asdasdasdasd

Em alusão ao Dia Nacional de Combate à Hipertensão profissionais do HDM e UPAE fazem alerta

por Adriana Rodrigues 27 de Abril de 2017 às 12:00
categoria: Saúde

O Dia Nacional de Combate à Hipertensão Arterial (26 de abril) é um marco de luta contra a doença que mata 300 mil brasileiros por ano (820 mortes por dia, 30 por hora ou uma a cada 2 minutos). A data sugere um alerta e propõe um momento de conscientização, visto que na última década o número de pessoas com hipertensão no país cresceu 14,2%. 

De acordo com o coordenador médico da Unidade de Pronto Atendimento e Atenção Especializada de Petrolina, Elson Marques, é crescente também o número de pessoas que procuram as urgências e emergências por conta das síndromes hipertensivas descontroladas. 

“Percebemos isso no nosso dia a dia, pois a hipertensão é uma doença silenciosa e que se apresenta muitas vezes com os sintomas de dor de cabeça, cansaço, tonturas e sangramento nasal. E esse quadro, muitas vezes, leva o paciente a procurar o serviço de saúde. Isso sem falar das situações mais graves, pois as consequências mais importantes da pressão alta estão relacionadas ao risco de infarto agudo do miocárdio e acidente vascular cerebral”, esclarece. 

É considerado hipertenso o indivíduo que, em repouso, apresenta a pressão igual ou superior a 14 por 9. Esse é o número de corte. Para ajudar no diagnóstico, adultos devem medir a pressão arterial a cada seis meses, principalmente se houver histórico na família, e crianças também devem aferir a pressão com regularidade, pois não estão livres do problema. Além da hereditariedade, os principais fatores de risco para o desenvolvimento da doença são: consumo de álcool; obesidade; idade; ingesta excessiva de sal; sedentarismo; tabagismo; alterações dos níveis de colesterol e diabetes. 

Hipertensão na gestação

Segundo o médico obstetra do Hospital Dom Malan, Marcelo Marques, a hipertensão na gestação é a principal causa de morte materna no Brasil. E as consequências podem se estender ao bebê, já que muitas vezes a gestação precisa ser interrompida antes do tempo. “Em alguns casos, a única forma de salvar a mãe é realizando o parto prematuro. Por isso, a gestação de uma grávida hipertensa deve ser acompanhada em uma unidade referenciada para o pré-natal de alto risco”, ressalta o profissional.  

O aumento da pressão sanguínea diagnosticado durante a gestação em mulheres que nunca haviam antes demonstrado o problema é classificado como doença hipertensiva específica da gestação (DHEG). Esse é um dos distúrbios mais comuns em grávidas e se apresenta de duas formas: como pré-eclâmpsia e eclâmpsia. Esse agravo é caracterizado pela pressão muito elevada escoltada de outros sintomas mais graves, como convulsões e inchaços. Nesse estágio da DHEG, a vida da mãe e do bebê entra em risco.

“A gestante que já era hipertensa também está em risco e deve controlar a pressão arterial através de medicamentos prescritos pelo médico, dieta saudável e exercícios moderados. Em alguns casos, é recomendado o uso de AAS infantil e cálcio”, orienta Marcelo. 

Outras dicas importantes

Pratique caminhadas, diminua o sal na dieta, perca peso, beba com moderação, apague o cigarro, reduza o estresse, faça uso de vitamina D, monitore o seu coração, pratique sexo seguro e faça atividades ao ar livre com as crianças. Hábitos de vida saudáveis contribuem com a prevenção e o controle da maioria das doenças.


Psicóloga conversa sobre o Jogo Baleia Azul

por Mário Souza 27 de Abril de 2017 às 10:34
categoria: Saúde

A psicóloga Aline Meneses do Núcleo de Apoio a Saúde da Família da Secretaria de Saúde de Cabrobó-PE, conversou com o repórter Mário Souza do Programa Nossa Voz da Grande Rio FM, sobre o Jogo Baleia Azul, que tem lavado vários jovens a morte.

Entenda como o jogo se desenvolve e porque as famílias, professores e amigos devem estar atentos. Saiba como perceber indícios de que um adolescente pode estar participando do jogo e o que fazer.

Clique aqui e ouça a entrevista;

 

 


UPAE/IMIP de Petrolina realiza melhorias na infraestrutura

por Redação Nossa Voz 26 de Abril de 2017 às 13:00
categoria: Saúde

A Unidade de Pronto Atendimento e Atenção Especializada de Petrolina (UPAE/IMIP) está concluindo esta semana mais uma etapa de melhorias na sua infraestrutura que beneficia funcionários e pacientes. Duas mudanças importantes que melhoram o fluxo de medicamentos, a assistência farmacêutica e o ambiente destinado ao repouso dos profissionais da casa.

A primeira delas refere-se ao investimento na concepção de uma nova farmácia central, antes localizada em uma sala menor próxima à recepção do Pronto Atendimento. “Tínhamos um espaço livre e optamos por utilizá-lo de forma que atendesse à nossa necessidade mais imediata que era a de oferecer um local adequado à dispensação de medicamentos. Dessa forma nós otimizamos o serviço do farmacêutico, dos auxiliares de farmácia e técnicos de enfermagem, trazendo a farmácia central para perto das salas de medicação e observação; e com isso ainda ganhamos uma sala de fracionamento que irá funcionar no local da antiga farmácia”, informa a coordenadora geral da Unidade, Ana Beatriz Mota Aguiar.

A segunda e não menos importante conquista refere-se às melhorias realizadas no repouso. “Colocamos poltronas e divisórias em uma área ociosa do repouso que oferecerá mais privacidade e conforto na hora do descanso, tanto dos diaristas quanto dos plantonistas. Então, agora além do quarto com camas, nós temos uma antessala com luz baixa e poltronas confortáveis” ressalta.

Para o farmacêutico, as melhorias são relevantes e valorizam o trabalhador. “A gente se sente privilegiado por trabalhar em um local que pensa no usuário e no funcionário. A nova farmácia permite uma organização melhor, uma fluidez maior e um contato visual mais amplo. Então, o que já era bom ficou ainda melhor”, destaca Carlos Augusto.

O profissional ainda lembrou que a farmácia satélite, que funciona no bloco cirúrgico, também recebeu melhorias: “Conseguimos trocar alguns mobiliários e aprimoramos a organização, permitindo uma maior funcionalidade do local”.

As novidades do repouso também foram aprovadas. Para a assistente administrativa Helenita Florêncio, a palavra que define o sentimento é valorização “Com certeza nos sentimos respeitados e privilegiados com essas ações”, afirma.

De acordo com Ana Beatriz, apesar da UPAE ser uma unidade nova, com menos de 4 anos de funcionamento, busca constantemente melhorar seus serviços e a infraestrutura. “Pensamos em cada mudança com muita responsabilidade, de modo que os nossos investimentos beneficiem os pacientes, funcionários e colaboradores. Temos uma equipe de manutenção predial que faz parte do nosso quadro e busca realizar vistorias diárias, mas vez ou outra percebemos que intervenções maiores precisam ser realizadas e não medimos esforços até concretizá-las. É dessa forma que nós fazemos a diferença”, conclui.


Profissionais do Hospital Dom Malan/IMIP de Petrolina também estão sendo imunizados contra a influenza

por Redação Nossa Voz 26 de Abril de 2017 às 13:00
categoria: Saúde

Começou ontem (25) a campanha de vacinação dos profissionais do Hospital Dom Malan/IMIP de Petrolina contra os vírus H1N1, H3N2 e B, que são os responsáveis pelas epidemias sazonais de gripe, que tem seu pico nos meses de abril, maio e junho. A iniciativa busca envolver, no mínimo, 90% dos profissionais de saúde da unidade materno/infantil, que é o indicado pelo Ministério da Saúde.

Para alcançar a meta, a enfermeira do trabalho Jamima Araújo, irá realizar mais 3 dias de vacinação (28 de abril, 02 e 05 de maio). “Optamos pelos dias alternados para poder ofertar a vacina no período da manhã e da tarde, atingindo um público maior. A imunização é de extrema importância para os profissionais que trabalham na saúde, pois são pessoas que estão em contato direto com os agentes infecciosos e precisam estar protegidas. Esse grupo, inclusive, é o primeiro a ser contemplado por ser considerado de risco para complicações por gripe”, destaca.

Para a realização da campanha no HDM, o serviço conta com o apoio da enfermagem, que está disponibilizando técnicos para a dispensação das doses, como é o caso de Edivonete Ferreira. “Trabalho no Alojamento Conjunto, sou uma das responsáveis pela aplicação das vacinas nos recém-nascidos, e vim dar uma força aqui na campanha para os profissionais de saúde. Aproveitei e já tomei a vacina”, revelou.

A gripe

A gripe é uma doença causada pelo vírus influenza, altamente contagiosa e que infecta o trato respiratório (nariz, garganta, pulmões e ouvidos), causando febre, calafrios, dores musculares e prostração. A maioria das pessoas que contraem a doença se recupera completamente dentro de duas semanas. Contudo, alguns indivíduos podem desenvolver complicações médicas graves.

O vírus influenza geralmente é transmitido em surtos epidêmicos por meio de gotículas de secreção que chegam às vias respiratórias pelo ar. O vírus da gripe pode atingir pessoas de todas as idades, embora se manifeste de forma mais severa em crianças pequenas, idosos e indivíduos com o sistema imunológico comprometido, como portadores de doenças crônicas ou transplantados.

Pela sua capacidade de mutação, que produz diferentes subtipos do vírus, um indivíduo nunca estará completamente imune à doença. Contudo, a vacinação oferece uma proteção considerável ou redução dos sintomas caso a infecção ocorra.

Como se proteger


  • Lavar as mãos com água e sabão frequentemente;

  • Ao tossir ou espirrar, cobrir o nariz e a boca com um lenço descartável e após o uso descartá-los em lixeiras;

  • Na ausência do lenço, usar o ombro ou antebraço interno como barreira ao tossir ou espirrar;

  • Não compartilhar alimentos, copos, garrafas, toalhas e objetos de uso pessoal;

  • Manter os ambientes ventilados, com portas e janelas abertas, para favorecer a circulação de ar;

  • Pessoas com gripe/resfriado devem evitar ambientes fechados e aglomerados, assim como contato direto com outras pessoas (abraço, beijo, apertos de mão etc.);

  • Evitar sair de casa durante o período de transmissão da doença. Em adultos, este período dura, em média, até cinco dias após o início dos sintomas, e em crianças pode durar, em média, 10 dias;

  • Não usar medicamentos sem orientação médica. A automedicação pode ser prejudicial à saúde;

  • Adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos.


Dentistas realizam trabalho de prevenção ao câncer de boca em Petrolina

por Redação Nossa Voz 25 de Abril de 2017 às 13:03
categoria: Saúde

Utilizar protetor solar nos lábios é a principal recomendação para prevenir o câncer de boca. Com as fortes temperaturas, causadas pelo sol da nossa região, é importante ficar atento aos cuidados com a saúde, já que, a exposição excessiva ao sol e a falta de hidratação do lábio, aumentam à incidência da doença.

Em Petrolina, a Secretaria de Saúde está realizando, nas unidades básicas, um trabalho de educação com os pacientes que utilizam o serviço público. A odontóloga, Dayse Carneiro, reforça a importância de levar essas informações para a população. “Começamos esse trabalho na semana mundial da saúde e a orientação é continuar no nosso dia-a-dia nas unidades”, frisou. 

Confira a entrevista na integra:

O que é o câncer de boca?

Olhe, o câncer de boca envolve o lábio, língua, bochecha, gengiva, garganta e úvula.

O que pode causar o câncer de boca?

Ele pode ser hereditário ou por trauma. Esses traumas podem ser causados, por exemplo, por uma prótese que não tem uma boa adaptação e acaba machucando ou pela exposição ao sol. Outro ponto importante é em relação ao uso de drogas e cigarro, isso aumenta consideravelmente o risco da doença.

Quais as recomendações para prevenir da exposição ao sol?

Uma prática muito comum na nossa região, principalmente pelos homens, é a utilização da manteiga de cacau. Vale explicar que o cacau é um óleo. Então, se você usa e vai para o sol o que pode acontecer é de ter uma queimadura e o risco para o câncer de boca. O que deve ser utilizado é o protetor solar labial, tanto homens quanto mulheres. 

Quais as características que devem ser observadas para prevenir o câncer de boca?

A primeira orientação é fazer o autoexame da boca diariamente, da mesma forma que se faz o autoexame da mama. Se você tem uma “feridinha” qualquer na boca, há mais de 15 dias e não regrediu, é preciso ir imediatamente ao dentista. Outro ponto importante é visitar o dentista a cada seis meses.


Começa vacinação contra gripe

por Karine Paixão 24 de Abril de 2017 às 16:50
categoria: Saúde

 

A expectativa da Secretaria Estadual de Saúde é imunizar 2,3 milhões de pessoas em todo o Estado. De acordo com a pasta, até o dia 25 de março deste ano, foram confirmados 280 casos da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). Desses, 29 positivaram para influenza A (H3N2) sazonal.

Deverão ser vacinados idosos, crianças de 6 meses a menores de 5 anos, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), indígenas, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional, professores dos ensinos básico e superior de escolas públicas e privadas.

O Dia D da campanha está marcado para 13 de maio. Mas, desde a semana passada profissionais de saúde começaram a ser imunizados. Além do vírus da influenza A (H3N2), a vacinação protege contra a influenza H1N1, que não teve casos confirmados neste ano, e a influenza B.

Para a coordenadora do Programa Estadual de Imunização (PNI), Ana Catarina de Melo, é importante que todas as pessoas dos grupos prioritários imunizadas no ano passado tomem novamente, pois a vacina tem validade de um ano. “A vacinação é importante para reduzir o número de casos de gripe e síndrome respiratória aguda grave, internações hospitalares e óbitos”, afirma a coordenadora do PNI.

Contraindicação existe apenas para pessoas com histórico de reação anafilática prévia em doses anteriores, bem como a qualquer componente da vacina ou alergia comprovada grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados. (Folha de Pernambuco)


Secretária de Saúde afirma ter encontrado a pasta com 11 milhões em dívidas

por Redação Nossa Voz 24 de Abril de 2017 às 09:48
categoria: Saúde

A secretária de Saúde de Petrolina, Magnilde Albuquerque, concedeu uma entrevista, ao vivo, ao programa Nossa voz sobre a atual situação da pasta e falou ainda das ações futuras para o município. A gestora reconhece que há muito o que ser feito e justificou que foram muitas as dificuldades encontradas no início de gestão. De acordo com ela, a administração passada deixou uma dívida de cerca de 11 milhões de reais somete na secretaria.

“Estamos chamando os fornecedores, parceiros e prestadores para negociar de um a um. Com uns, conseguimos. Com outros, não. Vários prestadores não queriam mais oferecer os serviços por causa das dívidas da gestão anterior”, disse. Ela explica que a pasta está sendo organizada aos poucos e que é preciso tempo para uma reestruturação. “Temos várias unidades precisando de reformas físicas e iniciamos os processos licitatórios. Isso precisa de tempo para a reestruturação. Estamos treinando os funcionários e organizando os processos”, explicou. Um dos problemas mais graves, segundo ela, foi a escassez e irregularidade de medicamentos nos postos de saúde. “Quando a gente chegou encontrou a falta de vários medicamentos e outros vencidos. Tivemos que fazer o reabastecimento”, explicou.

Processos Licitatórios - Magnilde explica que para organizar a pasta é preciso tempo e pediu a compreensão da população para que os serviços sejam retomados e outros ofertados. Segundo ela, os processos de licitação estão em andamento. “Começamos do zero. Esses últimos oito anos [as pessoas vinham] sofrendo com a saúde muito ruim. Mas assim que os processos estiverem fechados vamos colocar as unidades para funcionar. A saúde é urgente, mas nós estamos trabalhando para que essa situação mude o mais urgente possível”, explicou. Segundo a gestora, o prazo para concluir os processos licitatórios é de 60 dias.

Repasses de Verbas – Ainda de acordo com a gestora, existem atrasos nos repasses do Governo do Estado de Pernambuco. “Ainda temos dificuldade, sim. Principalmente do Samu. Já mandamos o levantamento dos débitos da Secretaria de Saúde”. Com relação ao Governo Federal, os repasses estão em dias.


Prefeitura diz que atendimento no CRAS do Fernando Idalino será melhorado após novas contratações

por Redação Nossa Voz 19 de Abril de 2017 às 08:54
categoria: Saúde

Em atenção a ouvinte Maria das Neves, a qual reclamou do atendimento no CRAS do bairro Fernando Idalino, durante o programa de ontem (18), a  Prefeitura de Petrolina, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos (SEDESDH), informa que foi realizado recentemente um processo seletivo justamente para suprir a carência de alguns profissionais que saíram do quadro devido ao fim de seus respectivos contratos.

Segundo a nota, a SEDESDH iniciou as convocações e a previsão é que os novos contratados assumam suas funções na próxima semana, quando o atendimento será normalizado. Sobre a ausência de frutas na unidade local do Cras, a Prefeitura informa que o fornecimento será feito através do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), que iniciará a distribuição no próximo mês, como prevê a programação.

Ascom PMP


Mobilização nacional de vacinação contra gripe começa nesta segunda

por Simone Marques 17 de Abril de 2017 às 13:00
categoria: Saúde

Começa nesta segunda-feira (17) a mobilização nacional de vacinação contra a gripe. A campanha deste ano inclui, pela primeira vez, os profissionais de educação no grupo prioritário. Cerca de 2,3 milhões de professores de escolas das redes pública e privada devem ser imunizados nos postos de saúde de todo o país.

Nos dias 2 e 3 de maio, os docentes serão vacinados nas escolas. Idosos, trabalhadores do setor de saúde, crianças de 6 meses até 5 anos, gestantes, mulheres no pós-parto, indígenas, população privada de liberdade, inclusive os adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa, e pessoas com doenças crônicas continuam como público-alvo da vacinação.

A vacina permite a proteção contra os vírus A(H1N1), H3N2 e influenza B. Como os vírus são mutantes, a composição da vacina é feita somente depois da indicação da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre as cepas (variações dos vírus) que circularam com mais frequência nos últimos meses na região. Segundo a OMS, em 2016 a cepa do vírus A(H1N1) foi alterada, o que levou à produção de uma nova composição para a campanha deste ano.

Cerca de 60 milhões de doses serão distribuídas aos postos da rede pública de saúde. O Ministério da Saúde espera que pelo menos 54 milhões de pessoas sejam imunizadas até o dia 26 de maio, prazo final da campanha. O dia D da mobilização será em 13 de maio.

O principal objetivo da campanha é reduzir as hospitalizações e a ocorrência de mortes relacionadas à influenza. Segundo o Ministério da Saúde, estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% e 45% o número de internações por pneumonia e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da gripe. Em 2016, o país registrou a maior incidência dos casos de gripe desde a pandemia iniciada em 2009. Mais de 2.200 pessoas morreram no ano passado por problemas relacionados à gripe. De janeiro a abril deste ano ocorreram 48 mortes.

Apesar de a incidência de casos estar num ritmo bem menor do que o registrado no ano passado, o Ministério da Saúde alerta para a necessidade de se vacinar o quanto antes e garantir que a proteção seja efetiva no período de maior vulnerabilidade, o inverno. Além de buscar a imunização, o Ministério recomenda que a população lave as mãos várias vezes ao dia, cubra o nariz e a boca ao tossir e espirrar, evite tocar o rosto, não compartilhe objetos de uso pessoal, mantenha os ambientes bem ventilados e evite a permanência em locais com aglomeração.


Campanha de vacinação contra a influenza começa na próxima segunda-feira em Petrolina

por Redação Nossa Voz 13 de Abril de 2017 às 08:35
categoria: Saúde

Começa na próxima segunda-feira (17), em Petrolina, a Campanha Nacional de Vacinação Contra Influenza. Para a realização da campanha a Secretaria de Saúde do município encerrou nesta quarta-feira (12) um treinamento com cerca de 100 profissionais que realizarão o procedimento nas unidades básicas.

Segundo a coordenadora do Programa Municipal de Imunização (PMI), Alexsandra Santos, os profissionais tiveram todas as informações sobre a vacina, datas e público alvo. “Na primeira semana, vamos ofertar apenas para os profissionais de saúde das redes pública e privada. É importante lembrar que é necessário apresentar um comprovante de vínculo, que pode ser a carteira de classe, portaria, crachá ou contracheque. A meta é vacinar pelo menos 90% de cada grupo prioritário. Não sabemos ainda a quantidade de vacina que será destinada para o município, porém, essas doses vão vir fragmentadas, ou seja, toda semana receberemos um quantitativo”, explicou.

A partir do dia 24 de abril a vacinação será para o público-alvo da campanha que é formado pelas crianças de seis meses a menores de cinco anos, gestantes, puérperas, Idosos maiores de 60 anos, indivíduos de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais (comorbidades) e professores das redes pública e privada.

A coordenadora ainda orientou sobre os mitos e verdades em relação a vacina. “Existe uma recomendação para quem tem alergia a ovo, porém, é importante reforçar que quem tem algum tipo de alergia, informe a técnica da unidade. Já em relação a adoecimento, principalmente de gripe após a vacina, não existe nenhuma relação, é apenas uma coincidência”,esclareceu.

A vacina garante proteção contra três tipos de vírus (H1N1, H3N2 e B) e estará disponível em todas as unidades de saúde da família. O Dia D acontecerá em 13 de maio para o público alvo.