no programa, a comunidade do entorno das centrais de recebimento de embalagens vazias. “É o momento de disseminar conhecimento sobre conservação ambiental e boas práticas no campo. Sempre em nome da saúde do planeta e das futuras gerações”, ressalta João Cesar M. Rando, diretor-presidente do inpEV. 

Para festejar, a central de recebimento de embalagens vazias de defensivos agrícolas de Petrolina, gerenciada pela Acavasf (Associação do Comércio Agropecuário do Vale do São Francisco), promoverá o dia de Portas Abertas, ocasião em que as centrais recebem a comunidade e mostram o trabalho realizado. Acontecerão ainda o DNCL na Escola, concurso onde as escolas do entorno inscrevem ações organizadas por seus professores, com o objetivo de promover a conscientização ambiental junto aos alunos, e concorrem a prêmios; o DNCL Universitário, que promove ações voltadas para estudantes de ensino médio e universitário; e a Ação Comunitária, que estimula o envolvimento da comunidade em práticas a favor do meio ambiente. 

 

Modalidade Portas Abertas

Data: 18 de agosto

Horário: 9h

Local: Projeto Senador Nilo Coelho lote 1540 N-1 - Zona Rural

Público: 300 participantes esperados

Entrada franca

Modalidade DNCL Universitário

Data: 23 de agosto

Horário: das 9h às 12h

Local: IF do Sertão

Público: 100 participantes esperados

Entrada franca

Modalidade Ação Comunitária

Data: 29 de agosto

Horário: das 8h às 12h e das 14h às 17h

Local: Núcleo 1 - Zona Rural

Público: 25 participantes esperados

Entrada franca

Sobre o Dia Nacional do Campo Limpo

O Dia Nacional do Campo Limpo foi instituído no calendário brasileiro em 18 de agosto, por meio da Lei Federal 11.657 de 16 de abril de 2008. Mais de um milhão de pessoas, de todo o país, já participaram das comemorações; em 2016 foram mais 70 mil participantes. A celebração da data é realizada pelas centrais de recebimento de embalagens vazias, com apoio do inpEV, seus associados fabricantes de defensivos agrícolas, entidades representativas do setor (Abag, Aenda, Andav, Andef,  Aprosoja, CNA, OCB e Sindiveg), organizações públicas (governo municipal e estadual) e privadas, além de outros apoiadores locais.

Sobre o inpEV

Há 15 anos, o inpEV (Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias) atua como núcleo de inteligência do Sistema Campo Limpo nas atividades de destinação de embalagens vazias de defensivos agrícolas e promove ações de conscientização e educação ambiental sobre o tema, conforme previsto em legislação. É uma instituição sem fins lucrativos formada por mais de 100 empresas e nove entidades representativas da indústria do setor, distribuidores e agricultores.

Sobre o Sistema Campo Limpo

O Sistema Campo Limpo tem como base o princípio das responsabilidades compartilhadas entre todos os elos da cadeia produtiva (agricultores, fabricantes e canais de distribuição, com apoio do poder público) para realizar a logística reversa de embalagens vazias de defensivos agrícolas. O Brasil é referência mundial na destinação ambientalmente correta do material, encaminhando 94% de embalagens plásticas primárias para reciclagem ou incineração. Mais informações sobre o inpEV e o Sistema Campo Limpo estão disponíveis no site www.inpev.org.br, no Facebook, Youtube e Instagram.

 


Cooperativas do Vale do São Francisco planejam metas para 2018 em Seminário

por Redação Nossa Voz 10 de Agosto de 2017 às 07:21
categoria: Agricultura

Para crescer é necessário planejamento e estratégia. Com o intuito de manter a competitividade no mercado e estruturar os futuros passos do cooperativismo do Vale do São Francisco, as cooperativas da localidade participarão do Seminário Regional de cooperativismo. O evento acontece na cidade de Petrolina, nos dias 18 e 19 de agosto, no auditório da Unimed. No evento será elaborado uma pauta de ações que vai estruturar cada vez mais as instituições na região, o que voltará para a população na melhor qualidade dos serviços prestados. O evento tem a coordenação do Sistema da Organização das Cooperativas Brasileiras em Pernambuco (OCB/PE).

O evento não é restrito somente a lideranças de cooperativas. Representantes de organizações da sociedade civil e gestores públicos também estão sendo esperados. Com a ajuda do público, o foco será no fornecimento de subsídios para ampliar a visão sobre a importância das cooperativas dentro da sociedade e na temática de elevar o grau de gestão para, a cada dia, melhorar as atividades e o processo de produção.

De acordo com o presidente do Sistema OCB/PE, Malaquias Ancelmo de Oliveira, é necessário pensar ações em conjunto para manter o equilíbrio no mercado e promover a cultura cooperativista dentro da sociedade. Esses pontos serão primordiais para o debate em Petrolina, onde ações serão planejadas por dirigentes de cooperativas, com o auxílio de parceiros do cooperativismo que atuam pelo Vale do São Francisco.

O auditório da Unimed Vale do São Francisco, local que recebe o Seminário, fica na Rua do Coliseu, no centro de Petrolina, número 123. O primeiro dia do encontro está programado para começar às 14h. Já no segundo dia, a programação será iniciada às 8h.  


Plano Safra 2017 será lançado em Petrolina nesta sexta-feira (28)

por Adriana Rodrigues 27 de Julho de 2017 às 09:21
categoria: Agricultura

Será lançado nesta sexta-feira (28), em Petrolina o Plano Safra da agricultura familiar 2017 à 2020. O plano é um conjunto de ações para o fortalecimento da Agricultura Familiar que garante crédito mais barato para os produtores. A novidade do programa é a diminuição de juros no crédito rural.

Eliezio Ferreira, Superintendente de Varejo do Banco do Brasil, destaca os critérios para contratação do crédito. “A gente está falando mais precisamente do Pronaf (Programa de Fortalecimento da Agricultura familiar). A exigência que a gente faz é a existência de Declaração de Aptidão ao Pronaf, um documento emitido pelas entidades que representam os agricultores e os Bancos aceitam”, explicou.

O superintendente indica o Pronaf como uma das melhores linhas de crédito. Para ele, a taxa de juros e de prazos são mais vantajosos para o contratante. “Apesar dos problemas econômicos a nível governamental, a agricultura familiar e empresarial não foi prejudicada. Eu diria que não existe limite. Se esse recurso porventura vier a terminar, o que nunca acontece, porque a gente tem sempre uma demanda menor do que a oferta, mas recursos virão e a gente vai conseguir atender todas as famílias que propuserem”.

Caso a produção não corresponda ao que foi estimado pelo produtor no momento do plantio, e o agricultor não tenha como pagar o empréstimo, Eliezer explica que toda linha do programa vem atrelada a um seguro chamado de Proagro Mais," que ainda é desconhecido por alguns agricultores", porém em falta de chuvas o agricultor poderá ter sua dívida paga, além de mantê-lo durante o ano em que a produção não aconteceu. O agricultor tem também a opção de renegociar sua dívida com até 95% de desconto. “Procure o Banco do Brasil ou Banco do Nordeste, não fica na dúvida, se não teve acesso a esse seguro acionado, ou não sabia, para não perder essa vantagem”, reforçou o superintendente.

O evento será realizado no auditório do 3º andar da Agência Central do Banco do Brasil, em Petrolina, pelo Titular da Delegacia Federal de Desenvolvimento Agrário em Pernambuco, Rodrigo Almeida, que falará sobre as diretrizes das políticas públicas que integram o programa.

 


Gabarito da seleção do curso de Técnico em Agronegócio é divulgado pelo SENAR-PE

por Adriana Rodrigues 25 de Julho de 2017 às 14:00
categoria: Agricultura

O SENAR-PE (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Pernambuco) divulga nesta terça-feira (25) o gabarito preliminar das provas para a seleção do curso Técnico em Agronegócio. Foram disponibilizadas 30 vagas no polo de ensino de Bezerros, no Agreste.

As provas da seleção foram encerradas no último sábado (22) e os candidatos devem acessar este site para conferir o gabarito preliminar das questões objetivas de Matemática, Português, Conhecimentos Gerais e as notas da redação.

Quem tirou zero na redação está automaticamente eliminado. O prazo de recurso, caso haja discordância em alguma questão ou na redação, é de apenas um dia. O gabarito oficial e a classificação final serão divulgados na próxima sexta-feira (28).


Impacto das baixas temperaturas já pode ser sentido por agricultores em Petrolina, PE

por Adriana Rodrigues 24 de Julho de 2017 às 09:03
categoria: Agricultura

Agricultores familiares já sentem o impacto das baixas temperaturas que atingiram a região nas últimas semanas. Na zona rural de Petrolina, o frio provocou a quebra de safra, o surgimento de pragas e uma perca de 70% da produção de culturas como a acerola.

“A situação está mais ou menos. Estamos colhendo pouco, o suficiente pelo menos para pagar a água [da roça]. Em 2016, chegávamos a 40, 50 caixas por colheita/dia, e este ano caiu para 10, 12 no máximo. Se a produção é pouca, o dinheiro reduz; o problema é que as contas não deixam de chegar”, diz o produtor familiar, Isaias Alves, que cultiva acerola em um hectare no Núcleo 4 do Projeto Senador Nilo Coelho.

Segundo ele, a queda de produção não causou até agora um aumento no valor do produto, o que tem intensificado as despesas. “As empresas que pegam acerola para fazer polpa, compram por R$ 28 a caixa, se você tiver alguém ajudando na colheita, o custo é de R$ 8 a unidade; então sobram R$ 20 para despesas da roça, da casa, de tudo”, criticou.

Mas mesmo com a temperatura mais baixa na região, fontes ouvidas pela reportagem afirmam que vários fatores contribuíram para a perda de produção. Para o agrometeorologista da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), Júlio César de Melo Jr, a elevada nebulosidade, a pouca irradiação solar e a redução de insetos polinizadores podem ter influência num cultivo. “Esse fato [quebra de safra] está ocorrendo também com outras culturas aqui no Vale [do São Francisco]”, explicou ele ao lembrar que as plantações da região não são adaptadas ao frio.

Problemas e soluções

Outro problema encontrado pelos agricultores familiares é a falta de experiência em lidar com a colheita nesse período. De acordo com Melo Jr, uma solução seria as casas de vegetação. “Embora as extensões das roças e os invernadouros sejam muito caros e fora da realidade desses produtores”, salientou.

Moisés Nascimento, que também é agricultor familiar no projeto N4, casado e pai de duas crianças, disse que vem acompanhando o clima nos noticiários e que pretende reiniciar a produção no mês que vem. “Tem uma previsão aí de que a partir de 15 de agosto o clima volta ao normal, e a nossa expectativa é começar a adubação fuliar”, adiantou.

Segundo Isália Damacena, presidente do Sindicato dos Agricultores Familiares de Petrolina (Sintraf), que tem observado a quebra de safra, os problemas da categoria não estão sendo acompanhados pelo Poder Público ou órgãos de Estado. “Não vimos nem mesmo pesquisadores indo aos projetos analisar os resultados das baixas temperaturas, para nos ajudar nas estratégias e previsões para os próximos meses ou ano”, concluiu ela.